Mestrado em Direção Estratégica de Empresas Familiares

Apresentação do Programa

Mestrado em Direção Estratégica de Empresas Familiares é um programa que abrange os conceitos fundamentais vinculados à gestão e à direção das empresas familiares, bem como os diferentes processos e ferramentas úteis para uma condução eficaz destas empresas.

Por meio da articulação pedagógica de fundamentos teóricos e discussão de casos práticos, dentro de um espaço de interação promovido pelos professores e pelo uso de um Campus Virtual, uma pessoa que finalize o Mestrado em Direção Estratégica de Empresas Familiares estará qualificada para:

  • Desenvolver as funções de Direção de Empresas Familiares aplicando as habilidades aprendidas no curso;
  • Compreender as particularidades das Empresas Familiares e gerir as relações Empresa – Família – Propriedade;
  • Propor idéias e soluções aos problemas apresentados nas Empresas Familiares, obtendo a sua perdurabilidade;
  • Conhecer e utilizar as ferramentas mais modernas no âmbito da gestão das Empresas Familiares;
  • Conhecer e desenvolver habilidades diretivas necessárias à direção de empresas familiares;
  • Conhecer outros aspectos gerais para a gestão integrada da empresa familiar como a gestão do meio ambiente, da qualidade e dos projetos empresariais.

A quem é dirigido

Mestrado em Direção Estratégica de Empresas Familiares destina-se a empresários, diretores, membros da família empresária e profissionais vinculados ao mundo das Empresas Familiares e a recém-graduados universitários que desejam adquirir conhecimentos sobre a Direção de Empresas Familiares.

Mestrado em Direção Estratégica de Empresas Familiares possibilita que seus participantes possam desenvolver suas atividades dentro do campo da Direção, Gestão das Empresas Familiares,em qualquer nível de direção bem como capacitar pessoas não diretamente relacionadas com a gestão das empresas familiares, mas que tenham algum tipo de interesse no tema, como: familiares e acionistas não diretores, além de consultores, docentes e pesquisadores.

Titulação

A superação com êxito no programa permitirá obter o grau de Mestrado em Direção Estratégica na Especialização de Empresas Familiares.

Os Diplomas serão expedidos pela Universidade na qual o aluno tenha sematriculado sob o patrocínio da Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER).

O Diploma será enviado ao aluno/a uma vez finalizado o Mestrado e formalizados os devidos pagamentos.

Estrutura do Programa

A duração estimada do Mestrado em Direção Estratégica de Empresas Familiares é de 940 horas (94 créditos).

Com relação à distribuição do tempo se estabelece que:

  • Por ser um curso a distância e não estar sujeito a aulas presenciais, não se estabelece uma data específica de início, razão pela qual o aluno pode formalizar a matrícula em qualquer momento, desde que haja vagas disponíveis;
  • Por motivos acadêmicos e de aprendizagem, dispõe-se de uma duração mínima do Programa de vinte meses, contabilizados a partir da data de entrega do primeiro volume até a data de recebimento do último exercício de avaliação;
  • O tempo máximo do qual se dispõe para realizar o Programa é de vinte e quatro meses. Neste período de tempo, o aluno deve ter superado com êxito todas as atividades avaliadas e aprovada a Dissertação de Mestrado.

A estrutura de créditos do Mestrado em Direção Estratégica de Empresas Familiares se apresenta na seguinte tabela:

  CRÉDITOS ECTSa DURAÇÃOb HORAS
1ª Parte: Direção, Organização e Gestão da Empresa Familiar 36 8 360
2ª Parte: Novas Ferramentas para a Gestão da Empresa Familiar 32 7 320
3ª Parte: Aspectos Globais para a Gestão da Empresa Familiar 16 6 160
4ª Parte: Dissertação de Mestrado 10 3 100
TOTAL 94 24 940

a. A equivalência em créditos pode variar de acordo com a universidade que titula 
b. Duração em meses

Objetivos

Objetivo geral:

  • Formar profissionais com uma visão global e estratégica da direção da empresa familiar proporcionando ao participante as ferramentas e técnicas mais avançadas para o êxito e perdurabilidade das empresas familiares.

Objetivos Particulares

  • Desenvolver as funções de Direção de Empresas Familiares aplicando as habilidades aprendidas no curso;
  • Compreender as particularidades das Empresas Familiares e gerir as relações Empresa – Família – Propriedade;
  • Propor idéias e soluções aos problemas apresentados nas Empresas Familiares, obtendo a sua perdurabilidade;
  • Conhecer e utilizar as ferramentas mais modernas no âmbito da gestão das Empresas Familiares;
  • Aplicar as capacidades e habilidades desenvolvidas no curso, possibilitando uma visão estratégica global da gestão das empresas familiares;
  • Conhecer e desenvolver habilidades diretivas necessárias à direção de empresas familiares;
  • Conhecer outros aspectos gerais para a gestão integrada da empresa familiar: meio ambiente, qualidade, gestão de projetos.

Saídas Profissionais

Algumas das saídas profissionais do Mestrado em Direção Estratégica de Empresas Familiares, entre outras, são:, entre otras, son:

  • Diretores de empresas familiares;
  • Membros do Conselho de Administração de Empresas Familiares;
  • Consultores de Empresas Familiares;
  • Especialistas e pesquisadores em Empresas Familiares.

Plano de estudos

O programa de Mestrado em Direção Estratégica de Empresas Familiares apresenta uma estrutura curricular baseada em 4 partes formativas:

  • 1ª Parte: Direção, Organização e Gestão da Empresa Familiar (360 horas)

A primeira parte permite uma visão geral do tema tratando disciplinas como a Direção e Planejamento Estratégico; Administração e Gestão de Custos; Controle e Gestão de Custos; Economia; Direção de Finanças; Gestão Estratégica de Recursos Humanos; Gestão e Direção de Operações; Logística; Marketing e Gestão Comercial e Integração dos Sistemas de Gestão Empresarial.

As disciplinas e as horas correspondentes que compõem a primeira parte se apresentam na seguinte tabela:

  • 2ª Parte: Novas ferramentas para a Gestão da Empresa Familiar (320 horas)

A segunda parte trata temas como Conceito e Características das Empresas Familiares; Clima e Cultura Organizacional; Sucessão e Continuidade na Empresa Familiar; Mudanças Geracionais e Incorporação de Familiares na Empresa; A Profissionalização da Empresa Familiar; Estrutura e Órgãos Governamentais; O Protocolo Familiar; A Gestão da Propriedade na Empresa Familiar; Fatores-chave de Êxito na Empresa Familiar; Criação; Internacionalização de Empresas Familiares e Aspectos Legais Básicos da Empresa Familiar.

As disciplinas e horas correspondentes que compõem a segunda parte se apresentam na seguinte tabela:

  • 3ª Parte: Aspectos Globais para a Gestão da Empresa Familiar (160 horas)

A terceira parte apresenta alguns dos desafios que os diretores das empresas familiares devem planejar nos próximos anos: Técnicas de Direção e Liderança; Técnicas de Direção de Equipes de Trabalho; Técnicas de Resolução de Conflitos e Negociação; Gestão do Conhecimento e Aprendizagem Organizacional e Ética Empresarial e Responsabilidade Social Corporativa.

As disciplinas e as horas correspondentes que compõem a terceira parte se apresentam na seguinte tabela:

Estas disciplinas, apesar de serem independentes entre si, estão estruturadas segundo uma ordem pedagógica coerente. Cada uma se divide em unidades temáticas básicas ou capítulos, cujo conteúdo inclui material impresso que deve ser estudado para responder satisfatoriamente às diversas atividades de avaliação.

  • 4ª Parte: Dissertação de Mestrado (100 horas)

A Dissertação de Mestrado, cuja carga letiva é de 100 horas - 10 créditos, tem como objetivo apresentar um documento completo que mostre o desenvolvimento total do projeto proposto, contemplando assim a possibilidade de sua execução específica.

# DISCIPLINAS HORAS
1 Dissertação de Mestrado 100

Descrições dos Cursos

1ª PARTE: DIREÇÃO, ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA EMPRESA FAMILIAR

  1. DIREÇÃO E PLANIFICAÇÃO ESTRATÉGICA

    Esta disciplina se enfoca no pensamento estratégico aplicado à direção e oferece um treinamento em ferramentas e mecanismos que facilitam a gestão contemporânea, aceitando a gestão da mudança como algo inerente aos entornos instáveis e variáveis em que se desenvolvem as organizações.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    A GESTÃO DA MUDANÇA COMO SUBSTRATO DA DIREÇÃO ESTRATÉGICA
    A mudança pessoal e organizacional. Alguns modelos para implementar uma mudança organizacional. A resistência à mudança. A participação no processo de mudança estratégica.
    A DIREÇÃO ESTRATÉGICA COMO UM MODELO DE MUDANÇA
    O pensamento estratégico e a direção estratégica. Apresentação de um modelo de planejamento estratégico validado internacionalmente. A matriz SWOT como um valioso instrumento do planejamento estratégico.
    A IMPLANTAÇÃO DA DIREÇÃO ESTRATÉGICA. AS ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS
    Cenários estratégicos. A visão. Análise do sistema de valores que sustentará a estratégia. Elaboração de estratégias empresariais. Objetivos e critérios de medida. Novos negócios. Crescimento. Consolidação. Revitalização.
  2. ADMINISTRAÇÃO E DIREÇÃO DE EMPRESAS

    Esta disciplina introduz o estudante nos conceitos e técnicas de administração e direção de empresas para compreender o significado, a natureza e o alcance da função de administrar uma empresa ou gerenciar um de seus subsistemas.

    EMPRESA
    Introdução. Empresa em contexto. Classificação empresarial. Setores, atividades e atividade empresarial. A empresa como sistema. Empresa e direção.
    ORGANIZAÇÃO EMPRESARIAL
    Introdução. Estruturação empresarial. Novas tendências na estruturação empresarial. Áreas funcionais / Funcionalidades da empresa.
    POLÍTICA, DIREÇÃO E GESTÃO EMPRESARIAL
    Introdução. Direção Estratégica. Direção táctica. Direção operativa.
    INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL: INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E CONHECIMENTO (ICC)
    Introdução. Informação (e dados) na empresa. Comunicação na empresa. Conhecimento na empresa. Sistemas de IIC empresariais: SI/TIC.
    SOCIOLOGIA, ECONOMIA E DIREITO NO ENTORNO EMPRESARIAL
    Introdução. Análise socioeconômica da empresa. Economia Empresarial. Direito empresarial.
    NOVA ECONOMIA E GESTÃO INTERNACIONAL
    Globalização: internacionalização e integração de mercados. Economia mundial e desenvolvimento. Negócio eletrônico (e-business). Negócio móvel (m-business).
    POLÍTICA ECONÔMICA, INDUSTRIAL E TECNOLÓGICA
    Introdução. Política econômica. Política industrial e tecnológica. Gestão da inovação e da tecnologia.
    DESENVOLVIMENTO, CONSOLIDAÇÃO, CRESCIMENTO E EMPREENDEDORISMO DE NEGÓCIOS
    Introdução. Desenvolvimento de novos negócios. Consolidação e crescimento de negócios. Empreendedorismo, criação e constituição de empresas. Projeto empresarial -plano empresarial- (strategy business plan).
  3. CONTROLE DE GESTÃO E CUSTOS

    Esta disciplina considera-se introdutória para a área; são revisados os conceitos fundamentais de contabilidade, para centralizar em seguida nos temas essenciais do controle e gestão de custos.

    Permite compreender o papel da informação nas organizações mediante a geração e análise de pressupostos entendido como o fundamento dos processos diretivos e de planejamento estratégico.

    CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE CUSTOS
    Conceitos fundamentais. Cálculo da margem no canal de distribuição. Margem porcentual. O ponto de equilíbrio. Aplicações do ponto de equilíbrio. Fortalecimento operativo: aumento de vendas e aumento de benefícios. Consideração em relação ao conceito de custos.
    CUSTOS PARA A TOMADA DE DECISÕES
    Esquema da conta de resultados para a tomada de decisões. Custos conjuntos. Custos de oportunidade. Custo ampliado. Custos fixos comuns.
    ESTRUTURA DE CUSTOS
    Problema freqüente nas empresas. Atribuição de custos aos produtos, serviços, departamentos da empresa ou clientes. Objetivos de custo. Classificação relevante de custos para a sua atribuição. Definição do propósito da atribuição: "Não há um único custo". Tipos de possíveis propósitos ou motivações para calcular o custo de um produto ou centro de custos. Critérios de atribuição de custos. Resumo para o cálculo de custo total de um produto, serviço, negócio ou linha de negócio. Método tradicional de custo. Outra alternativa ao método de custeio: sistema de custos baseados na atividade. Exemplo de aplicação do Sistema de Custeio ABC aos gastos de marketing: caso iogurte Colombo. Exemplo de aplicação do Sistema de Custeio ABC: caso ECN.W. Comparação entre o sistema tradicional e o sistema de custos baseados na atividade. Pontos a serem considerados na aplicação do sistema de custos baseados na atividade.
    ELABORAÇÃO E CONTROLE DE PRESSUPOSTOS
    Definição de pressuposto. Elaboração de um pressuposto. Controle de pressupostos. A atividade do controle na gestão empresarial.
    ALGUMAS IDÉIAS PARA ANÁLISE CONTÁBIL FINANCEIRA
    Os instrumentos que apresentam os estados financeiros. Mecânica do fluxo de fundos. Caixa gerada pelas operações (CGO). Conclusão.
  4. ECONOMIA

    Abrange os fatores macroeconômicos que influenciam nas empresas familiares. Mostra aspectos relacionados com a teoria econômica, como o consumo, a inflação, a demanda e o PIB.

    FATORES MACROECONÔMICOS
    ENTORNO FINANCEIRO
    LA TEORIA ECONÔMICA: O CONSUMO, A INFLAÇÃO, A DEMANDA E O PIB
  5. DIREÇÃO FINANCEIRA

    Esta disciplina se orienta a destacar os aspectos mais relevantes que configuram conceitualmente a direção financeira de qualquer empresa.

    EMPRESA E FINANÇAS EMPRESARIAIS
    Introdução. A função financeira na empresa. O objetivo financeiro da empresa. A estrutura financeira da empresa. As finanças e a saúde econômica da empresa. As finanças e a força financeira da empresa. As trajetórias econômico financeiras tipificadas. A direção financeira e os estados financeiros. A direção financeira e a normalização financeira-contábil.
    AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS COMO SUPORTES DE ANÁLISE
    A relevância diretiva das demosntrações econômico-financeiras. A equação básica do balanço. A demonstração de resultados do exercício (DRE).
    ANÁLISE DOS RESULTADOS DE GESTÃO
    Análise do lucro de exploração (LAJIR). Análise do LAIR. O lucro líquido (LL). Análise integrada da DRE. Análise da DRE analítica.
    ANÁLISE DA RENTABILIDADE OPERATIVA DA EMPRESA
    A rentabilidade operativa da empresa. A rentabilidade econômica (RE). As políticas geradas da RE. A rentabilidade financeira (RF). As políticas de geração da RF. O fator de fortalecimento financeiro.
    ANÁLISE DA GESTÃO DO CAPITAL CIRCULANTE
    O ciclo de exploração empresarial. Análise da rotação do capital circulante. Os inventários de existências. O investimento mínimo em capital circulante. Os desequilíbrios na gestão de existências. Os sistemas de controle de existências.
    ANÁLISE DA LIQUIDEZ OPERACIONAL
    A liquidez e a força financeira. A análise da liquidez empresarial. Cálculo das necessidades operacional de fundos. A gestão do crédito comercial aos clientes. Impacto do risco comercial. Gestão de crédito de fornecedores. A avaliação das existências.
    ANÁLISE DOS CUSTOS DA ESTRUTURA FINANCEIRA
    O custo da estrutura de capital. Métodos de cálculo do custo dos fundos próprios. O custo médio ponderado de capital (CMPC). A criação de valor para o acionista.
    ANÁLISE DAS DECISÕES DE INVESTIMENTO
    A decisão de investir. O perfil de um projeto de investimento. O cálculo do fluxo de fundos absorvidos. O cálculo do fluxo de fundos gerados. Os atributos econômico-financeiros de um projeto de investimento. Os métodos da avaliação econômica de um projeto de investimento.
    ANÁLISE DA RENTABILIDADE DOS PROJETOS DE INVESTIMENTO
    Método do valor presente líquido (VPL). Método da taxa interna de retorno (TIR). Análise comparativa entre a VPL e o TIR. Método do período de recuperação (pay-back). Cálculo do fluxo de caixa financeiro. O risco econômico nos investimentos.
  6. GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS

    Esta disciplina está orientada a projetar o marco conceitual e metodológico para reconhecer o enfoque sistêmico e estratégico da atual Gestão de Recursos Humanos (GRH).

    ESTRATÉGIA E GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS
    Caracterizar a atual gestão estratégica dos recursos humanos. Diferenciar modelos de gestão de recursos humanos que possibilitem sua manifestação sistêmica e estratégica.
    GRH: TECNOLOGIA PARA SEU DIAGNÓSTICO, PROJEÇÃO E CONTROLE
    Construir uma tecnologia para o diagnóstico, projeção e controle da gestão de recursos humanos. Utilizar técnicas e instrumentos para a realização da tecnologia de GRH antes enunciada.
    PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE RH E OTIMIZAÇÃO DE PLANILHAS
    Interpretar o processo integrador e sistêmico no qual se constitui o planejamento estratégico dos recursos humanos. Determinar e otimizar planilhas junto à consideração de seus principais indicadores tangíveis e tangíveis.
  7. GESTÃO E DIREÇÃO DE OPERAÇÕES

    Nesta disciplina são abordadas as atividades incluídas na gestão de operações e a logística desde os aspectos mais estratégicos vinculados às decisões de longo prazo como o desenho e a definição de produto (que oferecemos?) e o desenho e a análise do processo (como o obtemos?), passando pelas decisões tácticas e operativas de planejamento presentes na atividade a médio e curto prazos (quanto, como e onde oferecemos?), com o apoio indiscutível das atividades logísticas que tornam viável o plano. Neste sentido, a logística é revisada como uma forma de dar resposta oportuna aos requerimentos a um menor custo possível.

    DESENHO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO
    PROGNÓSTICOS
    PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO
    SISTEMAS SINCRONIZADOS DE PRODUÇÃO
    A GESTÃO DA CADEIA DE FORNECIMENTO
    Introdução. Gestão do sistema logístico. Cadeia de fornecimentos. Importância da logística e da cadeia de fornecimentos. Os custos da logística. A logística como serviço. As linhas de fornecimentos e distribuição globais. A logística e a cadeia de fornecimentos na estratégia. A logística e a cadeia de fornecimentos na geração de valor. Estratégia da logística e da cadeia de fornecimentos. Planejamento da logística e da cadeia de fornecimentos. Áreas do planejamento logístico.
    A FUNÇÃO DE COMPRAS E ABASTECIMENTO
    Introdução. Objetivos e importância da função de compras e sua relação com as demais empresas. Planejamento Estratégico da função de compras. Modelo de Análise dos processos de compra.
    PROGRAMAÇÃO DA PRODUÇÃO
  8. LOGÍSTICA

    Esta disciplina permitirá conhecer e compreender o conceito de logística dentro das operações organizacionais para dominar a gerência da aquisição, movimento e armazenamento de produtos, e o controle de inventários, e a informação associada a todos eles.

    MARCO CONCEITUAL DA LOGÍSTICA
    Introdução. Gestão do sistema logístico. Cadeia de fornecimentos. Planejamento.
    GESTÃO DE INVENTÁRIOS
    Introdução. Definição e tipos de inventário. Medição do rendimento dos sistemas de inventário. Custos de inventário. Distribuição de inventários por valor. Sistemas de Inventário.
    GESTÃO DE ARMAZÉNS
    Introdução. Visão da gestão de armazéns. Critérios. Embalagens.
    PROVIMENTO
    Introdução. Objetivos da função de compras. Planejamento estratégico da função de compras. Modelos de análise.
  9. MARKETING

    Esta disciplinas é destinada à compreensão do funcionamento do marketing e das vendas na empresa, introduzindo os conceitos e as técnicas de marketing e de gestão comercial, e à compreensão do significado, da natureza e do alcance da função comercial.

    MARKETING E ORGANIZAÇÃO, POLÍTICA, GESTÃO E DIREÇÃO COMERCIAL
    Marketing. Conceito e estratégia de marketing. Organização comercial. Política comercial (marketing estratégico). Gestão e Direção comercial (marketing táctico e operativo).
    ANÁLISE COMERCIAL E ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO MERCADO
    Análise comercial (análise, segmentação, comportamento consumidor-comprador, pesquisa de mercados). Adaptação às mudanças do mercado.
    FUNÇÃO COMERCIAL
    Política, gestão e direção de marcas, produtos e/ou serviços. Publicidade e promoção: informação e comunicação no marketing. Comercialização e distribuição do produto e/ou serviço.
    TÉCNICAS DE MARKETING, VENDA E NEGOCIAÇÃO COMERCIAL
    Técnicas de marketing. Técnicas de venda e negociação comercial. Gestão de relações com clientes (CRM).
    COMÉRCIO ELETRÔNICO E MARKETING
    Introdução ao comércio eletrônico (e-commerce). Marketing: organização do campo para sua aplicação na rede (programação, aproximação às pessoas, finalidade e fidelização, e-marketing). Técnicas de marketing para a rede.
    MARKETING INTERNACIONAL
    Comércio Internacional, mercados exteriores e política de marketing. Mercados globais e áreas mundiais de comércio internacional. Estratégia comercial e internacional. Estratégia exportadora. Plano de marketing internacional.
    PLANO DE AÇÃO COMERCIAL
    Processo de planejamento, execução e controle da estratégia de marketing. Desenho de estratégias de marketing. Plano comercial (plano de marketing e vendas).
  10. E-BUSINESS E SUA INTEGRAÇÃO COM OS SISTEMAS CORPORATIVOS DE GESTÃO

    Esta disciplina propicia uma ampla e extensa visão do conceito e da noção de integração empresarial mediante a informação, revisando a integração sob os aspectos organizacional e tecnológico, e os conceitos essenciais da integração baseada em TICs como ERP, SCM e CRM.

    VISÃO ORGANIZACIONAL DA INTEGRAÇÃO: FORNECIMENTOS, CLIENTES E SISTEMAS
    Introdução. Fundamentos. Cadeia de valor. Exemplo de Integração de Cadeias de fornecimentos. Reflexões.
    VISÃO TECNOLÓGICA DA INTEGRAÇÃO: ASPECTOS CONCEITUAIS DE INTEGRAÇÃO E-BUSINESS
    Importância de e-business. Mudança organizacional. Estratégia do negócio. E-Business: implementação.
    SISTEMAS DE PLANEJAMENTO EMPRESARIAL (ERP)
    Aspectos conceituais. Integração na gestão da informação. Integração dos ERPs. Seleção do fornecedor. Impacto estratégico no retorno do investimento.
    GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ERA DIGITAL
    Introdução. Mudanças empresas. Gestão de recursos humanos. A tecnologia na gestão do recurso humano.
    GESTÃO DAS RELAÇÕES DE FORNECEDORES (SCM)
    Introdução. A cadeia de fornecimentos. Definição. Gestão da cadeia de fornecimentos. Execução do SCM no e-business. Reflexões.
    GESTÃO DE RELAÇÕES DOS CLIENTES (CRM)
    Introdução. Aspectos conceituais. Estratégia. Implementação. Escolha do fornecedor. Integração.

2ª PARTE: NOVAS FERRAMENTAS PARA A GESTÃO DA EMPRESA FAMILIAR

  1. CONCEITO E CARACTERÍSTICAS DAS EMPRESAS FAMILIARES

    Esta disciplina apresenta as características e as formas de organização das empresas familiares e ajuda a entender a coexistência de valores de família empresariais e seus impactos na empresa. Analisa os mecanismos que geram a Harmonia e as potenciais fontes de conflitos nas famílias.

    CARACTERÍSTICAS E FORMAS DE ORGANIZAÇÃO DAS EMPRESAS FAMILIARES
    VALORES DE FAMÍLIA E VALORES DE EMPRESA
    HARMONIA E CONFLITOS EM FAMÍLIAS COM EMPRESAS
  2. CULTURA E CLIMA ORGANIZACIONAL NAS EMPRESAS FAMILIARES

    Analisar os aspectos mais relevantes sobre os conceitos e enfoques teóricos mais representativos de cultura e clima organizacional. Seu objetivo pincipal é tomar conciência da importâancia do desenvolvimento da cultura e clima organizacional, em que a unidade e compromisso são as forças essenciais das "boas" Empresas Familiares.

    O INDIVÍDUO NA EMPRESA FAMILIAR
    Interação indivíduo-empresa, estrutura humana, sistemas de gestão do componente humano.
    CULTURA ORGANIZACIONAL
    Conceitos da cultura organizacional, valores, mudança organizacional, transmissão da cultura organizacional e familiar.
    CLIMA ORGANIZACIONAL
    Conceitos sobre clima, fatores que contribuem ao clima organizacional, a liderança ressonante, recursos para criar um ambiente benéfico na empresa familiar.
  3. SUCESSÃO E CONTINUIDADE NA EMPRESA FAMILIAR

    Estuda a necessidade de um plano de sucessão para garantir a continuidade das empresas familiares e o processo de preparo não apenas do sucessor mas de toda a organização para esse processo.

    PLANO DE SUCESSÃO. CONTINUIDADE
    PREPARAÇÃO DE SUCESSORES
    O MOMENTO DE INICIAR A SUCESSÃO
    ANÁLISE DAS OPÇÕES NA SUCESSÃO
    O PLANEJAMENTO DO PROCESSO DE SUCESSÃO
  4. O ENFOQUE SISTÊMICO APLICADO AO CONFLITO NA EMPRESA FAMILIAR

    Essa disciplina aborda os aspectos psicológicos e afetivos no âmbito da empresa familiar por serem naturais causas de conflito entre seus membros, influenciando tanto a dinâmica familiar quanto o dia-a-dia da empresa familiar, especificamente no que tange à tomada de decisões.

    A FAMÍLIA EMPRESÁRIA E O CONFLITO FAMILIAR
    A FAMÍLIA EMPRESÁRIA E O SISTEMA FAMILIAR
    ESTRATÉGIAS DE INTERVENÇÃO NO CONFLITO NA EMPRESA FAMILIAR
  5. A PROFISSIONALIZAÇÃO DA EMPRESA FAMILIAR

    Inclui a problemática do profissionalismo nas empresas familiares, o processo de inserção de profissionais nas empresas familiares e os aspectos fundamentais para que os profissionais externos estejam motivados nas empresas familiares.

    PROFISSIONALISMO, MOTIVAÇÃO, INSERÇÃO DE PROFISSIONAIS EXTERNOS
  6. ESTRUTURA E ÓRGÃOS DE GOVERNO

    Esta disciplina aprofunda nos diferentes órgãos governamentais nas empresas familiares: conselho de administração, junta de acionistas, assembléia de família, conselho familiar, conselho assessor, etc. Apresenta as características, composições, poder, competências e funções de cada órgão.

    DIFERENÇA ENTRE GOVERNO E GESTÃO
    OS ÓRGÃOS GOVERNAMENTAIS (CONSELHOS, JUNTAS E ASSEMBLÉIAS)
    AS CARACTERÍSTICAS E AS FUNÇÕES DE CADA ÓRGÃO E SUAS INTER-RELAÇÕES
    COMPOSIÇÕES E PODER DOS ÓRGÃOS GOVERNAMENTAIS
  7. O PROTOCOLO FAMILIAR

    Apresenta os potenciais conflitos que possam existir nas empresas familiares. Compreende o processo de elaboração do protocolo familiar e seus efeitos, como um instrumento capaz de promover acordos e pactos relativos à propriedade, à família e à empresa.

    CONCEITO DE PROTOCOLO
    FINALIDADE
    TIPOS
    ASPECTOS LEGAIS
    O PROCESSO DE ELABORAÇÃO DE UM PROTOCOLO
    RELAÇÃO COM A EMPRESA
  8. A GESTÃO DA PROPRIEDADE NA EMPRESA FAMILIAR

    Apresenta as diversas modalidades de remuneração que podem perceber os acionistas diretivos e os acionistas não diretivos. Analisa o processo de valoração de ações e sua rentabilidade e diferentes tipos de organização da propriedade nas empresas familiares.

    SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO DE ACIONISTAS
    VALORAÇÃO DE AÇÕES
    ORGANIZAÇÃO DA PROPRIEDADE NAS EMPRESAS FAMILIARES
  9. FATORES-CHAVE DE ÊXITO NA EMPRESA FAMILIAR

    Analisa os aspectos que conduzem ao êxito de empresas familiares centenárias. Apresenta casos com êxitos, destacando as características comuns.

    CARACTERÍSTICAS DAS EMPRESAS FAMILIARES DURADOURAS
    ASPECTOS QUE CONDUZEM AO ÊXITO
  10. CRIAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS FAMILIARES

    Oferecer os conhecimentos e as ferramentas necessárias para definir uma estratégia competitiva e assim criar uma empresa que se posicione no mercado objetivo conforme o caso. Analisa aqueles fatores que influenciam no posicionamento internacional de uma empresa familiar visando assim ter a capacidade de estabelecer e conduzir um plano de desenvolvimento internacional adaptando-se às diferentes culturas e mercados.

    CRIAÇÃO DE EMPRESAS
    O PROCESSO DE INTERNACIONALIZAÇÃO
    CULTURAS E MERCADOS DIFERENTES
  11. ASPECTOS LEGAIS BÁSICOS DA EMPRESA FAMILIAR

    Apresenta de maneira geral os aspectos legais que são indispensáveis no momento de criar uma empresa familiar. Em favor de dar continuidade ao negócio e evitar a extinção, é necessário que os diretores conheçam e ajustem os aspectos jurídicos e fiscais de sua empresa, tal como estabelecem os códigos comerciais de cada país.

    Diferentes figuras para a constituição de uma empresa familiar, Pessoas físicas, pessoas morais, tipos de sociedades, anônimas e cooperativas, Sociedade Limitada para Novas Empresas Familiares.Vantagens e desvantagens dos tipos de sociedades; Regimes fiscais em empresas familiares.

3ª PARTE: ASPECTOS GLOBAIS PARA A GESTÃO DA EMPRESA FAMILIAR

  1. TÉCNICAS DE DIREÇÃO E LIDERANÇA

    O objetivo geral desta disciplina é conhecer e aprofundar nos estilos de liderança e direção, sua relação, diferenças, importância e enfoques teóricos, bem como as competências e habilidades necessárias para seu exercício.

    INTRODUÇÃO À IMPORTÂNCIA DA LIDERANÇA E DA DIREÇÃO EMPRESARIAL
    Introdução. O principal recurso humano: as pessoas. A direção e a psicologia social. O que é a liderança? Definição, diferenças e funções do líder e do diretor. A cultura empresarial, os valores e os processos de mudança. Importância da liderança organizacional.
    ENFOQUES TEÓRICOS NO ESTUDO DA DIREÇÃO E DA LIDERANÇA: A EVOLUÇÃO
    Introdução. Pré-história da liderança. A revolução industrial, a escola clássica da organização científica - o líder autoritário. Escola das relações humanas - o líder democrático. Modelo burocrático - o líder carismático. A teoria behaviorista - teoria das características - o líder e as qualidades psicológicas. O desenvolvimento organizacional - o líder grupal. Direção participativa. Escola sistêmica da administração - teorias da contingência. Líder orientado à tarefa e orientado às relações. Direção estratégica - mudança por valores - competências.
    ESTILOS DE LIDERANÇA
    Introdução. Definições. Estilo de liderança. Estilos clássicos de liderança. Outros tipos de liderança. Modelos de estilos de liderança contemporâneos. Princípios essenciais dos líderes na gestão de pessoas. Liderança eficiente.
    COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO LÍDER E DO DIRETOR: TÉCNICAS E FERRAMENTAS
    Introdução. As competências e as habilidades do líder e do diretor. Análise dos resultados de uma pesquisa comparativa de diretores turísticos líderes e não líderes em relação ao nível de desempenho. Avaliação das características pessoais. Técnicas e ferramentas para o trabalho do líder.
  2. TÉCNICAS DE DIREÇÃO DE EQUIPES DE TRABALHO

    Esta disciplina apresenta os elementos teóricos e práticos sobre os grupos e as equipes de trabalho, suas características e as técnicas e ferramentas para uma gestão eficiente.

    AS EQUIPES DE TRABALHO
    Introdução. Considerações gerais. Formação de equipes. A diversidade dos tipos de grupos. Diferenças entre grupos e equipes de trabalho. Os sistemas de alto rendimento e a direção participativa. Normas de equipe. As habilidades diretivas para o trabalho em equipe. A legitimização das percepções. Regras de trabalho em equipe. O consenso. Três elementos chave para o trabalho em equipe. Características das equipes eficientes. Erros mais frequentes na direção de equipes de trabalho. Gestão de conflitos.
    PRINCIPAIS FERRAMENTAS PARA APERFEIÇOAR AS EQUIPES
    Introdução. Interação entre os interesses individuais e coletivos. A autorrealização pessoal no trabalho da equipe. A liderança e as equipes autodirigidas. Exercício prático: os 7 hábitos da liderança. O oitavo hábito da liderança. A inteligência emocional na equipe. Você é uma pessoa assertiva? Redes sociométricas, o sociograma. O teste de avaliação do grupo. Psicodrama. As reuniões e as sessões de trabalho em equipe. O método de interação. A delegação, a autonomia e a independência. A direção por objetivos e resultados.
    A TOMADA DE DECISÕES EM EQUIPE: TÉCNICAS PARA O TRABALHO EM EQUIPE
    Introdução. Empowermet. Considerações sobre a tomada de decisões. Fatores dos quais depende o processo de tomada de decisões. As técnicas de geração de ideias. Técnicas centradas no estabelecimento do consenso. Técnicas centradas em organizar ideias. A criatividade. Fechaduras mentais da criatividade.
  3. TÉCNICAS DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS E NEGOCIAÇÃO

    Esta disciplina abarca informações para ajudar a entender os aspectos teóricos e práticos relacionados ao conflito e as estratégias de resolução mais usuais: Negociação, Mediação e Arbitragem, entre outras.

    INTRODUÇÃO À ANÁLISE DE CONFLITOS
    Teorias sobre a origem e as causas dos conflitos. Classes ou tipos de conflitos. Formas de expressão de conflitos. Origens ou causas dos conflitos. Fases ou etapas dos conflitos. Consequências dos conflitos. Conclusões.
    ESTRATÉGIAS OU MÉTODOS PARA RESOLVER CONFLITOS
    Direção do conflito (fases e curva de resolução). Introdução às estratégias de resolução de conflitos. Estratégias de negociação. Estratégia de mediação (facilitação e consulta). Estratégia de arbitragem.
    COMPETÊNCIAS E HABILIDADES PARA RESOLVER CONFLITOS
    Competências emocionais necessárias na resolução de conflitos. Competências pessoais, competências sociais. Habilidades sociais. Competências mais relacionadas ao comercial. Habilidades dos especialistas em resolução de conflitos. Conclusões.
  4. GESTÃO DO CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL

    Esta disciplina analisa cada uma das tipologias do conhecimento gerado nas empresas para a gestão, o diagnóstico, a distribuição e a disponibilização da informação como fatores-chave de sucesso. Também apresenta os processos de aprendizagem organizacional relacionados e de acordo com a gestão do conhecimento organizacional.

    A GESTÃO DO CONHECIMENTO (CONHECIMENTO E GESTÃO, OBJETIVOS DA GESTÃO DO CONHECIMENTO, PROPRIEDADES E TIPOLOGIAS, FERRAMENTAS E IMPLANTAÇÃO)
    NOVOS PARADIGMAS NA DOCÊNCIA E PESQUISA (E-LEARNING)
    APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL E MODELOS DE MATURIDADE (A ORGANIZAÇÃO QUE APRENDE, PESQUISA-AÇÃO OU A GESTÃO DA TEORIA E DA PRÁTICA, MODELOS DE MATURIDADE DE APRENDIZAGEM)
  5. ÉTICA EMPRESARIAL E RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA

    Esta disciplina contempla os principais conceitos para dominar a importância e a vigência da Ética Empresarial e da Responsabilidade Social Corporativa, reconhecendo como uma ferramenta eficiente para alcançar a competitividade. Ao final do estudo dos três capítulos, o aluno será capaz de conhecer a fundo o conceito de ética e de responsabilidade social, sua vigência e caráter universal, assim como os padrões éticos e sua relação com a eficiência empresarial. Também dominará a relação existente entre ética empresarial, valores, competitividade, eficiência e eficácia e será capaz de estabelecer as vias e ações necessárias para que a empresa (e/ou o líder da empresa) possuam um comportamento ético e responsável.

    FUNDAMENTOS DE ÉTICA EMPRESARIAL E A RESPONSABILIDADE SOCIAL
    Evolução histórica da ética. Seu caráter universal. Autores mais representativos no âmbito de estudo da ética. Definição de ética. Métodos de estudo. Motivos para agir com inteligência. Necessidade de considerar os interesses alheios. Atuação ética, perspectiva da empresa. Padrões éticos e eficiência empresarial. Princípios fundamentais da Ética Empresarial. Necessidades de um planejamento de vida. Ética, legalidade e valores. Valores compartilhados. Por que o crescente interesse pela ética empresarial? Exercícios.
    NECESSIDADE DA ÉTICA EMPRESARIAL E A RESPONSABILIDADE SOCIAL
    Conceito de empresa e sociedade. Problemática das PMEs. A empresa como sistema e parte integrante da sociedade. A empresa como sistema produtivo. Ética e sociedade. O caráter ordenador da ética na sociedade. A Ética Empresarial. A ética e a competitividade. A Responsabilidade Social Corporativa, prioridades e finalidade de uma empresa ética. A gestão sustentável da empresa. A responsabilidade para clientes, funcionários e outros stakeholders. A formação ética como necessidade de obter um clima de negócios mais seguro. Vantagens de obter um código de ética totalmente estabelecido. Aspectos negativos de uma má utilização da ética nas organizações. Casos e Exercícios.
    O FATOR HUMANO COMO CENTRO DA ÉTICA EMPRESARIAL E DA RESPONSABILIDADE SOCIAL
    As pessoas como fonte de lucros e não de custos. As avaliações de Recursos Humanos (RH). A evolução do capital humano e do capital intelectual. Cultura empresarial, motivação, sentido de participação e liderança. Variáveis da atuação ética de uma comunidade empresarial. Conjugação do clima organizacional, a comunicação e a autoridade para determinar valores éticos. Relação da Ética Empresarial com as tendências atuais da gestão. Inovação, ciência e tecnologia. A ética e o comércio eletrônico. Exercícios.

4ª PARTE: DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

A última parte do Mestrado é destinada à realização da tese ou plano empresarial. Esse trabalho pode-se iniciar após finalizar a segunda parte, na qual são tratados os temas da empresa familiar.

A metodologia utilizada no curso possibilita ao aluno desenvolver, desde o início, trabalhos que possam ser utilizados ao final para a elaboração da tese ou plano empresarial. A tese será um trabalho de pesquisa no qual o autor realiza uma reflexão sobre alguns dos temas que lhe interessem, relacionados à Direção de Empresas Familiares.

O plano empresarial será a aplicação dos conhecimentos adquiridos durante o curso na realidade de alguma empresa familiar real ou na criação de uma nova empresa. Seu conteúdo se ajustará às normas que, para estes efeitos, estejam definidas.

A elaboração da Dissertação de Mestrado poderá começar paralelamente ao estudo das disciplinas do Programa, segundo a conveniência e a disponibilidade do aluno. No entanto, aconselha-se dedicar aproximadamente o último semestre do Mestrado para sua elaboração e redação definitiva.

O trabalho será supervisionado por um professor-tutor designado em função da temática escolhida.


Nota:O conteúdo do programa acadêmico pode estar submetido a pequenas modificações, em função das atualizações ou das melhorias efetuadas.

Direção

  • Dra. Silvia Aparicio.
    Doctora en Ciencias Económicas por la Universidad Autónoma de Madrid y Licenciada en Administración y Dirección de Empresas por la Universidad de Cantabria. Directora Académica Internacional del Área de Desarrollo Directivo, Organización Empresarial y Recursos Humanos de la Fundación Universitaria Iberoamericana, FUNIBER.
  • Dr. Salvador Rus Rufino
    Doutor em Filosofia, pela Universidad de Navarra. Doutor em História, pela Universidad de León. Professor Titular da Universidad de León. Diretor da Cátedra de História da Empresa Familiar, Universidad de León.
  • Dra. Cristina Hidalgo González
    Doutora em Ciências Empresariais pela Universidad de León. Professora Titular do Departamento de Economia Aplicada da Universidad de León.
  • Dra (c). Carmen Lilí Rodríguez Velasco
    Doutorado em Educação, pela Universidad Internacional Iberoamericana (em processo). Mestrado em Psicologia Laboral e Organizacional pela Universidad de La Habana, Cuba. Coordenadora Acadêmica Internacional da Área Desenvolvimento Diretivo, Organização Empresarial e Recursos Humanos, FUNIBER.
  • Dra (c). Andrea Gutiérrez Jiménez
    Doutorado em Projetos, pela Universidad Internacional Iberoamericana (em processo). Mestre em Recursos Humanos e Gestão do Conhecimento da Universidad de León (Espanha). Coordenadora Acadêmica do Programa Mestrado em Direção Estratégica de Empresas Familiares e suas Especializações.

Professores e Autores

  • Dr. Manuel Maeda Takeuchi. Professor de Programas de Engenharia e Administração de Empresas, Universidad de Piura, Peru. Experiência Gerencial em Administração, Projetos de Corporação, Administração de Operações e Administração e Finanças. 
  • Dr. Salvador Rus Rufino. Doutor em Filosofia, pela Universidad de Navarra. Doutor em História, pela Universidad de León. Professor Titular da Universidad de León. Diretor da Cátedra de História da Empresa Familiar, Universidad de León. 
  • Dra. Cristina Hidalgo González. Doutora em Ciências Empresariais pela Universidad de León. Professora Titular do Departamento de Economia Aplicada da Universidad de León.
  • Dr. Francisco J. Hidalgo Trujillo. Doutor em Engenharia de Projetos: Ambiente, Segurança, Qualidade e Comunicação, pela Universidad Politécnica de Cataluña. Assessor e consultor de organizações. Analista de processos estratégicos e de desenvolvimento empresarial. 
  • Dr. Rubén Calderón Iglesias. Doutor em Economia pela Universidad Antonio de Nebrija, Espanha. Professor da Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dra (c). Julién Brito Ballester. Doutorado em Projetos, pela Universidad Internacional Iberoamericana (em processo). Mestrado em Psicologia Laboral e Organizacional pela Universidad de Habana, Cuba. Mestrado em Gestão de Recursos Humanos pela Universidad Autónoma de Barcelona. Mestrado em Coaching Sistêmico pela Universidad Autónoma de Barcelona. Consultora Internacional e Expert em Gestão de Recursos Humanos, Formação, Desenvolvimento e Competências Profissionais. 
  • Dra (c). Andrea Gutiérrez Jiménez. Doutorado em Projetos, pela Universidad Internacional Iberoamericana (em processo). Mestre em Recursos Humanos e Gestão do Conhecimento da Universidad de León (Espanha). Coordenadora de Programas e Professora da FUNIBER. 
  • Dra (c). Carmen Mary González Fernández. Doutorado em Projetos, pela Universidad Internacional Iberoamericana (em processo). Mestrado em Direção Estratégica de Empresas Familiares pela Universidad de León, Espanha. Consultora de processos. Empresaria Familiar. Professora da FUNIBER.
  • Dr (c). Diego J. Kurtz. Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento pelo PPGEGC – UFSC (em processo). Mestrado em International Business - Wiesbaden Business School, Alemanha. Pesquisador do Núcleo de Gestão para a Sustentabilidade (www.ngs.ufsc.br) e Pesquisador Junior do Projeto Dynamic SME (www.dynamic-sme.org). Coordenador de Programas e Professor da FUNIBER.
  • Dra (c). Diana Patricia Cortés Díaz. Doutorado em Projetos, pela Universidad Internacional Iberoamericana (em processo). Mestrado em Recursos Humanos e Gestão do Conhecimento da Universidad de León (Espanha). Consultora especializada em Direito Laboral e Segurança Social. Coordenadora de Programas e Professora da FUNIBER.
  • Dra (c). Carmen Lilí Rodríguez Velasco. Doutorado em Educação, pela Universidad Internacional Iberoamericana (em processo). Mestrado em Psicologia Laboral e Organizacional pela Universidad de La Habana, Cuba. Coordenadora Acadêmica Internacional da Área Desenvolvimento Diretivo, Organização Empresarial e Recursos Humanos, FUNIBER.
  • Ms. María Eugenia Luna Borgaro. Mestrado em Recursos Humanos e Gestão do Conhecimento da Universidad de León, Espanha. Expert em Gestão de Recursos Humanos e Habilidades Diretivas. Professora da FUNIBER. 

Bolsa de Trabalho

A Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) destina periodicamente uma partida econômica com caráter extraordinário para o oferecimento de Bolsas de estudo em Formação FUNIBER. 

Para solicitá-la, preencha o formulário de solicitação de informação que aparece no portal FUNIBER ou entre em contato diretamente com a sede da fundação em seu país para saber se é necessário proporcionar alguma informação adicional.

Uma vez finalizado o Programa Acadêmico, os alunos que assim o desejarpoderão ingressar na Bolsa de Trabalho Ambiental. Para isso, deverãoremeter currículum vitae, indicando dados pessoais, acadêmicose de experiência profissional. Assim, o aluno estará informado dasofertas de trabalho que venham a surgir e que se ajustem a seu perfilprofissional.