e-Business em Empresas Turísticas

Apresentação do Programa

A Internet não é uma opção, é um fato empresarial. Atualmente, as empresas estão inseridas em novos cenários de atuação, trazendo consigo o surgimento de novos atores de trabalho que sugerem o emprego das novas tecnologias.

Esta realidade nos obriga a incorporar elementos modernos para gerar ou reconstruir processos de acordo com as necessidades das empresas; isso requer falar de inovadores modelos de comercialização, além do uso das novas tecnologias e da Internet aplicados aos processos de negócio, englobando qualquer processo tradicional "E-Business".

Neste contexto, a especialização em E-Business em Empresas Turísticas tem como finalidade formar profissionais capacitados para desenvolver uma estratégia e-business ou de negócio eletrônico a partir do posicionamento estratégico da empresa turística, na sociedade da informação desdobrada em um projeto estratégico que abrange a função de marketing, o desenvolvimento tecnológico, os aspectos jurídicos, a mudança e a inovação organizacional, a gestão do conhecimento e da aprendizagem organizacional, entre outros aspectos.

A quem é dirigido

A metodologia de formação proposta, somada à clareza, amplitude e didática do desenho dos conteúdos, permite dirigir a Especialização E-Business em Empresas Turísticas a profissionais de diferentes áreas, com ou sem experiência no setor, que desejam ampliar e consolidar seus conhecimentos para aplicá-los no entorno profissional ou que desejam orientar a sua carreira profissional para a gestão das novas tecnologias no espaço dos negócios eletrônicos.

Titulação

A conclusão com sucesso do Programa permitirá que você obtenha a titulação do e-Business em Empresas Turísticas.

Após a conclusão com êxito do Programa, o aluno receberá o diploma emitido pela Universidade em que se matriculou.

Estrutura do Programa

A duração estimada do Programa de e-Business em Empresas Turísticas é de 400 horas (40 créditos)1.

Em relação à distribuição do tempo, estabelece-se que:

  • Por ser um Programa a distância e não estar sujeito a aulas presenciais, não se estabelece uma data específica de início. Por isso, o aluno pode formalizar a matrícula a qualquer momento, sempre que houver vagas disponíveis.
  • Por motivos acadêmicos e de aprendizagem, dispõe-se de uma duração mínima do Programa de três meses.
  • O tempo máximo de que se dispõe para realizar o Programa é de nove meses. Nesse período de tempo, o aluno deve ter entregue todas as avaliações correspondentes às disciplinas e, no caso da Especialização, Pós-graduação ou Capacitação, também o Projeto Final. Para o caso de Aperfeiçoamento, isento de Projeto Final, a duração máxima será de seis meses.

A estrutura de créditos do Programa de e-Business em Empresas Turísticas é mostrada na seguinte tabela:

  CRÉDITOSa DURAÇÃOb HORAS
1ª Parte: Disciplinas 30 6 300
2ª Parte: Trabalho Final de Curso ou Projeto 10 3 100
TOTAL 40 9 400

a. A equivalência em créditos pode variar conforme a universidade que titule. 
b. Duração em meses.

Objetivos

Objetivo geral:

  • Adquirir os conhecimentos necessários para que as empresas ou organizações turísticas incorporem o uso das novas tecnologias e da Internet nos processos de negócio, englobando qualquer processo tradicional suscetível de ser desenvolvido com evidentes melhorias de eficiência e custo através da Internet.

Objetivos específicos:

  • Demonstrar a influência e o impacto específico das novas tecnologias no setor turístico;
  • Dispor de conhecimentos necessários para poder interpretar fenômenos e fatos no âmbito da atividade turística, sob o ponto de vista dos destinos a partir da perspectiva empresarial;
  • Definir as principais forças que estimulam o novo modelo turístico como alternativa ao Turismo de Massas tradicional;
  • Analisar o porquê e como a Sociedade da Informação, as Novas Tecnologias da Informação e a conseqüência ambiental estão influenciando no novo modelo da atividade turística;
  • Aprender a observar uma empresa e detectar seus processos essenciais e gerar uma estratégia e-business.

Saídas Profissionais

Algumas das saídas profissionais da Especialização em E-Business em Empresas Turísticas:

  • Gerência de projetos e-business relacionados com atividades turísticas;
  • Diretor de projetos de negócios tecnológicos;
  • Diretor de projetos de negócios baseados em tecnologias;
  • Assessor externo ou consultor empresarial em estratégias empresariais baseadas no enfoque e-business aplicado ao turismo.

Plano de estudos

O Programa de e-Business em Empresas Turísticas é composto por sete disciplinas e, no caso da Especialização, Pós-graduação, de um Trabalho Final de Curso ou Projeto.

  • 1ª PARTE: DISCIPLINAS

A primeira parte permite conhecer e compreender o conceito de e-business, dos fundamentos teóricos, conceituais e históricos à implementação organizacional, social e econômica.

O objetivo é conseguir que os alunos adquiram uma visão global que permita apoiar o desempenho empresarial turístico com estratégias e soluções e-business.

As disciplinas e as horas correspondentes que compõem a primeira parte se apresentam na seguinte tabela:

Essas disciplinas, apesar de se manterem independentes entre si, estão estruturadas em conformidade com uma ordem pedagógica coerente que facilita sua compreensão, partindo-se da menor para a maior complexidade. Cada disciplina se divide em unidades temáticas básicas ou capítulos, cujo conteúdo engloba material impresso que se deve estudar de modo a responder satisfatoriamente os testes de avaliação.

  • 2ª PARTE: TRABALHO FINAL DE CURSO OU PROJETO

No caso da Especialização, Pós-graduação ou Especialista, a última fase do Programa será destinada à elaboração do Projeto, o qual pode ser realizado paralelamente ao desenvolvimento da primeira parte, se o aluno assim o preferir.

O Projeto deve fazer referência a alguns dos campos estudados ou mantendo com eles relação, tanto teórica como aplicada, e respeitando sempre as doutrinas, teorias e disciplinas estipuladas.

# DISCIPLINAS HORAS
1 TRABALHO FINAL DE CURSO OU PROJETO 100

Descrições dos Cursos

1ª PARTE: DISCIPLINAS

  1. AS TICS NA INDÚSTRIA TURÍSTICA

    Nessa disciplina analisa-se a transformação que a sociedade está experimentando com o aparecimento das Novas Tecnologias da Informação. Nesse contexto, são analisadas as características desta revolução, sem que se esqueça o âmbito geral no qual se move a indústria de viagens e turismo. Para seu desenvolvimento e apresentação, o texto foi complementado com estudos, relatórios, pesquisas, documentos, etc.

    TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO
    A sociedade em rede. Tecnologia, sociedade e mudança histórica. Paradigma das tecnologias da informação e das comunicações. Gestão do conhecimento.
    ECONOMIA GLOBAL, DIGITAL E DO CONHECIMENTO
    As novas regras da economia. Economia digital / economia baseada na informação / economia em rede. A indústria de viagens e o turismo na nova economia.
    TRANSFORMAÇÃO DO MODELO DE NEGÓCIO
    Contexto geral. A revolução digital: Ritmo e alcance da transformação. Internet 2006. Introdução ao comércio eletrônico. Exemplos de empresas com o novo modelo de negócio.
  2. GESTÃO SEM DISTÂNCIAS

    Nessa disciplina se introduzem os conceitos e técnicas de e-Management, buscando-se compreender o significado, a natureza e o alcance da função de gestão e direção sem distâncias no âmbito projecional e empresarial.

    CONTEXTO DA GESTÃO E DIREÇÃO SEM DISTÂNCIAS
    Definição de gestão e direção sem distâncias. Novas tecnologias de informação e comunicação: automatização de escritórios, redes de comunicação, serviços de telecomunicação, novas técnicas de transmissão, infra-estrutura para e-management.
    ÂMBITOS DE GESTÃO E DIREÇÃO COM DISTÂNCIAS
    Descrição dos âmbitos de gestão e direção com distâncias: cooperação, outsourcing, co-sourcing, offshore, teletrabalho, outplacement e inplacement. Análise comparativa dos âmbitos de gestão e direção com distâncias.
    MODALIDADES DE GESTÃO E DIREÇÃO PARA COBRIR DISTÂNCIAS
    Modos de gestão e direção para cobrir distâncias: presencial, semi-presencial, não-presencial, virtual. Análise comparativa dos modos de gestão e direção para cobrir distâncias.
    FASES DE MATURAÇÃO NA IMPLANTAÇÃO DE ESTRATÉGIAS DE GESTÃO E DIREÇÃO SEM DISTÂNCIAS
    Modelos de maturação da implantação de estratégias de externalização mediante o uso de tecnologias de informação e comunicação. Modelo de capacidade de maturação: estrutura, aplicação, melhorias em sua aplicação. Evolução da maturação na implantação de estratégias de gestão e direção sem distâ ncias.
    ÁREAS IMPLICADAS NA GESTÃO E DIREÇÃO SEM DISTÂNCIAS
    Gestão e direção de projetos. Gestão e direção de funcionalidades: de RH, de engenharia, de operações, de comercial, de administração. Gestão e direção geral de empresas: do conhecimento, de integração empresarial, de consultoria e assessoria de empresas.
    SISTEMAS TELEMÁTICOS PARA GESTÃO E DIREÇÃO SEM DISTÂNCIAS
    Sistemas telemáticos para gestão e direção (STGD). STGD de projetos. STGD de funcionalidades: de RH, de engenharia, de operações, de comercial, de administração. STGD geral de empresas: do conhecimento, de integração empresarial, de consultoria e assessoria de empresas.
  3. GESTÃO DO CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL

    Essa disciplina apresenta as metodologias, as ferramentas e as técnicas associadas à gestão do conheimento e expõe a maneira com que se pode conseguir uma sustentável estratégia de aprendizagem organizacional a partir dos modelos de maturidade de gestão do conhecimento.

    CONHECIMENTO: NATUREZA E VALOR ORGANIZACIONAL
    Introdução. A organização e o conhecimento. Conhecimento: natureza. Espirais de conhecimento. Conhecimento: medição(capital intelectual e Modelo Intelect).
    GESTÃO DO CONHECIMENTO
    Introdução. As Tecnologias da Informação. Missões da Gestão do Conhecimento. Objetivos da Gestão do Conhecimento. Conclusões.
    FERRAMENTAS PARA A GESTÃO DO CONHECIMENTO
    Introdução. Principais funções das ferramentas sob a visão centrada no conhecimento (armazenamento, distribuição, modificação). Classificação das ferramentas em função do processo de gestão do conhecimento (gestão de documentos, workflow, portais corporativos e redes de conhecimento, e-learning, trabalho colaborativo, business intelligence).
    GESTÃO DO CONHECIMENTO E MATURIDADE DA APRENDIZAGEM
    Introdução. Do dado à aprendizagem organizacional (conhecimento, conhecimento e organizações, modelos de medição organizacional, gestão do conhecimento em organizações). Modelos de maturidade.
    RUMO A NOVOS PARADIGMAS EM DOCÊNCIA E PESQUISA: E-LEARNING
    Introdução. Rumo a um novo modelo de ensino e aprendizagem. Conceitos básicos da sociedade do conhecimento.
  4. SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E DA MUDANÇA

    Essa disciplina pretende contextualizar e servir de introdução geral à especialização em e-business nas empresas turísticas.

    Na atual situação de mudança generalizada, de trânsito para a Sociedade da Informação ou do Conhecimento, as empresas turísticas devem ser viáveis, produtivas e competitivas.

    Obviamente, o mundo das organizações não é uma realidade monolítica e única. Será fundamental para todas elas o desenvolvimento de infra-estruturas de informação e aprendizagem organizacionais que lhes garantam o alcance de seu objetivo último.

    ANÁLISE DA SITUAÇÃO ATUAL: MUDANÇA GENERALIZADA
    Trânsito para a Sociedade da Informação. Impulsionadores da mudança atual: globalização - tecnologia - informação. Impactos da mudança global.
    ADEQUAÇÃO ORGANIZACIONAL À MUDANÇA: GESTÃO DA MUDANÇA CULTURAL E TECNOLÓGICA
    Inovação como proposta de adequação. Culturas e organizações inovadoras. Visão da organização sob o ponto de vista da informação.
    DA ATUAL SOCIEDADE EM REDE À SOCIEDADE DO CONHECIMENTO
    Fundamentos, indicadores e características da atual economia em rede. Rumo à economia do conhecimento. Impacto da gestão do conhecimento nas organizações.
    RUMO À ADMINISTRAÇÃO ABERTA
    Introdução. Conceitos básicos da sociedade da informação. Situação do Estado ante a Sociedade da Informação. A administração aberta: as tecnologias da informação e as comunicações nos processos administrativos. Síntese: Rumo a uma sustentável sociedade da informação.
  5. E-BUSINESS E SUA INTEGRAÇÃO COM OS SISTEMAS CORPORATIVOS DE GESTÃO

    Essa disciplina proporciona uma ampla e extensa visão do conceito e da noção de integração empresarial mediante a informação, abordando a integração sob os aspectos organizacional e tecnológico e os conceitos essenciais da integração baseada nas TICs como os conceitos ERP, SCM e CRM.

    VISÃO ORGANIZACIONAL DA INTEGRAÇÃO: FORNECIMENTOS, CLIENTES E SISTEMAS
    Introdução. Fundamentos. Cadeia de valor. Exemplo de Integração de Cadeias de Fornecimentos. Reflexões.
    VISÃO TECNOLÓGICA DA INTEGRAÇÃO: ASPECTOS CONCEITUAIS DA INTEGRAÇÃO E-BUSINESS
    Importância do e-business. Mudança organizacional. Estratégia de negócio. E-Business: implementação.
    SISTEMAS DE PLANEJAMENTO EMPRESARIAL (ERP)
    Aspectos conceituais. Integração à gestão da informação. Integração dos ERPS. Escolha do fornecedor. Impacto estratégico no retorno do investimento.
    GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ERA DIGITAL
    Introdução. A mudança nas empresas. Gestão de recursos humanos. A tecnologia na gestão do recurso humano.
    GESTÃO DAS RELAÇÕES DE FORNECEDORES (SCM)
    Introdução. A cadeia de fornecimentos. Definição. Gestão da cadeia de fornecimentos. Implementação do SCM no e-business. Reflexões.
    GESTÃO DE RELAÇÕES DE CLIENTES (CRM)
    Introdução. Aspectos conceituais. Estratégia. Implementação. Escolha do Fornecedor. Integração.
  6. ESTRATÉGIAS E NEGÓCIOS TURÍSTICOS NA INTERNET

    Essa disciplina é oferecida visando-se apresentar conceitos novos a partir de casos e compilar, de maneira relativamente integral, parte das vastas e extensas experiências em torno do uso da Internet no mercado turístico e em torno da digitalização e da virtualização das empresas turísticas sob os enfoques do comércio e do negócio eletrônico.

    O TURISMO E A INTERNET
    Introdução. Efeitos da Internet sobre o setor turístico. Fundamentos e fatores críticos de êxito. E-turismo. Análise de casos.
    ANÁLISE, GESTÃO E FERRAMENTAS ESTRATÉGICAS
    Introdução. Análise estratégica e e-turismo. Definição do produto: o pacote turístico. Planejamento da empresa turística. Quadro de comando integral. Implementação da estratégia: portais turísticos. Análise de casos.
  7. COMÉRCIO E MARKETING ELETRÔNICO

    Essa disciplina mostra e aprofunda-se em dois temas essenciais e muito intervinculados: o comércio eletrônico (apresentado a partir de seus fundamentos conceituais aos tecnológicos) e as novas formas de marketing (apresentadas dos seus fundamentos à mudança provocada pelas TICs e que dão lugar ao marketing em ambiente informático). Conclui-se com uma metodologia propondo um estratégia de marketing em um espaço de comércio eletrônico.

    COMÉRCIO ELETRÔNICO
    e-commerce: aspectos conceituais. Sociedade da Informação e Internet: novos paradigmas. Generalidades sobre o comércio eletrônico. e-commerce: TICs para o comércio eletrônico. Comunicações e Redes. Interfaces servidor e cliente. Tecnologias de pagamento eletrônico. e-commerce: comércio eletrônico nas organizações: na administração (A2A, A2B, A2C), na empresa (B2A, B2B, B2C), junto ao consumidor (C2A, C2B, C2C). e-commerce: aspectos de segurança (criptografia, assinaturas e certificados digitais, protocolos de segurança, arquiteturas).
    MARKETING
    Marketing e organização, política, gestão e direção comercial. Análise comercial e adaptação às mudanças no mercado. Função comercial. Técnicas de Marketing, venda e negociação comercial. Comércio eletrônico e marketing. Marketing internacional. Plano de ação comercial.
    METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO
    Introdução. Necessidade de uma metodologia. Metodologia de implantação.

2ª PARTE: TRABALHO FINAL DE CURSO OU PROJETO

A segunda parte do Programa de Consultoria Turística consiste na elaboração de um Projeto com uma duração estimada de 100 h (10 créditos)1. O Projeto deverá ser um reflexo da assimilação dos conceitos abordados, demostrando a maturidade e a capacidade resolutiva do aluno ante uma dada problemática.

A temática escolhida para a realização do Projeto ficará à escolha do aluno. Uma vez escolhido o tema, deve-se remeter o pré-projeto do Trabalho Final de Curso para que possa receber a conformidade da equipe docente.

A gestação do Trabalho Final de Curso ou Projeto poderá começar paralelamente ao estudo das disciplinas do Programa, em consonância com a conveniência e com a disponibilidade do aluno. Não obstante, aconselha-se dedicar o último trimestre do curso a sua elaboração e definitiva redação.

O Trabalho Final de Curso ou Projeto será supervisionado por um professor-tutor, cuja designação dependerá da temática escolhida.


1. A equivalência em créditos pode variar de acordo com a universidade que titula

Nota: o conteúdo do programa acadêmico pode ser submetido a ligeiras modificações, em virtude de atualizações ou aperfeiçoamentos.

Direção

  • Dr. Arturo Ortega-Mansilla. Doutor Engenheiro em Eletrônica, pela Universidad de Barcelona. Engenheiro em Eletrônica pela Universidad de Barcelona. Engenheiro em Telecomunicações pela Universidad Ramón Llull, Espanha. Coordenador da Área P D i – Área de Projetos, FUNIBER.
  • Dr. Jon Arambarri Basáñez. Doutor em Direção de Projetos de Engenharia, pela Universidad Politécnica de Cataluña e Universidad de Córdoba. MBA Executivo, Instituto de Economia Aplicada à Empresa, Universidad del País Vasco. Engenheiro Superior de Telecomunição, Escuela Superior de Ingenieros de Bilbao. Diretor de P D i em www.virtualware.es; Multimídia, Animação 3D & Ambientes Virtuais Interativos.
  • Ms. Saúl Domingo Soriano. Mestre em Direção Geral de Empresas pelo Institut Català de Tecnologia de Barcelona. Mestre em Consultoria e Tecnologias da Informação e-Business pela Universidad de Las Palmas de Gran Canaria, Espanha. Diretor de Projetos Finais de Mestrado e Especializações, FUNIBER.
  • Ms. Angélica Agudelo Reina. Mestrado e Pós-graduação em SAP MM e SD (Materials Management – Sales and Distribution). Ampla experiência em consultoria funcional de ERP’s em diferentes setores da indústria, e em análise de operações industriais. Coordenadora Acadêmica do Programa Mestrado em Direção Estratégica de Tecnologias da Informação e suas Especializações.

Professores e Autores

  • Dra. Isabel De La Torre Díez. Doutora em Telecomunicações pela Universidad de Valladolid. Professora da Universidad de Valladolid em temáticas vinculadas a serviços telemáticos, base de dados, business intelligence. Pesquisador Pós-doutoral sobre Informática Biomédica.
  • Dr. Fernando Izquierdo Álvarez. Engenheiro Superior de Telecomunicação e de Gestão de RH. e Ciências Empresariais - MBA IESE. Mestrado em Redes e Serviços avançados em Internet pela Universidad Politécnica de Madrid. Ampla experiência em empresas do setor de novas tecnologias TIC. Consultor internacional.
  • Dra. Marina Aguado. Doutora em Telecomunicações pela Universidad del País Vasco. MSc. in Management of Manufacturing Systems pela Universidad de Cranfield, Inglaterra. Experiência em Projetos P D i. Professora da Universidad del País Vasco.
  • Dr. David Barrera Gómez. Doutor Engenheiro pela Universidad Politécnica de Cataluña e MBA pela Escuela Técnica Superior de Ingenieros Industriales de Barcelona, UPC. Consultor de negócio, tecnologia e soluções empresariais. Professor da Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dra. Izel Marez. Doutora em Engenharia de Projetos: Ambiente, Segurança, Qualidade e Comunicação pela Universidad Politécnica de Cataluña. Professora da Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dr. Santos Gracia Villar.Doutor em Engenharia Industrial pela Universidad Politécnica de Cataluña. Expert em Projetos de Cooperação e Gestão Empresarial.
  • Dra. Beatriz Sainz De Abajo.Doutora pela Universidad de Córdoba. Professora do Departamento de Teoria do Sinal, Comunicações e Eng. Telemática, da Universidad de Valladolid.
  • Dr. Roberto M. Álvarez.Doutor em Engenharia de Projetos pela Universidad Politécnica de Cataluña, Espanha. Mestrado em Gerenciamento de Projeto e de Desenho pela Politécnica de Milão, Itália. Professor da Universidad de Buenos Aires, Argentina. Professor da Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dr. Eduardo García Villena. Doutor em Engenharia de Projetos: Ambiente, Segurança, Qualidade e Comunicação, pela Universidad Politécnica de Cataluña. Diretor Acadêmico da Área de Meio Ambiente da Fundación Universitaria Iberoamericana.
  • Dr. Jon Arambarri Basáñez.Doutor em Direção de Projetos de Engenharia, pela Universidad Politécnica de Cataluña e Universidad de Córdoba. MBA Executivo, Instituto de Economia Aplicada à Empresa, Universidad del País Vasco. Engenheiro Superior de Telecomunição, Escuela Superior de Ingenieros de Bilbao. Diretor de P D i em www.virtualware.es; Multimídia, Animação 3D & Ambientes Virtuais Interativos.
  • Dr. (c) Diego J. Kurtz.Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento pelo PPGEGC – UFSC (em processo). Mestrado em International Business - Wiesbaden Business School, Alemanha. Pesquisador do Núcleo de Gestão para a Sustentabilidade (www.ngs.ufsc.br) e Pesquisador Junior do Projeto Dynamic SME (www.dynamic-sme.org). Coordenador de Programas e Professor da FUNIBER.
  • Dr. (c) Saúl Domingo Soriano. Doutor candidato pela Universidad de León. Mestre em Direção Geral de Empresas pelo Institut Català de Tecnologia de Barcelona. Mestre em Consultoria e Tecnologias da Informação e-Business pela Universidad de Las Palmas de Gran Canaria, Espanha. Diretor de Projetos Finais de Mestrado e Especializações, FUNIBER.
  • Dra. (c) Gabriela Larrea Madinyá. Doutorado em Projetos, pela Universidad Internacional Iberoamericana (em processo). Mestrado em Direção Estratégica pela Universidad Politécnica de Cataluña. Expert em estratégias de comunicação e comercialização aplicando novas tecnologias.
  • Ms. Pedro Chávez Chiclayo. Engenheiro de Computação e Sistemas pela Universidad Antenor Orrego de Trujillo (Peru). Master in Computer Science na Universidade Estatal de Campinhas em São Paulo (Brasil).
  • Ms. Virginia Saman.Engenheira em Informática de Gestão da Universidad Santa María de Chile Campus Guayaquil. Mestrado em Logística (França).

Bolsa de Trabalho

A Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) destina periodicamente uma partida econômica com caráter extraordinário para o oferecimento de Bolsas de estudo em Formação FUNIBER. 

Para solicitá-la, preencha o formulário de solicitação de informação que aparece no portal FUNIBER ou entre em contato diretamente com a sede da fundação em seu país para saber se é necessário proporcionar alguma informação adicional.

Uma vez finalizado o Programa Acadêmico, os alunos que assim o desejarpoderão ingressar na Bolsa de Trabalho Ambiental. Para isso, deverãoremeter currículum vitae, indicando dados pessoais, acadêmicose de experiência profissional. Assim, o aluno estará informado dasofertas de trabalho que venham a surgir e que se ajustem a seu perfilprofissional.