Mestrado em Gerontologia

Apresentação do Programa

A Gerontologia configura-se, hoje em dia, como uma das áreas prioritárias e que desperta maior interesse em diferentes disciplinas. É por essa razão que uma formação ampla e específica dirigida a todos os profissionais envolvidos no tema do envelhecimento tem-se convertido em uma demanda importante. A Gerontologia configura-se como uma das principais frentes de emprego, em nível nacional e internacional.

A Gerontologia é o estudo dos processos de envelhecimento e dos indivíduos conforme passam da infância às etapas posteriores. Engloba desde o estudo das mudanças físicas, sociais e mentais nos idosos até a pesquisa das mudanças na sociedade que resultam do envelhecimento cada vez maior da população.

Os idosos são muito diferentes uns dos outros; conforme envelhecem, as necessidades, os recursos e as capacidades variam. O campo do envelhecimento é muito variado e oferece muitas oportunidades de emprego. A tendência do envelhecimento da sociedade provoca uma demanda de profissionais com conhecimentos técnicos no envelhecimento.

Finalmente, destaca-se a grande demanda pela formação em Gerontologia.

Este Curso/Mestrado não apenas permitirá especializar-se em Gerontologia, mas também facilitar, de uma maneira importante, a atuação em Gerontologia, permitindo que seus conteúdos, suas ferramentas metodológicas e informáticas formem o profissional para cobrir a grande demanda em formação de Gerontologia.

A quem é dirigido

A metodologia de formação proposta somada à claridade, amplitude e didática do desenho dos conteúdos, permite dirigir o Mestrado em Gerontologia a:

  • Profissionais Licenciados em Psicologia, Medicina, Enfermaria, Terapia Ocupacional, Trabalho Social, Sociologia, Fisioterapia, Quinesiólogos, Animadores socioculturais, Economia e Direito.
  • Outros licenciados/diplomados universitários interessados.

Mestrado em Gerontologia será um complemento ideal para enriquecer qualquer formação de pré-graduação ou de pós-graduação para alguém interessado em especializar-se em temas sócio-sanitários. 

Titulação

A conclusão com sucesso do Programa permitirá que você obtenha a titulação de Mestrado em Gerontologia.

Após a conclusão com êxito do Programa, o aluno receberá o diploma emitido pela Universidade em que se matriculou.

Estrutura do Programa

A duração estimada para a realização do Mestrado em Gerontologia é de 90 créditosa.

Com relação à distribuição do tempo se estabelece que:

  • Por ser um curso a distância e não estar sujeito a aulas presenciais, não se estabelece uma data específica de início, razão pela qual o aluno pode formalizar a matrícula em qualquer momento, desde que haja vagas disponíveis;
  • Por motivos acadêmicos e de aprendizagem, disponibiliza-se de uma duração mínima do Curso de 6 meses.
  • O tempo máximo do qual se disponibiliza para realizar o curso é de 24 meses. Neste período de tempo, o aluno deverá entregar todos os trabalhos correspondentes ao curso.

A estrutura de créditos do programa de Mestrado em Gerontologia é apresentada na tabela a seguir:

  CRÉDITOSa DURAÇÂOb HORAS
Bloco 1: Módulo obrigatório 45 12 450
Bloco 2: Módulo optativo 25 6 250
Bloco 3: Practicumc e Projeto Final de Mestrado 20 6 200
TOTAL 90 24 900

a. O número de créditos pode variar de acordo com a Universidade que emite o título. Um (1) crédito ECTS (European CreditTransfer System) equivale a 10 + 15 horas. Se o aluno cursa o programa matriculado em uma universidade não pertencente ao Espaço Europeu do Ensino Superior (EEES), a relação entre créditos e horário pode variar.
b. Duração em meses
c. Existe a possibilidade de concluir o mestrado sem a realização das práticas. Consulte a secretaria acadêmica.

Objetivos

Objetivo Geral

  • Conhecer processos básicos sobre direção, gestão e controle de qualidade de centros gerontológicos assim como também, obter uma visão global dos diferentes aspectos relacionados a gerontologia.

Objetivos Específicos

  • Obter uma visão global sobre os diferentes aspectos relacionados com a gerontologia.
  • Identificar manifestações clínicas das principais síndromes geriátricas para uma adequada caracterização diagnóstica dos processos patológicos no contexto do envelhecimento.
  • Criar programas de intervenção destinados às pessoas idosas doentes, selecionando as fases, os objetivos, os procedimentos e os instrumentos mais apropriados segundo as características do problema e do contexto.
  • Planejar programas de intervenção social e ambiental que ajudam a melhorar a qualidade de vida das pessoas idosas.
  • Criar planos estratégicos interdisciplinares para aplicação no contexto da saúde.
  • Planejar as bases da alimentação e nutrição enquanto parte da estratégia da atenção integral da pessoa com idade avançada para diminuir a mobilidade e mortalidade prematura e melhorar a qualidade de vida.
  • Adequar as implicações sociais e éticas da intervenção das pessoas idosas e respeitar e defender os direitos das pessoas da terceira idade em todos os seus contextos.
  • Conhecer, selecionar e aplicar as características arquitetônicas adequadas para a vida cotidiana das pessoas idosas, assim como conhecer a variedade de tecnologias e auxílios técnicos disponíveis para as pessoas idosas com deficiências.
  • Planejar e assessorar os diferentes tipos de programas sociais dirigidos a pessoas da terceira idade que envolvam ajuda domiciliar, teleassistência, serviços comunitários, apoio informal e programas de animação sociocultural.
  • Conhecer e aplicar as habilidades de comunicação positiva para a intervenção com pessoas saudáveis e doentes a partir da perspectiva de relação de ajuda, counselling, como modelo favorecedor de comunicação em intervenção gerontológica.

Saídas Profissionais

Algumas das saídas profissionais do Mestrado em Gerontologia são as seguintes:

  • Profissionais que desejem especializar-se em temas relacionados ao idoso;
  • Profissionais que atuam como assessores ou consultores em temas de gestão econômica, arquitetônicos ou legais de centros da Terceira Idade;
  • Pessoal de serviços sociais comunitários;
  • Avaliador clínico dos processos de envelhecimento;
  • Trabalhadores de Centros Residenciais em diferentes níveis;
  • Colaboradores de Associações de idosos (Alzheimer, etc.);
  • Docente de Aulas de Terceira Idade;
  • Colaboradores em ONG de idosos.

Plano de estudos

O Mestrado em Gerontologia tem uma estrutura curricular baseada em 3 blocos formativos que buscam situar o estudante em um marco real segundo um conhecimento contínuo e especializado sobre este tema. Os blocos são:

  • BLOCO 1: MÓDULO OBRIGATÓRIO

O bloco 1 permite compreender toda a complexidade em relação ao campo da Gerontologia, desde seus fundamentos teóricos, conceituais e históricos até sua implementação organizacional e intervenção geral.

As disciplinas e créditos correspondentes são apresentados na tabela a seguir:

  • BLOCO 2: MÓDULOS OPTATIVOS

O bloco 2 oferece ao aluno a oportunidade de especializar-se , dentro da abordagem gerontológica, em uma área de intervenção específica: sendo possível escolher especializar-se no tema da qualidade de vida, intervenção social ou sanitária, gestão e assistência sanitária e cuidados paliativos.

O objetivo das disciplinas é conseguir que os alunos adquiram uma ideia global da gerontologia e que sejam capazes de dominar técnicas básicas de avaliação, diagnóstico, intervenção em processos do envelhecimento e ter uma visão da multidisciplinaridade na assistência gerontológica em cada contexto.

BLOCO 2: MÓDULOS OPTATIVOS
MÓDULO DISCIPLINAS CRÉDITOS
Módulo optativo 2.1
Intervenção na qualidade de vida dos idosos
Programas de intervenção para idosos 5
Enfermagem geriátrica, fisioterapia e terapia ocupacional 5
Atividade física para idosos 5
Políticas sociais para pessoas da terceira idade 6
Qualidade assistencial e segurança dos pacientes 4
Módulo optativo 2.2
Intervenção social
Políticas sociais para pessoas da terceira idade 6
Programas de intervenção para idosos 5
Enfermagem geriátrica, fisioterapia e terapia ocupacional 5
Economia aplicada à gerontologia 4
Ferramentas de gestão de saúde 5
Módulo optativo 2.3
Intervenção sanitária
Programas de intervenção para idosos 5
Enfermagem geriátrica, fisioterapia e terapia ocupacional 5
Ferramentas de gestão de saúde 5
Planejamento sanitário 4
Gestão de serviços de saúde 6
Módulo optativo 2.4
Gestão e assistência domiciliar
Políticas sociais para pessoas da terceira idade/td> 6
Atenção domiciliar 4
Ferramentas de gestão de saúde 5
Enfermagem geriátrica, fisioterapia e terapia ocupacional 5
Programas de intervenção para idosos 5
Módulo optativo 2.5
Cuidados Paliativos
Programas de intervenção para idosos 5
Enfermagem geriátrica, fisioterapia e terapia ocupacional 5
Controle de sintomas em cuidados paliativos 6
O luto: a vivência da perda para o idoso 4
Ferramentas de gestão de saúde 5
  • BLOCO 3:  PRACTICUM E PROJETO FINAL DE MAESTRADO

A última parte do Mestrado está destinada à realização do Projeto Final de Mestrado (ou dissertação) e às práticas optativas, que podem ser iniciadas antes da conclusão da primeira parte: disciplinas dos módulos obrigatório e optativo.

O objetivo do desenvolvimento do PF é apresentar um documento completo que demonstre o desenvolvimento total da pesquisa proposta, contemplando a possibilidade de sua execução concreta segundo os alinhamentos e detalhes do Projeto Final ou Dissertação de Mestrado apresentada.

O projeto deve ser uma contribuição a algum dos campos estudados ou relacionada a eles, teórica e/ou aplicada levando em consideração a teorias ou disciplinas relacionadas.

Da mesma maneira, o practicum também deve corresponder à aplicação efetiva das competências adquiridas ao longo dos blocos teórico-práticos anteriores.


Observação: O conteúdo do programa acadêmico pode estar submetido a ligeiras modificações, em função das atualizações ou das melhorias efetuadas.

Descrições dos Cursos

BLOCO 1: DISCIPLINAS DO MÓDULO OBRIGATÓRIO

  1. INTRODUÇÃO À GERONTOLOGIA

    Objetivos: adquirir uma visão global sobre os diferentes aspectos relacionados com a gerontologia.

    Conteúdos: Conceito de gerontologia. Conceito de velhice. Indicadores demográficos. Situação socioeconômica e estado da saúde na velhice.

  2. ASPECTOS PSICOSSOCIAIS DO ENVELHECIMENTO

    Objetivos: analisar os aspectos biopsicossociais que ocorrem no processo de envelhecimento.

    Conteúdos: Funcionamento sensorial e motor. Linguagem. Funcionamento intelectual. Memória e aprendizagem. Teorias psicossociais. Personalidade. Família e apoio Velhice com êxito Estilos de vida.

  3. PLANEJAMENTO DE PROGRAMAS GERONTOLÓGICOS

    Objetivos: reconhecer os princípios, fases e critérios essenciais de intervenção com idosos para sua utilização na concepção de planejamentos gerontológicos.

    Conteúdos: O planejamento. O planejamento estratégico. O planejamento operacional. Aplicação do plano, programa ou projeto por atividades. Avaliação. Gestão de qualidade de serviços sociais e centros residenciais.

  4. NUTRIÇÃO E ENVELHECIMENTO

    Objetivos: estabelecer as bases da alimentação e nutrição enquanto parte da estratégia da atenção integral da pessoa com idade avançada para diminuir a mobilidade e mortalidade prematura e melhorar a qualidade de vida.

    Conteúdos: Definição. Demografia e situação atual. Teorias do processo de envelhecimento. Mudanças fisiológicas no processo de envelhecimento. Fatores psicológicos, socioeconômicos e sanitários e sua repercussão alimentar. Avaliação do estado nutricional. Antropometria e bioquímica. Epidemiologia das alterações nutricionais no envelhecimento. Requerimentos nutricionais. Alimentação no envelhecimento. Importância da atividade física no envelhecimento. Patologias mais frequentes associadas ao envelhecimento e sua relação com a nutrição. Fármacos no envelhecimento.

  5. GERIATRIA. GRANDES SÍNDROMES GERIÁTRICAS E DEMÊNCIAS

    Objetivos: identificar as diferentes síndromes geriátricas, incluindo as demências, através da abordagem de sua avaliação e intervenção integral.

    Conteúdos: Geriatria. Grandes síndromes geriátricas. Demências senis.

  6. ASPECTOS JURÍDICOS E BIOÉTICA DA TERCEIRA IDADE

    Objetivos: analisar os diferentes temas jurídicos e éticos relacionados com as pessoas da terceira idade. Adquirir uma atitude críticas e responsabilidade profissional nas ações atuações específicas com a população idosa.

    Conteúdo: O direito e a bioética, semelhanças e diferenças. O conceito de pessoa no direito. A capacidade jurídica e a capacidade de agir. Os direitos pessoais. A incapacitação. Conceito e extensão. As instituições tutelares: a tutela de incapazes. Outras formas de proteção de idosos com demência. Direito à alimentação. A informação e o consentimento informado. Os maus-tratos aos idosos. Aspectos jurídicos e éticos dos maus-tratos. A prevenção dos maus-tratos. Planos e programas. A proteção de dados de caráter pessoal e familiar. O segredo profissional. Os testamentos vitais ou diretrizes antecipadas. Aspectos éticos relacionados ao final da vida.

  7. ARQUITETURA E AJUDAS TÉCNICAS PARA IDOSOS DEPENDENTES

    Objetivo: julgar os aspectos arquitetônicos e de ajudas técnicas relacionados às pessoas da terceira idade.

    Conteúdos: Pessoas com deficiências e o meio físico. Conceitos, pessoa e meio físico: solução satisfatória de problemas, pessoas com deficiências, meio físico acessível, realidade das pessoas com deficiência. Grupos de pessoas com deficiência e dificuldades na utilização do meio físico. Principais ferramentas para agir: idosos e meio físico. Análise de necessidades.

  8. HABILIDADES COMUNICATIVAS DO PROFISSIONAL GERONTOLOGISTA

    Objetivo: identificar as habilidades de comunicação positiva para a intervenção com pessoas saudáveis e doentes a partir da perspectiva de relação de ajuda, counselling, como modelo favorecedor de comunicação em intervenção gerontológica.

    Conteúdos: Humanização e dignidade humana. A relação de ajuda, counselling, no profissional gerontólogo. A empatia com o idoso e outras habilidades comunicacionais Acompanhamento de pessoas com Alzheimer e no fim da vida.

  9. METODOLOGIA DA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

    Objetivo: conhecer e planejar pesquisas com rigor metodológico no âmbito da gerontologia.

    Conteúdos: o conhecimento científico. Características do conhecimento científico. Etapas do trabalho científico. Publicação: formas de comunicação científica. Tipos de pesquisa científica. Estratégias de pesquisa. Outros processos relacionados com a pesquisa científica. Como escrever um projeto de pesquisa: processos e etapas.

BLOCO 2: DISCIPLINAS DOS MÓDULOS OPTATIVOS

  1. PROGRAMAS DE INTERVENÇÃO PARA IDOSOS

    Objetivos: criar, desenvolver e avaliar programas de intervenção e promoção da saúde em nível individual e coletivo para a terceira idade.

    Conteúdos: intervenção em transtornos cognitivos (demências). Intervenção em transtornos afetivos. Intervenção em animação sociocultural.

  2. ENFERMAGEM GERIÁTRICA. FISIOTERAPIA. TERAPIA OCUPACIONAL

    Objetivos: adquirir uma atitude críticas e responsabilidade profissional nas ações atuações específicas com a população idosa. Determinar as técnicas de avaliação, diagnóstico e intervenção no contexto da enfermagem geriátrica, da fisioterapia e da terapia ocupacional.

    Conteúdos: A gerontologia como disciplina multidisciplinar: objetivos gerais, introdução, a equipe gerontológica. Enfermagem gerontológica: introdução, avaliação interdisciplinar. O profissional de enfermagem e a equipe, princípios de atuação de enfermaria nas síndromes geriátricas. Fisioterapia em gerontologia: introdução, a fisioterapia e a gerontologia, história clínica do fisioterapeuta, técnicas e meios terapêuticos, intervenção segundo patologias. Terapia ocupacional em gerontologia: introdução, bases conceituais da terapia ocupacional, a determinação gerontológica da terapia ocupacional, história ocupacional, avaliação gerontológica e diagnóstico ocupacional, planejamento e tratamento ocupacional em gerontologia.

  3. ATIVIDADE FÍSICA PARA IDOSOS

    Objetivos: integrar e consolidar conhecimentos avançados de treinamento físico para a população idosa.

    Conteúdos: benefícios da atividade física no envelhecimento. Exame de saúde e pré-participação em um programa de exercício. Determinação da capacidade física e do nível de atividade física na terceira idade. Treinamento da flexibilidade, força e resistência. Envelhecimento, doença e atividade física.

  4. POLÍTICAS SOCIAIS PARA PESSOAS DA TERCEIRA IDADE

    Objetivos: conhecer, desenvolver, avaliar e administrar os diferentes tipos de programas sociais (ajuda domiciliar, teleassistência, serviços comunitários, apoio informal e programas de animação sociocultural).

    Conteúdos: necessidades dos idosos e de suas famílias e os sistemas de atenção. Gestão de casos. Serviços sociais de atenção primária: envelhecer em casa. Programas e recursos de apoio às famílias e/ou pessoas próximas que cuidam de idosos dependentes. As moradias alternativas. Programas de atenção aos idosos que vivem em ambientes rurais.

  5. QUALIDADE ASSISTENCIAL E SEGURANÇA DOS PACIENTES

    Objetivos: criar protocolos de qualidade assistencial destinados a idosos em no contexto sanitário. Refletir sobre a qualidade e segurança dos serviços de saúde tendo clara a importância dos pacientes nos processos.

    Conteúdos: Qualidade assistencial: componentes e importância. Gestão por processos. Planejamento e implementação da qualidade. Controle de qualidade e planos de melhoria Marco conceitual da segurança clínica do paciente. Gestão do risco sanitário e prevenção de efeitos adversos.

  6. ECONOMIA APLICADA À GERONTOLOGIA

    Objetivos: Avaliar os aspectos econômicos relacionados às pessoas da terceira idade.

    Conteúdos: Introdução à economia. Efeitos econômicos do envelhecimento: macroeconômico e microeconômico. Teorias e evidências sobre o comportamento dos consumidores da terceira idade: percepção, risco percebido, atitudes e hábitos. Estratégias de mix de marketing para os consumidores da terceira idade: produto, preço, distribuição e comunicação. Análise empírica dos consumidores da terceira idade.

  7. FERRAMENTAS DE GESTÃO DE SAÚDE

    Objetivos: analisar os métodos e meios dos mecanismos que servem para entender como um estabelecimento de saúde funciona corretamente.

    Conteúdos: Clima e cultura organizacional. Métodos e técnicas de planejamento e organização do tempo. Liderança no mundo da saúde. Gestão por competências, desenho de perfis de competências e perfis de cargos. Funções da comunicação.

  8. PLANEJAMENTO SANITÁRIO

    Objetivos: identificar e aplicar conceitos de planejamento estratégico em saúde, modelos, abrangência do processo e determinação dos serviços sanitários. Criar planos estratégicos aplicados no contexto da saúde.

    Conteúdos: Direção estratégica, objetivos e níveis do planejamento na saúde. Técnicas qualitativas e quantitativas no planejamento sanitário. Modelos de planejamento. Planejamento estratégico tático e de processos. Determinação de necessidades e de utilização de serviços.

  9. GESTÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE

    Objetivos: analisar o progresso do conhecimento no âmbito da gestão para gerar uma base que permita o desenvolvimento de ferramentas e habilidades que possam ser aplicadas nos distintos estabelecimentos de saúde.

    Conteúdos: Elementos e princípios da gestão de saúde. O produto e o processo produtivo no hospital. Aspectos técnicos do controle da gestão. Implementação de um sistema integrado de controle de gestão.

  10. ATENÇÃO DOMICILIAR

    Objetivos: desenvolver intervenções assistenciais no domicílio do idoso, levando em consideração o respeito aos hábitos e estilo de vida da pessoa.

    Conteúdos: Modelos de atenção domiciliária (pública e privada) e seu funcionamento. Direção do serviço/papel da direção técnica. Seleção e gestão de recursos e equipes SAD. O cliente SAD (pacientes e famílias). Ética profissional e gestão de conflitos na atenção domiciliar. Articulação com outros serviços/entidades (continuidade de cuidados).

  11. CONTROLE DE SINTOMAS EM CUIDADOS PALIATIVOS

    Objetivos: aprofundar-se sobre as bases conceituais dos cuidados paliativos na geriatria. Otimizar as opções farmacológicas e não farmacológicas mais adequadas nos processos de intervenção em cuidados paliativos, de maneira coordenada com a equipe multidisciplinar.

    Conteúdos: Bases conceituais e princípios dos cuidados paliativos na geriatria. Sintomas típicos do paciente geriátrico nos cuidados paliativos. Intervenção farmacológica e não farmacológica adequada a cada contexto geriátrico de cuidados paliativos. Intervenções de reabilitação urgente e cirúrgicas em cuidados paliativos. Cuidados paliativos no fim da vida no contexto geriátrico.

  12. O LUTO: A VIVÊNCIA DA PERDA PARA O IDOSO

    Objetivos: aprofundar-se sobre as bases conceituais e modelos clássicos do luto.

    Fundamentar as dimensões afetadas e as necessidades da pessoa em luto. Elaborar as pautas de avaliação e intervenção sobre o acompanhamento do luto na pessoa idosa. Conteúdos: Bases conceituais e modelos clássicos do luto. As dimensões afetadas e as necessidades da pessoa em luto. Luto no contexto dos cuidados paliativos. Vivência do luto e a perda do idoso. A humanização do luto dos idosos.

BLOCO 3: PROJETO FINAL OU DISSERTAÇÃO DE MESTRADO E PRACTICUM

A última parte do Mestrado está destinada à realização do Projeto Final de Mestrado (ou dissertação) e às práticas optativas, que podem ser iniciadas antes da conclusão das partes um e dois: disciplinas dos módulos obrigatório e optativo. Neste momento, o aluno já terá desenvolvidos os elementos necessários para iniciar o trabalho

O objetivo do desenvolvimento do PF é apresentar um documento completo que demonstre o desenvolvimento total da pesquisa proposta, contemplando a possibilidade de sua execução concreta segundo os alinhamentos e detalhes do Projeto Final ou Dissertação de Mestrado apresentada. O trabalho deve ser uma contribuição a algum dos campos estudados ou relacionada a eles, teórica e/ou aplicada levando em consideração a teorias ou disciplinas relacionadas.

Da mesma maneira, o practicum também deve corresponder à aplicação efetiva das competências adquiridas ao longo dos blocos teórico-práticos anteriores.

 

Direção

Direção Geral Acadêmica

  • Dr. Maurizio Antonio Battino. Pesquisador em Bioquímica e docente da Scuola di Specializzazione in Scienza dell'Alimentazione. Professor na Università Politecnica delle Marche. Diretor Científico da Universidad Europea del Atlántico.
  • Dra. (c) Irma Domínguez Azpíroz. Doutoranda em Educação. Mestre Internacional em Nutrição e Dietética Aplicada pela Universidade de León. Mestre em Atividade Física: Treinamento e Gestão Esportiva pela UNINI. Graduada em Nutrição e Dietética pela Universidade de Navarra. Coordenadora acadêmica internacional da área de Saúde e Nutrição da Fundação Universitária Iberoamericana–FUNIBER.

Professores e Autores

  • Dr. Antonio Illana Conde. Advogado e Juiz do Tribunal de Motril em Granada. Coordenador do Mestrado em Gerontologia Social de Granada
  • Dr. Antonio Martínez Maroto. Doutorado em Direito. Chefe da Área do Plano Gerontológico do IMSERSO. Coordenador do Grupo de Ética e Legislação da Sociedade Espanhola de Geriatria e Gerontologia
  • Dr. Antonio Martos Martín. Doutorado pela Universidad de Granada. Professor na Universidad de Granada e na Universidad de Málaga.
  • Dr. Arturo Xose Pereiro. Doutorado em Psicologia pela Universidad Santiago de Compostela. Professor na Universidad de Santiago de Compostela.
  • Dr. David Padilla Góngora. Professor titular de Psicologia Evolutiva e da Educação na Universidad de Almería.
  • Dr. Diego Gómez. Doutorado em Saúde Pública Internacional pela Universidade de Lisboa. Professor na Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dr. Fidel Ortiz Ordaz. Doutorado em Ciências Econômicas. Mestrado em Direção pela Universidad de la Habana. Pesquisador e consultor empresarial da Universidade “Hermanos Saíz” de Pinar del Río.
  • Dr. Luis Olivera Madge. Doutorado em Cirurgia Odontológica. Professor residente da especialidade de Ortodontia e Ortopedia Maxilar da Universidad Científica del Sur.
  • Dr. Pedro Zayas. Doutorado em Ciências Psicológicas. Professor auxiliar e pesquisador no Centro de Estudos de Gestão Empresarial da Universidad de Holguín.
  • Dr. Ricardo Almeida. Doutorado em Educação. Enfermeiro. Professora na Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dr. Roberto Silva Piñeiro. Doutorado pela Universidad Santiago de Compostela. Professor de Atividade Física para Crianças e de Gerontologia na Universidad de Vigo.
  • Dra. Alejandra María Corona Romero. Doutorado em Ciências da Saúde Pública pela Universidad de Guadalajara. Professora e pesquisadora.
  • Dra. Amélia Cristina Stein. Doutorado em Ciências da Atividade Física e da Saúde pela Universidad de León. Professora na Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dra. Assumpció Roset Elías. Doutorado em Farmácia. Coordenadora do Programa de Educação em Saúde do Departamento de Educação da Generalitat de Catalunya.
  • Dra. Carmen Moreno Lorite. Doutorado em Estudos Internacionais Mediterrâneos pela Universidad Autónoma de Madrid. Mestrado em Cooperação Internacional para o Desenvolvimento e Ação Humanitária e Couselling. Chefe do departamento de projetos e pesquisa e professora no Centro San Camilo de Humanização da Saúde em Madri.
  • Dra. Carmen Sánchez Carazo. Doutorado em Medicina e especialista em Medicina Preventiva e Saúde Pública na Universidad de Comillas.
  • Dra. Clícia Jatahy Peixoto. Doutorado em Psicogerontologia. Professora na Universidad Internacional Iberoamericana e na Universidad de Internacional de Valencia.
  • Dra. Consuelo del Moral Ávila. Arquiteta e professora no Departamento de Construção Arquitetônica e diretora da Área de Acessibilidade Universal da Universidad de Granada.
  • Dra. Divka Inge Rojic Becker. Doutorado em Neurociências pela Universitat Autònoma de Barcelona. Pesquisadora do grupo de melhoramento e recuperação da memória no Departamento de Psicobiologia da Universitat Autònoma de Barcelona.
  • Dra. Gema Torres Luque. Doutorado em Ciências do Esporte. Mestrado em Esportes de Alto Rendimento. Professora coordenadora da Área Didática de Expressão Corporal da Universidad de Jaén.
  • Dra. María del Pino Sánchez Hernández. Doutorado em Gerontologia. Professora de pós-graduação na Universidad de Granada.
  • Dra. María Dolores García Olalla. Doutorado em Psicologia pela Universitat Rovira i Virgili. Professora colaboradora na Universitat Rovira i Virgili.
  • Dra. Misericordia Camps Llauradó. Doutorado em Psicologia. Pesquisadora e professora titular na Universitat Rovira i Virgili.
  • Dra. Montserrat Celdran Castro. Doutorado Interuniversitário em Psicologia da Educação pela Universitat de Barcelona. Professora associada do Departamento de Psicologia Evolutiva e Educação da Universitat de Barcelona.
  • Dra. Montserrat González Gómez. Doutorado em Ciências da Saúde Pública pelo Centro Universitário de Ciências da Saúde, Universidad de Guadalajara. Professora na Universidad de Guadalajara. Professora no Instituto de Posgrados y Ciencias S.C. Professora na Universidad del Valle de México.
  • Dra. Nuria Garatachea. Doutorado em Ciências da Atividade Física e do Esporte. Professora na Universidad de Zaragoza.
  • Dra. Priscilla Almeida. Doutorado em Biomedicina pela Universidad de Zaragoza. Professora na Universidad de León e na Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dra. Ramona Rubio Herrera. Doutorado em Psicologia pela Universitat de Barcelona. Catedrática de Gerontologia da Universidad de Granada.
  • Dra. Silvia Quer. Doutorado em Psicologia Clínica e da Saúde. Professora na Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dra. Susana Martínez. Doutorado em Biomedicina pela Universidad de León. Professora na Universidad de León e na Universidad Europea del Atlántico.
  • Dra. (c) Lucibel Vásquez. Doutorado (em andamento) em Intervenção Psicossocial. Professora na Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dra. (c) Rosana Oddone. Doutorado (em andamento) em Projetos pela Universidad Internacional Iberoamericana. Mestrado em Design, Gestão e Direção de Projetos, Universidad de León, Espanha. Professora na Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dra. (c) Vivian Lipari Zegarra. Doutorado em andamento. Coordenadora do Mestrado em Gestão e Pesquisa em Saúde da FUNIBER. Mestrado em Saúde Pública pela Universidad de Chile e em Administração de Serviços de Saúde pela Universidad Federico Villarreal, no Peru. Professora na Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dr. (c) Leandro Maroto Gomez. Doutorado (em andamento) em Cuidados Paliativos na Universidad Rey Juan Carlos. Responsável pela Unidade de Cuidados Paliativos da Área de Saúde de Segóvia.
  • M. Dayro Gutiérrez Bejarano. Mestrado em Epidemiologia e médico especialista de Medicina Familiar e Comunitária em Segóvia. Prática clínica e experiência de ensino em Cuidados Paliativos.
  • M. Gustavo Saleme. Mestrado em Recursos Humanos em Organizações pela Universitat Autònoma de Barcelona. Licenciatura em Psicologia pela Universidad Nacional de Tucumán.
  • M. Laura Martín. Mestrado em Saúde Internacional e Cooperação e Especialização em Comunicação e Marketing em Saúde Digital. Consultora/Auditora de Qualidade Alimentar. Professora na Universidad Internacional Iberoamericana.
  • M. Núria Fustier García. Mestrado em Gestão e Direção de Administração Local. Professora associada de Trabalho Social na Universitat de Barcelona
  • M. Stefanía Carvajal. Mestrado em Direção Estratégica de Organizações de Saúde. Professora na Universidad Internacional Iberoamericana.
  • M. Verónica Lopes. Mestrado em Enfermagem Comunitária e Saúde Pública no Instituto Politécnico de Setúbal - Escola Superior de Saúde, Setúbal de Portugal. Professora na Universidad Internacional Iberoamericana.
  • M. Anabel Pérez. Mestrado em Gerontologia Social Aplicada. Licenciatura em Pedagogia pela Universitat de Barcelona.
  • M. Cristina Muñoz Alustiza. Mestrado em Cuidados Paliativos, Counselling, Gestão de Residências e Serviços para Idosos Responsável de Formação e Qualidade no Centro de Humanização da Saúde de los Camilos.
  • M. Helia Silva Bustos. Mestre e médica especialista em Saúde Pública pela Universidad de Chile. Professora e coordenadora acadêmica de cursos de Saúde Pública no Chile. Pesquisadora na área de Saúde Ocupacional.
  • M. Juan Manuel Diminich. Mestrado em Prevenção de Riscos Ocupacionais com especialização em Higiene, Ergonomia e Psicossociologia. Cirurgião médico pela Universidad de San Martín de Porres. Especialista em Auditoria Médica. Superintendente de Saúde Ocupacional - Minera Chinalco Perú.
  • M. María Eugenia Delvaux. Mestrado em Nutrição e Dietética Internacional. Professora na Universidad Internacional Iberoamericana.
  • M. Pilar Rodríguez Rodríguez. Diploma em Gerontologia Social e especialista em Pesquisa Social pela Universidad Complutense de Madrid. Presidenta da Fundação Pilares para a Autonomia Pessoal.
  • Lic. Cecilia Edineth Camero Zavaleta. Médica. Prática clínica e experiência de ensino em Cuidados Paliativos.
  • Lic. Elena Jiménez Gómez. Licenciatura em Psicologia. Professora da Escola Universitária de Enfermagem “La Paz”, da Universidad Autónoma de Madrid.
  • Lic. Gloria Arbonés Vilá. Licenciatura em Farmácia pela Universitat de Barcelona. Farmacêutica comunitária.
  • Lic. José Maria Corella. Dentista especialista em ortodontia e ortopedia dento-maxilar. Membro da Sociedade Colombiana de Ortodontia e da Federação Mundial de Ortodontistas.
  • Lic. Niurka Y. Cabrera. Especialista em Telecomunicações e Liderança Empresarial
  • Lic. Ricardo Filipio Borges. Médica. Prática clínica e experiência de ensino em Cuidados Paliativos.
  • Lic. Mª Carmen Santiago Trapero. Licenciatura em Enfermagem. Prática clínica e experiência de ensino em Cuidados Paliativos.
  • Lic. María Nuria Sanchis Luis. Graduação em Enfermagem. Equipe de Suporte Domiciliar de Cuidados Paliativos de Segóvia. Prática clínica e experiência de ensino em Cuidados Paliativos.
  • Sra. María Luján Japón Belmonte. Diretora de Projetos e Relações Institucionais da Asisttel, Servicios Asistenciales S.A.
  • Sr. Enrique Arrieta Antón. Diploma em Saúde e Atenção à Doença de Alzheimer. Membro do comitê de ética do Centro de Saúde Rural de Segóvia. Pesquisador em cuidados paliativos. Professor associado na IE University

Bolsa de Trabalho

A Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) destina periodicamente um valor econômico de caráter extraordinário para Bolsas de estudo em Formação FUNIBER.

Para solicitá-la, preencha o formulário de solicitação de informação que aparece no portal FUNIBER ou entre em contato diretamente com a sede da fundação em seu país para saber se é necessário proporcionar alguma informação adicional.

Uma vez que tenhamos recebido a documentação, o Comitê Avaliador examinará a idoneidade de sua candidatura para a concessão de um incentivo econômico na forma de Bolsa de estudo em Formação FUNIBER.