Mestrado em Gerontologia

Apresentação do Programa

A Gerontologia configura-se, hoje em dia, como uma das áreas prioritárias e que desperta maior interesse em diferentes disciplinas. É por essa razão que uma formação ampla e específica dirigida a todos os profissionais envolvidos no tema do envelhecimento tem-se convertido em uma demanda importante. A Gerontologia configura-se como uma das principais frentes de emprego, em nível nacional e internacional.

A Gerontologia é o estudo dos processos de envelhecimento e dos indivíduos conforme passam da infância às etapas posteriores. Engloba desde o estudo das mudanças físicas, sociais e mentais nos idosos até a pesquisa das mudanças na sociedade que resultam do envelhecimento cada vez maior da população.

Os idosos são muito diferentes uns dos outros; conforme envelhecem, as necessidades, os recursos e as capacidades variam. O campo do envelhecimento é muito variado e oferece muitas oportunidades de emprego. A tendência do envelhecimento da sociedade provoca uma demanda de profissionais com conhecimentos técnicos no envelhecimento.

Finalmente, destaca-se a grande demanda pela formação em Gerontologia.

Este Curso/Mestrado não apenas permitirá especializar-se em Gerontologia, mas também facilitar, de uma maneira importante, a atuação em Gerontologia, permitindo que seus conteúdos, suas ferramentas metodológicas e informáticas formem o profissional para cobrir a grande demanda em formação de Gerontologia.

A quem é dirigido

A metodologia de formação proposta somada à claridade, amplitude e didática do desenho dos conteúdos, permite dirigir o Mestrado em Gerontologia a:

  • Profissionais Licenciados em Psicologia, Medicina, Enfermaria, Terapia Ocupacional, Trabalho Social, Sociologia, Fisioterapia, Quinesiólogos, Animadores socioculturais, Economia e Direito.
  • Outros licenciados/diplomados universitários interessados.

Mestrado em Gerontologia será um complemento ideal para enriquecer qualquer formação de pré-graduação ou de pós-graduação para alguém interessado em especializar-se em temas sócio-sanitários. 

Titulação

O título será expedido pela universidade na qual esteja matriculado com o patrocínio da Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER).

Estrutura do Programa

A duração estimada para a realização do Mestrado em Gerontologia é de 90 créditosa.

Com relação à distribuição do tempo se estabelece que:

  • Por ser um curso a distância e não estar sujeito a aulas presenciais, não se estabelece uma data específica de início, razão pela qual o aluno pode formalizar a matrícula em qualquer momento, desde que haja vagas disponíveis;
  • Por motivos acadêmicos e de aprendizagem, disponibiliza-se de uma duração mínima do Curso de 6 meses.
  • O tempo máximo do qual se disponibiliza para realizar o curso é de 24 meses. Neste período de tempo, o aluno deverá entregar todos os trabalhos correspondentes ao curso.

A estrutura de créditos do programa de Mestrado em Gerontologia é apresentada na tabela a seguir:

  CRÉDITOSa DURAÇÂOb HORAS
Bloco 1: Módulo obrigatório 45 12 450
Bloco 2: Módulo optativo 25 6 250
Bloco 3: Practicumc e Projeto Final de Mestrado 20 6 200
TOTAL 90 24 900

a. O número de créditos pode variar de acordo com a Universidade que emite o título. Um (1) crédito ECTS (European CreditTransfer System) equivale a 10 + 15 horas. Se o aluno cursa o programa matriculado em uma universidade não pertencente ao Espaço Europeu do Ensino Superior (EEES), a relação entre créditos e horário pode variar.
b. Duração em meses
c. Existe a possibilidade de concluir o mestrado sem a realização das práticas. Consulte a secretaria acadêmica.

Objetivos

Objetivo Geral

  • Conhecer processos básicos sobre direção, gestão e controle de qualidade de centros gerontológicos assim como também, obter uma visão global dos diferentes aspectos relacionados a gerontologia.

Objetivos Específicos

  • Obter uma visão global sobre os diferentes aspectos relacionados com a gerontologia.
  • Identificar manifestações clínicas das principais síndromes geriátricas para uma adequada caracterização diagnóstica dos processos patológicos no contexto do envelhecimento.
  • Criar programas de intervenção destinados às pessoas idosas doentes, selecionando as fases, os objetivos, os procedimentos e os instrumentos mais apropriados segundo as características do problema e do contexto.
  • Planejar programas de intervenção social e ambiental que ajudam a melhorar a qualidade de vida das pessoas idosas.
  • Criar planos estratégicos interdisciplinares para aplicação no contexto da saúde.
  • Planejar as bases da alimentação e nutrição enquanto parte da estratégia da atenção integral da pessoa com idade avançada para diminuir a mobilidade e mortalidade prematura e melhorar a qualidade de vida.
  • Adequar as implicações sociais e éticas da intervenção das pessoas idosas e respeitar e defender os direitos das pessoas da terceira idade em todos os seus contextos.
  • Conhecer, selecionar e aplicar as características arquitetônicas adequadas para a vida cotidiana das pessoas idosas, assim como conhecer a variedade de tecnologias e auxílios técnicos disponíveis para as pessoas idosas com deficiências.
  • Planejar e assessorar os diferentes tipos de programas sociais dirigidos a pessoas da terceira idade que envolvam ajuda domiciliar, teleassistência, serviços comunitários, apoio informal e programas de animação sociocultural.
  • Conhecer e aplicar as habilidades de comunicação positiva para a intervenção com pessoas saudáveis e doentes a partir da perspectiva de relação de ajuda, counselling, como modelo favorecedor de comunicação em intervenção gerontológica.

Saídas Profissionais

Algumas das saídas profissionais do Mestrado em Gerontologia são as seguintes:

  • Profissionais que desejem especializar-se em temas relacionados ao idoso;
  • Profissionais que atuam como assessores ou consultores em temas de gestão econômica, arquitetônicos ou legais de centros da Terceira Idade;
  • Pessoal de serviços sociais comunitários;
  • Avaliador clínico dos processos de envelhecimento;
  • Trabalhadores de Centros Residenciais em diferentes níveis;
  • Colaboradores de Associações de idosos (Alzheimer, etc.);
  • Docente de Aulas de Terceira Idade;
  • Colaboradores em ONG de idosos.

Plano de estudos

O Mestrado em Gerontologia tem uma estrutura curricular baseada em 3 blocos formativos que buscam situar o estudante em um marco real segundo um conhecimento contínuo e especializado sobre este tema. Os blocos são:

  • BLOCO 1: MÓDULO OBRIGATÓRIO

O bloco 1 permite compreender toda a complexidade em relação ao campo da Gerontologia, desde seus fundamentos teóricos, conceituais e históricos até sua implementação organizacional e intervenção geral.

As disciplinas e créditos correspondentes são apresentados na tabela a seguir:

BLOCO 1: MÓDULO OBRIGATÓRIO
# DISCIPLINAS CRÉDITOS
1 Introdução à gerontologia 4
2 Aspectos biopsicossociais do envelhecimento 6
3 Planejamento de programas gerontológicos 5
4 Nutrição e envelhecimento 5
5 Geriatria. Grandes síndromes geriátricas e demências 6
6 Aspectos jurídicos e bioética da terceira idade 4
7 Arquitetura e ajudas técnicas para idosos dependentes 4
8 Habilidades comunicativas do profissional gerontologista 5
9 Metodologia da pesquisa científica 6
  TOTAL 45
  • BLOCO 2: MÓDULOS OPTATIVOS

O bloco 2 oferece ao aluno a oportunidade de especializar-se , dentro da abordagem gerontológica, em uma área de intervenção específica: sendo possível escolher especializar-se no tema da qualidade de vida, intervenção social ou sanitária, gestão e assistência sanitária e cuidados paliativos.

O objetivo das disciplinas é conseguir que os alunos adquiram uma ideia global da gerontologia e que sejam capazes de dominar técnicas básicas de avaliação, diagnóstico, intervenção em processos do envelhecimento e ter uma visão da multidisciplinaridade na assistência gerontológica em cada contexto.

BLOCO 2: MÓDULOS OPTATIVOS DISCIPLINAS CRÉDITOS
Módulo optativo 2.1
Intervenção na qualidade de vida dos idosos
Programas de intervenção para idosos 5
Enfermagem geriátrica, fisioterapia e terapia ocupacional 5
Atividade física para idosos 5
Políticas sociais para pessoas da terceira idade 6
Qualidade assistencial e segurança dos pacientes 4
Módulo optativo 2.2
Intervenção social
Políticas sociais para pessoas da terceira idade 6
Programas de intervenção para idosos 5
Enfermagem geriátrica, fisioterapia e terapia ocupacional 5
Economia aplicada à gerontologia 4
Ferramentas de gestão de saúde 5
Módulo optativo 2.3
Intervenção sanitária
Programas de intervenção para idosos 5
Enfermagem geriátrica, fisioterapia e terapia ocupacional 5
Ferramentas de gestão de saúde 5
Planejamento sanitário 4
Gestão de serviços de saúde 6
Módulo optativo 2.4
Gestão e assistência domiciliar
Políticas sociais para pessoas da terceira idade/td> 6
Atenção domiciliar 4
Ferramentas de gestão de saúde 5
Enfermagem geriátrica, fisioterapia e terapia ocupacional 5
Programas de intervenção para idosos 5
Módulo optativo 2.5
Cuidados Paliativos
Programas de intervenção para idosos 5
Enfermagem geriátrica, fisioterapia e terapia ocupacional 5
Controle de sintomas em cuidados paliativos 6
O luto: a vivência da perda para o idoso 4
Ferramentas de gestão de saúde 5
  • BLOCO 3:  PRACTICUM E PROJETO FINAL DE MAESTRADO

A última parte do Mestrado está destinada à realização do Projeto Final de Mestrado (ou dissertação) e às práticas optativas, que podem ser iniciadas antes da conclusão da primeira parte: disciplinas dos módulos obrigatório e optativo.

O objetivo do desenvolvimento do PF é apresentar um documento completo que demonstre o desenvolvimento total da pesquisa proposta, contemplando a possibilidade de sua execução concreta segundo os alinhamentos e detalhes do Projeto Final ou Dissertação de Mestrado apresentada.

O projeto deve ser uma contribuição a algum dos campos estudados ou relacionada a eles, teórica e/ou aplicada levando em consideração a teorias ou disciplinas relacionadas.

Da mesma maneira, o practicum também deve corresponder à aplicação efetiva das competências adquiridas ao longo dos blocos teórico-práticos anteriores.


Observação: O conteúdo do programa acadêmico pode estar submetido a ligeiras modificações, em função das atualizações ou das melhoras efetuadas.

Descrições dos Cursos

BLOCO 1: DISCIPLINAS DO MÓDULO OBRIGATÓRIO

  1. INTRODUÇÃO À GERONTOLOGIA

    Objetivos: adquirir uma visão global sobre os diferentes aspectos relacionados com a gerontologia.

    Conteúdos: Conceito de gerontologia. Conceito de velhice. Indicadores demográficos. Situação socioeconômica e estado da saúde na velhice.

  2. ASPECTOS PSICOSSOCIAIS DO ENVELHECIMENTO

    Objetivos: analisar os aspectos biopsicossociais que ocorrem no processo de envelhecimento.

    Conteúdos: Funcionamento sensorial e motor. Linguagem. Funcionamento intelectual. Memória e aprendizagem. Teorias psicossociais. Personalidade. Família e apoio Velhice com êxito Estilos de vida.

  3. PLANEJAMENTO DE PROGRAMAS GERONTOLÓGICOS

    Objetivos: reconhecer os princípios, fases e critérios essenciais de intervenção com idosos para sua utilização na concepção de planejamentos gerontológicos.

    Conteúdos: O planejamento. O planejamento estratégico. O planejamento operacional. Aplicação do plano, programa ou projeto por atividades. Avaliação. Gestão de qualidade de serviços sociais e centros residenciais.

  4. NUTRIÇÃO E ENVELHECIMENTO

    Objetivos: estabelecer as bases da alimentação e nutrição enquanto parte da estratégia da atenção integral da pessoa com idade avançada para diminuir a mobilidade e mortalidade prematura e melhorar a qualidade de vida.

    Conteúdos: Definição. Demografia e situação atual. Teorias do processo de envelhecimento. Mudanças fisiológicas no processo de envelhecimento. Fatores psicológicos, socioeconômicos e sanitários e sua repercussão alimentar. Avaliação do estado nutricional. Antropometria e bioquímica. Epidemiologia das alterações nutricionais no envelhecimento. Requerimentos nutricionais. Alimentação no envelhecimento. Importância da atividade física no envelhecimento. Patologias mais frequentes associadas ao envelhecimento e sua relação com a nutrição. Fármacos no envelhecimento.

  5. GERIATRIA. GRANDES SÍNDROMES GERIÁTRICAS E DEMÊNCIAS

    Objetivos: identificar as diferentes síndromes geriátricas, incluindo as demências, através da abordagem de sua avaliação e intervenção integral.

    Conteúdos: Geriatria. Grandes síndromes geriátricas. Demências senis.

  6. ASPECTOS JURÍDICOS E BIOÉTICA DA TERCEIRA IDADE

    Objetivos: analisar os diferentes temas jurídicos e éticos relacionados com as pessoas da terceira idade. Adquirir uma atitude críticas e responsabilidade profissional nas ações atuações específicas com a população idosa.

    Conteúdo: O direito e a bioética, semelhanças e diferenças. O conceito de pessoa no direito. A capacidade jurídica e a capacidade de agir. Os direitos pessoais. A incapacitação. Conceito e extensão. As instituições tutelares: a tutela de incapazes. Outras formas de proteção de idosos com demência. Direito à alimentação. A informação e o consentimento informado. Os maus-tratos aos idosos. Aspectos jurídicos e éticos dos maus-tratos. A prevenção dos maus-tratos. Planos e programas. A proteção de dados de caráter pessoal e familiar. O segredo profissional. Os testamentos vitais ou diretrizes antecipadas. Aspectos éticos relacionados ao final da vida.

  7. ARQUITETURA E AJUDAS TÉCNICAS PARA IDOSOS DEPENDENTES

    Objetivo: julgar os aspectos arquitetônicos e de ajudas técnicas relacionados às pessoas da terceira idade.

    Conteúdos: Pessoas com deficiências e o meio físico. Conceitos, pessoa e meio físico: solução satisfatória de problemas, pessoas com deficiências, meio físico acessível, realidade das pessoas com deficiência. Grupos de pessoas com deficiência e dificuldades na utilização do meio físico. Principais ferramentas para agir: idosos e meio físico. Análise de necessidades.

  8. HABILIDADES COMUNICATIVAS DO PROFISSIONAL GERONTOLOGISTA

    Objetivo: identificar as habilidades de comunicação positiva para a intervenção com pessoas saudáveis e doentes a partir da perspectiva de relação de ajuda, counselling, como modelo favorecedor de comunicação em intervenção gerontológica.

    Conteúdos: Humanização e dignidade humana. A relação de ajuda, counselling, no profissional gerontólogo. A empatia com o idoso e outras habilidades comunicacionais Acompanhamento de pessoas com Alzheimer e no fim da vida.

  9. METODOLOGIA DA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

    Objetivo: conhecer e planejar pesquisas com rigor metodológico no âmbito da gerontologia.

    Conteúdos: o conhecimento científico. Características do conhecimento científico. Etapas do trabalho científico. Publicação: formas de comunicação científica. Tipos de pesquisa científica. Estratégias de pesquisa. Outros processos relacionados com a pesquisa científica. Como escrever um projeto de pesquisa: processos e etapas.

BLOCO 2: DISCIPLINAS DOS MÓDULOS OPTATIVOS

  1. PROGRAMAS DE INTERVENÇÃO PARA IDOSOS

    Objetivos: criar, desenvolver e avaliar programas de intervenção e promoção da saúde em nível individual e coletivo para a terceira idade.

    Conteúdos: intervenção em transtornos cognitivos (demências). Intervenção em transtornos afetivos. Intervenção em animação sociocultural.

  2. ENFERMAGEM GERIÁTRICA. FISIOTERAPIA. TERAPIA OCUPACIONAL

    Objetivos: adquirir uma atitude críticas e responsabilidade profissional nas ações atuações específicas com a população idosa. Determinar as técnicas de avaliação, diagnóstico e intervenção no contexto da enfermagem geriátrica, da fisioterapia e da terapia ocupacional.

    Conteúdos: A gerontologia como disciplina multidisciplinar: objetivos gerais, introdução, a equipe gerontológica. Enfermagem gerontológica: introdução, avaliação interdisciplinar. O profissional de enfermagem e a equipe, princípios de atuação de enfermaria nas síndromes geriátricas. Fisioterapia em gerontologia: introdução, a fisioterapia e a gerontologia, história clínica do fisioterapeuta, técnicas e meios terapêuticos, intervenção segundo patologias. Terapia ocupacional em gerontologia: introdução, bases conceituais da terapia ocupacional, a determinação gerontológica da terapia ocupacional, história ocupacional, avaliação gerontológica e diagnóstico ocupacional, planejamento e tratamento ocupacional em gerontologia.

  3. ATIVIDADE FÍSICA PARA IDOSOS

    Objetivos: integrar e consolidar conhecimentos avançados de treinamento físico para a população idosa.

    Conteúdos: benefícios da atividade física no envelhecimento. Exame de saúde e pré-participação em um programa de exercício. Determinação da capacidade física e do nível de atividade física na terceira idade. Treinamento da flexibilidade, força e resistência. Envelhecimento, doença e atividade física.

  4. POLÍTICAS SOCIAIS PARA PESSOAS DA TERCEIRA IDADE

    Objetivos: conhecer, desenvolver, avaliar e administrar os diferentes tipos de programas sociais (ajuda domiciliar, teleassistência, serviços comunitários, apoio informal e programas de animação sociocultural).

    Conteúdos: necessidades dos idosos e de suas famílias e os sistemas de atenção. Gestão de casos. Serviços sociais de atenção primária: envelhecer em casa. Programas e recursos de apoio às famílias e/ou pessoas próximas que cuidam de idosos dependentes. As moradias alternativas. Programas de atenção aos idosos que vivem em ambientes rurais.

  5. QUALIDADE ASSISTENCIAL E SEGURANÇA DOS PACIENTES

    Objetivos: criar protocolos de qualidade assistencial destinados a idosos em no contexto sanitário. Refletir sobre a qualidade e segurança dos serviços de saúde tendo clara a importância dos pacientes nos processos.

    Conteúdos: Qualidade assistencial: componentes e importância. Gestão por processos. Planejamento e implementação da qualidade. Controle de qualidade e planos de melhoria Marco conceitual da segurança clínica do paciente. Gestão do risco sanitário e prevenção de efeitos adversos.

  6. ECONOMIA APLICADA À GERONTOLOGIA

    Objetivos: Avaliar os aspectos econômicos relacionados às pessoas da terceira idade.

    Conteúdos: Introdução à economia. Efeitos econômicos do envelhecimento: macroeconômico e microeconômico. Teorias e evidências sobre o comportamento dos consumidores da terceira idade: percepção, risco percebido, atitudes e hábitos. Estratégias de mix de marketing para os consumidores da terceira idade: produto, preço, distribuição e comunicação. Análise empírica dos consumidores da terceira idade.

  7. FERRAMENTAS DE GESTÃO DE SAÚDE

    Objetivos: analisar os métodos e meios dos mecanismos que servem para entender como um estabelecimento de saúde funciona corretamente.

    Conteúdos: Clima e cultura organizacional. Métodos e técnicas de planejamento e organização do tempo. Liderança no mundo da saúde. Gestão por competências, desenho de perfis de competências e perfis de cargos. Funções da comunicação.

  8. PLANEJAMENTO SANITÁRIO

    Objetivos: identificar e aplicar conceitos de planejamento estratégico em saúde, modelos, abrangência do processo e determinação dos serviços sanitários. Criar planos estratégicos aplicados no contexto da saúde.

    Conteúdos: Direção estratégica, objetivos e níveis do planejamento na saúde. Técnicas qualitativas e quantitativas no planejamento sanitário. Modelos de planejamento. Planejamento estratégico tático e de processos. Determinação de necessidades e de utilização de serviços.

  9. GESTÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE

    Objetivos: analisar o progresso do conhecimento no âmbito da gestão para gerar uma base que permita o desenvolvimento de ferramentas e habilidades que possam ser aplicadas nos distintos estabelecimentos de saúde.

    Conteúdos: Elementos e princípios da gestão de saúde. O produto e o processo produtivo no hospital. Aspectos técnicos do controle da gestão. Implementação de um sistema integrado de controle de gestão.

  10. ATENÇÃO DOMICILIAR

    Objetivos: desenvolver intervenções assistenciais no domicílio do idoso, levando em consideração o respeito aos hábitos e estilo de vida da pessoa.

    Conteúdos: Modelos de atenção domiciliária (pública e privada) e seu funcionamento. Direção do serviço/papel da direção técnica. Seleção e gestão de recursos e equipes SAD. O cliente SAD (pacientes e famílias). Ética profissional e gestão de conflitos na atenção domiciliar. Articulação com outros serviços/entidades (continuidade de cuidados).

  11. CONTROLE DE SINTOMAS EM CUIDADOS PALIATIVOS

    Objetivos: aprofundar-se sobre as bases conceituais dos cuidados paliativos na geriatria. Otimizar as opções farmacológicas e não farmacológicas mais adequadas nos processos de intervenção em cuidados paliativos, de maneira coordenada com a equipe multidisciplinar.

    Conteúdos: Bases conceituais e princípios dos cuidados paliativos na geriatria. Sintomas típicos do paciente geriátrico nos cuidados paliativos. Intervenção farmacológica e não farmacológica adequada a cada contexto geriátrico de cuidados paliativos. Intervenções de reabilitação urgente e cirúrgicas em cuidados paliativos. Cuidados paliativos no fim da vida no contexto geriátrico.

  12. O LUTO: A VIVÊNCIA DA PERDA PARA O IDOSO

    Objetivos: aprofundar-se sobre as bases conceituais e modelos clássicos do luto.

    Fundamentar as dimensões afetadas e as necessidades da pessoa em luto. Elaborar as pautas de avaliação e intervenção sobre o acompanhamento do luto na pessoa idosa. Conteúdos: Bases conceituais e modelos clássicos do luto. As dimensões afetadas e as necessidades da pessoa em luto. Luto no contexto dos cuidados paliativos. Vivência do luto e a perda do idoso. A humanização do luto dos idosos.

BLOCO 3: PROJETO FINAL OU DISSERTAÇÃO DE MESTRADO E PRACTICUM

A última parte do Mestrado está destinada à realização do Projeto Final de Mestrado (ou dissertação) e às práticas optativas, que podem ser iniciadas antes da conclusão das partes um e dois: disciplinas dos módulos obrigatório e optativo. Neste momento, o aluno já terá desenvolvidos os elementos necessários para iniciar o trabalho

O objetivo do desenvolvimento do PF é apresentar um documento completo que demonstre o desenvolvimento total da pesquisa proposta, contemplando a possibilidade de sua execução concreta segundo os alinhamentos e detalhes do Projeto Final ou Dissertação de Mestrado apresentada. O trabalho deve ser uma contribuição a algum dos campos estudados ou relacionada a eles, teórica e/ou aplicada levando em consideração a teorias ou disciplinas relacionadas.

Da mesma maneira, o practicum também deve corresponder à aplicação efetiva das competências adquiridas ao longo dos blocos teórico-práticos anteriores.

 

Direção

Direção Geral Acadêmica

  • Dr. Maurizio Battino. Director del Área de Salud y Nutrición de la Fundación Universitaria Iberoamericana. Ricercatore diBiochimica e docente della Scuola di Specializzazione in Scienzadell'Alimentazione.
  • Dra. (c) Irma Domínguez Azpíroz. Doutoranda em Educação. Mestre Internacional em Nutrição e Dietética Aplicada pela Universidade de León. Mestre em Atividade Física: Treinamento e Gestão Esportiva pela UNINI. Graduada em Nutrição e Dietética pela Universidade de Navarra. Coordenadora acadêmica internacional da área de Saúde e Nutrição da Fundação Universitária Iberoamericana–FUNIBER.

Professores e Autores

  • Dr. Antonio Martínez Maroto. Doutor em Direito. Mestre em Bioética. Jurista e gerontólogo. Chefe da área de planejamento gerontológico da IMSERSO. Coordenador do grupo de ética e legislação da Sociedade Espanhola de Geriatria e Gerontologia.
  • Dr. Antonio Martos Martín. Doutor pela Universidade de Granada. Licenciado em Psicologia. Professor de pós-graduação na Universidade de Granada, Departamento de Psicologia Evolucional e Departamento de Educação da Faculdade de Psicologia da Universidade de Málaga.
  • Dra. Assumpció Roset Elías. Doutora em Farmácia. Graduada em nutrição aplicada. Licenciada em Ciências Biológicas. Professora de ensino médio. Coordenadora do Programa de Educação para a Saúde na escola do Departamento de Educação da Generalitat de Catalunha.
  • Dr. Carlos Aibar Remón. Doutor em Medicina pela Universidade de Saragoça. Especialista em medicina preventiva e saúde pública. Professor titular de Medicina Preventiva e Saúde Pública na Universidade de Saragoça e chefe do departamento de medicina preventiva do Hospital Clínico Universitário Lozano Blesa, Saragoça, Espanha.
  • Dra. Carmen Moreno Lorite. Doutora em Estudos Internacionais Mediterrâneos pela Universidade Autônoma de Madri. Mestre em Cooperação Internacional para o Desenvolvimento e Ação Humanitária e Counselling. Responsável pelo departamento de projetos e pesquisa. É professora no Centro San Camilo-Centro de Humanização da Saúde de Madri.
  • Dra. Carmen Sánchez Carazo. Doutora em Medicina. Especialista em medicina preventiva e saúde pública. Mestre em Bioética pela Universidade de Comillas. Mestre em Direção de Empresas e em Direção de Instituições de Saúde (E.N.S.). Médica de Atenção Primária no Hospital del Escorial
  • Dr. Fidel Ortiz Ordaz. Doutor em Ciências Econômicas. Mestre em Direção pela Universidade de Havana. Mestre em Cultura Organizacional e Mudança, Estratégia e Tecnologia, Orientação ao Mercado pela Universidade de Sevilha, Espanha. Pesquisador e Consultor empresarial na Universidade “Hermanos Saíz” de Pinar del Río.
  • Dra. Gema Torres Luque. Doutora em Ciências do Esporte. Mestre em Alto Rendimento Esportivo. Professora-coordenadora da área didática de expressão corporal na Universidade de Jaén.
  • Dr. Ildefonso Grande Esteban. Doutor em Ciências Econômicas e Empresariais pela Universidade do País Basco. Licenciado em Ciência Econômicas e Empresariais, com graduação na Universidade Autônoma de Bilbau. Professor titular e catedrático da Universidade Pública de Navarra na área de Comercialização e Pesquisa de Mercados.
  • Dr. Jesús María Aranaz Andrés. Doutor em Medicina. Especialista em medicina preventiva, saúde pública e medicina do trabalho. Mestre em Saúde Pública. Mestre em Gestão Gerencial Hospitalar (EADA). Mestre Internacional em Medicina Humanitária Chefe do Serviço de Medicina Preventiva e Saúde Pública do Hospital Universitário Ramón y Cajal de Madrid.
  • Dr. José Joaquín Mira Solves. Doutor em Psicologia pela Universidade Autônoma de Madri. Especialista em Psicologia Clínica pelo Ministério de Educação e Ciência. Especialista em Organização Sociossanitária pela Universidade Complutense de Madri. Certificado de Aptidão em Gestão da Qualidade em Serviço da Universidade Politécnica de Madri. Especialista Europeu em Gestão da Qualidade no Setor Sanitário (AEC). EOQ Quality Systems Manager in Healthcare, European Organization for Quality, EOQ (2010). Licenciado em Psicologia pela Universidade de Valência. Professor titular vinculado à Universidade Miguel Hernández de Elche.
  • Dr. José Manuel Figueroa González. Doutor em Engenharia de Projetos pela Universidade Politécnica da Catalunha. Mestre em Direção de Recursos Humanos. Licenciado em Psicologia pela Universidade de Havana. Consultor.
  • Dr. Julián Vitaller Burillo. Doutor em Medicina. Chefe da seção de Inspeção Médica de Serviços Sanitários em Alicante. Professor associado do departamento de Saúde Pública da UMH de Elche. Membro da equipe diretora do Estudo Nacional de Efeitos Adversos “Proyecto ENEAS”, em 2005, e “APEAS”, em 2007, do Ministério de Saúde e Consumo. Auditor para a Certificação Docente do Plano de Formação dos Médicos Internos Residentes (MIR). Auditor de Centros e Unidades Docentes Hospitalares e Escolas Universitárias.
  • Dr. Luis Olivera Madge. Doutor em Cirurgia Odontológica. Especialista em Ortodontia e Ortopedia Maxilar pela Universidade Científica do Sul. Possui diploma em Auditoria Médica e em Reabilitação Oral Estética. É pós-graduando em Ortodontia e Reabilitação Oral, Prótese Dentária. É professor residente na Especialização em Ortodontia e Ortopedia Maxilar da Universidade Científica do Sul.
  • Dr. Luis Vivanco Sierralta. Pós-doutor pela Universidade de la Rioja, Espanha. Doutor em Medicina pela Universidade CEU San Pablo, Espanha. Mestre em Filosofia e Bioética em Colômbia, D.E.A. Mestre em Bioética e Biojurídica pela Universidade Rey Juan Carlos de España. Licenciado em Biologia no Peru. Colaborador na Plataforma de Bioética e Educação Médica do Centro de Pesquisa Biomédica de La Rioja (CIBIR). Coordenador da Área de Bioética da FUNIBER.
  • Dra. María del Pino Sánchez Hernández. Doutora em Gerontologia pela Universidade de Granada. Licenciada em Psicologia pela Universidade de Granada. Professora de pós-graduação na Universidade de Granada.
  • Dr. Maurizio Battino. Diretor da Área de Saúde e Nutrição da Fundação Universitária Iberoamericana. Pesquisador em Bioquímica e professor da Escola de Pós-graduação em Ciências da Alimentação.
  • Dra. María Dolores García. Olalla. Doutora em Psicologia pela Universidade Rovira i Virgili. Professora Colaboradora do Departamento de Psicologia da Área de Psicologia Evolucional da Educação da Universidade Rovira i Virgili.
  • Dra. Misericordia Camps Llauradó. Doutora em Psicologia. Professora Colaboradora do Departamento de Psicologia da Área de Psicologia Evolucional da Educação da Universidade Rovira i Virgili.
  • Dra. Montse Celdrán Castro. Doutora Interuniversitária de Psicologia da Educação pela Universidade de Barcelona. Mestre em Psicogerontologia e neurociências aplicadas. Professora associada do departamento de Psicologia Evolucional e da Educação da Universidade de Barcelona. Integrante do Grupo de Pesquisa em Gerontologia (GIG) da Universidade de Barcelona.
  • Dra. Nuria Garatachea Vallejo. Doutora em Ciências da Atividade Física e do Esporte. Professora e coordenadora da Graduação em Ciências da Atividade Física e do Esporte e da Faculdade da Universidade de Saragoça.
  • Dr. Pedro Zayas. Doutor em Ciências Psicológicas. Licenciado em Psicologia. Professor auxiliar e pesquisador no Centro de Estudos de Gestão da Universidade de Holguín.
  • Dra. Ramona Rubio Herrera. Doutora em Psicologia pela Universidade Central de Barcelona. Licenciada em Psicologia pela Universidade Central de Barcelona. Catedrática de Gerontologia na Universidade de Granada. Diretora de mestrados e doutorados universitários.
  • Dr. Rodrigo Serrat. Doutor em Psicologia pela Universidade de Barcelona. Professor associado do departamento de Psicologia Evolucional e da Educação da Universidade de Barcelona. Pesquisador do departamento de Psicologia Evolucional e da Educação da Universidade de Barcelona.
  • Dra. Silva Pueyo Villa. Doutora em Ciências da Educação. Mestre em Formação de Professores de Espanhol como Língua Estrangeira Professora da Universidade Europeia do Atlântico. Coordenadora acadêmica internacional da área de Formação de Professores da Fundação Universitária Iberoamericana–FUNIBER.
  • Dra. (c) Amélia Cristina Stein. Doutoranda em Ciências da Atividade Física e do Esporte pela Universidade de León–Espanha. Diploma de Estudos Avançados–DEA. Área de conhecimento: Fisiologia. Pesquisa: O papel do exercício físico em pacientes diabéticos e efeitos do treinamento de força. Professora do Mestrado em Esporte da FUNIBER.
  • Mg. Anabel Pérez. Mestre em Gerontologia Social Aplicada. Licenciada em Pedagogia pela Universidade de Barcelona.
  • Dra. (c) Anna Marín Bachs. Doutoranda em Educação. Mestre Internacional em Nutricional e Dietética pela Universidade de León. Graduada em Nutrição Humana e Dietética pela Universidade de Barcelona–CESNID. Professora da Área de Saúde e Nutrição da FUNIBER.
  • Dr. Antonio Illana Conde. Advogado e juiz titular do foro de Motril, Granada. Coordenador do Mestrado Universitário em Gerontologia, Granada.
  • Dr. (c ) Carlos Lago Fuentes. Doutorando em Ciências do Esporte, Educação Fìsica e Atividade Física Saudável, Universidade de Vigo e Universidade de La Coruña. Mestre em Pesquisa em Atividade Física, Esporte e Saúde. Professor da Área de Esporte na Fundação Universitária Iberoamericana.
  • Dra. (c) Carmen Rodríguez Velasco. Doutoranda em Educação pela Universidade Internacional Ibero-americana. Mestre em Psicologia Laboral e Organizacional pela Universidade de Havana, Cuba. Coordenadora Acadêmica Internacional da Área de Desenvolvimento Diretivo, Organização Empresarial e Recursos Humanos da Fundação Universitária Iberoamericana, FUNIBER.
  • Dra. Cecilia Edineth Camero Zavaleta. Médico. Prática clínica e experiência docente em cuidados paliativos.
  • Dra. Consuelo del Moral Ávila Arquiteta. Professora no Departamento de Construções Arquitetônicas e Diretora da Área de Acessibilidade Universal da Universidade de Granada.
  • Mg. Cristina Muñoz Alustiza. Mestre em Cuidados Paliativos, Counselling, Gestão de Residências e em Serviços para Pessoas da Terceira Idade Responsável de Formação e Qualidade no Centro de Humanização de Saúde de los Camilos.
  • Dr. David Padilla Gángora. Professor titular de Psicologia Evolucional e da Educação da Universidade de Almería.
  • Mg. Dayro Gutiérrez Bejarano. Mestre em Epidemiologia Médico especialista em medicina familiar e comunitária em Segóvia. Prática clínica e experiência docente em cuidados paliativos.
  • Lic. Elena Jiménez Gómez. Licenciada em Psicologia. Professora da Escola Universitária de Enfermagem “La Paz”, Universidade Autônoma de Madri. Prática clínica e experiência docente em cuidados paliativos.
  • Lic. Enrique Arrieta Antón. Certificado em Saúde e em Atenção à Doença de Alzheimer. Especialista em Medicina Familiar e Comunitária. Licenciado em Psicologia e Cirurgia pela Universidade Complutense de Madri. Médico de Atenção Primária e membro do comitê de ética no Centro de Saúde Segóvia Rural. Pesquisador em cuidados paliativos. Membro do grupo de trabalho de neurologia da SEMERGEN. Professor associado na IE University (campus de Segóvia). Prática clínica e experiência docente em cuidados paliativos.
  • Dr. (c) Flavio Marques. Doutorando em Nutrição pela Universidade Internacional Ibero-americana. Mestre em Gestão de Serviços de Saúde. Licenciado em Nutrição. Licenciado em Nutrição e Dietética. Professor da Área de Saúde e Nutrição da FUNIBER.
  • Lic. Gloria Arbonés Vilá. Licenciada em Farmácia pela Universidade de Barcelona. Farmacêutica Comunitária.
  • Mg. Gustavo Saleme. Mestre em Recursos Humanos nas Organizações na Universidade Autônoma de Barcelona. Licenciado em Psicologia pela Universidade Nacional de Tucumán.
  • Mg. Helia Silva Bustos. Mestre e médica especialista em Saúde Pública pela Universidade do Chile. Certificado em Saúde Ocupacional pela Universidade do Chile. Médica-cirurgiã pela Universidade do Chile. Docente e coordenadora acadêmica de cursos de saúde pública no Chile. Pesquisadora na área de saúde ocupacional.
  • Dra. (c) Irma Domínguez Azpíroz Doutoranda em Educação. Mestre Internacional em Nutrição e Dietética Aplicada pela Universidade de León. Mestre em Atividade Física: Treinamento e Gestão Esportiva pela UNINI. Graduada em Nutrição e Dietética pela Universidade de Navarra. Coordenadora acadêmica internacional da área de Saúde e Nutrição da Fundação Universitária Iberoamericana–FUNIBER.
  • Dr. José María Corella. Odontologista Especialista em Ortodontia e Ortopedia Dentomaxilar. Médico-dentista. Membro da Sociedade Colombiana de Ortodontia e da World Federation Of Orthodontists.
  • Mg. Juan Manuel Diminich. Mestre em Saúde Ocupacional com Menção em Medicina do Trabalho e Ambiental. Mestre em Prevenção de Riscos Laborais com especialização em Higiene, Ergonomia e Psicossociologia. Médico-cirurgião pela Universidade de San Martín de Porres. Especialista em Auditoria Médica. Auditor ISO 9001:2008. Membro da Sociedade Peruana de Auditoria Médica. Superintendente de Saúde Ocupacional-Mineira, Chinalco, Peru.
  • Dr. (c) Leandro Maroto Gomez. Doutorando em cuidados paliativos pela Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade Rey Juan Carlos de Alcorcón de Madri. Mestre Universitário em Gerontologia pela Universidade de Salamanca. Mestre Interuniversitário em estudo e tratamento da Dor pela Universidade Rey Juan Carlos de Alcorcón de Madri. Médico-especialista em Geriatria. Título de graduação em Medicina Geriátrica concedido pela Sociedade Espanhola de Geriatria e Gerontologia. Licenciado em Medicina e Cirurgia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Salamanca. Responsável pela Unidade de Cuidados Paliativos da Área de Saúde de Segóvia (AECC - SACyL).
  • Mg. Lucia Vassallo Gjurinovic. Mestre em Gerência de Serviços de Saúde. Faculdade de Odontologia da Universidade San Martín de Porres, Peru.  Especialista em Autoavaliação Universitária (Assembleia Nacional de Reitores). Auditora Interna em Sistemas de Gestão da Qualidade ISO9001:2008. Supervisor da Clínica de Odontologia.
  • Lic. Mª Carmen Santiago Trapero. Licenciada em Enfermagem. Prática clínica e experiência docente em cuidados paliativos.
  • Dra.(c) Lidia Henriques Rego. Doutoranda em Educação. Especialização em luto (Humanizar). Mestrado em Cuidados Paliativos pela Universidade Católica Portuguesa. Licenciada em Psicologia Clínica pela Universidade de Lisboa. Professora da Área de Saúde e Nutrição da FUNIBER.
  • Dra.(c) Lucibel Vásquez. Doutoranda em Intervenção Social pela Universidade de Barcelona Mestre em Psicogerontologia pela Universidade de Barcelona. Mestre em Psicologia Clínica pela Universidade San Martín de Porres de Lima. Professora da Área de Saúde e Nutrição da FUNIBER.
  • Dra. (c) María Fernanda Figueroa. Doutoranda em Projetos de Gestão Esportiva. Mestre em Direção Estratégica Esportiva. Professora do Mestrado em Atividade Física: Treinamento e Gestão Esportiva (espanhol e português). Diretora da Especialização em Direção e Habilidade para a Gestão de Centros Esportivos. Tradutora de documentos, espanhol para inglês.
  • Sra. María Luján Japón Belmonte. Diretora de Projetos e Relações Institucionais da Asisttel, Serviços Assistenciais S.A
  • Lic. María Nuria Sanchis Luis. Graduação em Enfermagem. Membro da equipe de suporte domiciliar de cuidados paliativos de Segóvia. Prática clínica e experiência docente em cuidados paliativos.
  • Lic. Niurka Y. Cabrera. Especialista em telecomunicações e liderança empresarial.
  • Mg. Núria Fustier García. Mestre em Gestão e Direção da Administração Local. Certificada em Trabalho Social. Especialista em Serviço Social. Licenciada em Direito. Professora associada de Trabalho Social na Universidade de Barcelona.
  • Dr. (c) Pablo Eisendecher Bertin. Candidato a Doutor em Direito pela Universidade do Chile. Advogado licenciado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade Austral do Chile. Professor na Universidade Autônoma do Paraguai e Professor de Direito da Universidade Austral do Chile. Pesquisador da Universidade do Chile. Professor na Universidade Europeia do Atlântico e na Universidade Internacional Ibero-americana
  • Mg. Pilar Rodriguez Rodriguez. Certificada em Gerontologia Social e especialista em Pesquisa Social e Planejamento. Licenciada em Filosofia e Ciências da Educação pela Universidade Complutense de Madri. Presidenta da Fundação Pilares para a Autonomia Pessoal. Pesquisadora em ciências sociais e do comportamento na Sociedade Espanhola de Geriatria e Gerontologia. Serviços de estudos da IMSERSO.
  • Dr. (c) Ricardo Almeida. Doutorando em Educação. Mestre em Estudos Biológicos-Naturistas e Homeopatia pela Universidade de León. Pós-graduado em Gestão de Empresas. Licenciado em Enfermagem. Professor da Área de Saúde e Nutrição da FUNIBER.
  • Dr. Ricardo Filipe Borges Oliveira. Médico. Prática clínica e experiência docente em cuidados paliativos.
  • Dra. (c) Sandra Jarrín Motte. Doutoranda em Educação pela UNINI. Mestre em Estudos Biológico-Naturistas pela Universidade de León. Licenciada em Nutrição e Dietética pela Universidade Científica do Sul. Professora da Área de Saúde e Nutrição da FUNIBER.
  • Dra. (c) Sandra Sumalla Cano. Doutoranda em Projetos. Mestre Internacional em Nutrição e Dietética Aplicada pela Universidade Rovira i Virgili. Mestre em Atividade Física: Treinamento e Gestão Esportiva pela UNINI. Licenciada em Ciência e Tecnologia dos Alimentos pela Universidade de Barcelona. Graduada em Nutrição Humana e Dietética pela Universidade de Barcelona–CESNID. Professora da Área de Saúde e Nutrição da FUNIBER. Decana de Ciências da Saúde da Universidade Europeia do Atlântico
  • Mg. Tania Herrera Martinez. Master of Business, Queensland University (Austrália). Mestre em Gestão para a Globalização e em Saúde Pública pela Universidade do Chile. Licenciada em Medicina pela Universidade do Chile.
  • Dra. (c) Vivian Lipari Zegarra. Doutoranda. Mestre em Saúde Pública na Universidade do Chile e Mestranda da Administração de Serviços de Saúde da Universidade Federico Villarreal, no Peru. Coordenadora do Mestrado em Gestão e Pesquisa em Saúde da FUNIBER.

Bolsa de Trabalho

A Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) destina periodicamente um valor econômico de caráter extraordinário para Bolsas de estudo em Formação FUNIBER.

Para solicitá-la, preencha o formulário de solicitação de informação que aparece no portal FUNIBER ou entre em contato diretamente com a sede da fundação em seu país para saber se é necessário proporcionar alguma informação adicional.

Uma vez que tenhamos recebido a documentação, o Comitê Avaliador examinará a idoneidade de sua candidatura para a concessão de um incentivo econômico na forma de Bolsa de estudo em Formação FUNIBER.