Mestrado Internacional em Ciências Políticas

Apresentação do Programa

O Mestrado Internacional em Ciências Políticas oferece uma formação de primeira linha, por meio de um programa acadêmico moderno e competitivo, respaldado pela experiência de profissionais e acadêmicos do campo político e da administração pública no contexto internacional.

A formação dos políticos, funcionários e empregados do setor público exige melhorias substanciais na maioria dos países do mundo. Nesse sentido, este Mestrado é baseado em um programa acadêmico de grande valor para a formação de profissionais na área acima mencionada.

Assumindo a política como uma ciência interdisciplinar, o programa busca integrar, sob a mesma proposta acadêmica, conhecimentos relacionados ao ambiente e gestão política, cooperação internacional, marketing e liderança política, todas disciplinas necessárias para formar líderes e profissionais proativos na esfera pública e altamente formados.

O programa responde à necessidade de qualificar esses profissionais, fornecendo-lhes ferramentas, conhecimentos e técnicas para desempenhar suas funções. As habilidades necessárias para a análise política correta também são fornecidas.

  • O aluno que concluir com sucesso o Mestrado estará qualificado para:
  • Integrar conhecimentos teóricos e atualizados no campo da ciência política.
  • Assumir funções nos processos de liderança, assessoria e gestão política.
  • Gerar propostas políticas que integram processos globalizados e processos locais.
  • Desenvolver a capacidade crítica de transferir o conhecimento acadêmico para a realidade.
  • Promover e estimular habilidades que otimizam estratégias políticas.
  • Assumir a ética e a transparência como ativos fundamentais de toda atividade pública.
  • Intervir com diferentes atores e em diferentes contextos e situações políticas de maneira eficaz, reflexiva e crítica.

A quem é dirigido

A metodologia de formação proposta, somada à clareza, amplitude e didática do projeto de conteúdo, permite direcionar o Mestrado Internacional em Ciência Política para profissionais que se interessaram ou desejam ingressar na área de liderança, aconselhamento e gestão política.

Em suma, este Mestrado é destinado a profissionais das ciências sociais, ciências da administração e ciências da administração e economia, entre outros. Para esses profissionais, o Mestrado Internacional em Ciências Políticas será um complemento ideal para enriquecer sua formação em assuntos políticos para instituições, administrações ou agentes políticos e sociais, ou simplesmente servir para atualizar seus conhecimentos, adquirir novas habilidades e, em geral, ser de acordo com o que a ciência política exige.

Titulação

A conclusão com sucesso do Programa permitirá a obtenção do Mestrado Internacional em Ciências Políticas.

Após a conclusão de sucesso do Programa, o aluno receberá o título emitido pela Universidade em que tenha se matriculado.

Estrutura do Programa

O Mestrado Internacional em Ciências Políticas tem uma duração de 90 créditos. Quanto à distribuição do tempo, é estabelecido que:

  • Como é um programa a distância e não está sujeito a aulas presenciais, não é estabelecida uma data de início específica, para que o aluno possa formalizar a inscrição a qualquer momento, desde que haja vagas disponíveis.
  • O tempo máximo disponível para concluir o Mestrado é de 24 meses. Nesse período, o aluno deve ter concluído com êxito todas as avaliações correspondentes, bem como no Projeto Final ou na Dissertação.
BLOCOS CREDITOSa HORAS
Bloco 1: Ambiente Político Internacional (obrigatório) 22 550
Bloco 2: Liderança Político (obrigatório) 16 400
Bloco 3: Gestão Política Internacional (obrigatório) 19 475
Bloco 4: Cooperação Internacional (optativo) 18 450
Bloco 4: Marketing Político (optativo) 18 450
Bloco 5: Metodologia da Pesquisa e Trabalho Final (obrigatório) 15 375
TOTAL 90 2250

a.  Um (1) crédito ECTS (European Credit Transfer System) equivale a 25 horas, (10h letivas + 15 horas de estudo). Se o aluno frequentar o Programa matriculado em uma universidade não pertencente ao Espaço Europeu de Ensino Superior (EEES), a relação entre créditos-horas pode variar.

Objetivos

Objetivo geral

A missão do Mestrado Internacional em Ciência Política é formar profissionais no campo da política, equipando-os com ferramentas de liderança e comunicação em um contexto internacional.

Objetivos específicos

  • Analisar o contexto atual e o alcance da política internacional contemporânea.
  • Dominar as técnicas adequadas para apresentar e comunicar um projeto político.
  • Desenvolver habilidades de liderança para a resolução de conflitos políticos e sociais.
  • Empregar as ferramentas necessárias para gerenciar projetos de cooperação internacional.
  • Projetar e implementar um projeto político competitivo em um contexto internacional.
  • Dominar as técnicas de apresentação pública relacionadas ao campo político.
  • Identificar as preocupações dos eleitores e gerenciar técnicas modernas de marketing político.
  • Entender a importância de atores e projetos políticos no mundo globalizado.

Saídas Profissionais

Os profissionais que concluírem com sucesso o programa Internacional de Mestrado em Ciências Políticas da FUNIBER poderão realizar seu trabalho em instituições e organizações como as seguintes:

  • Instituições governamentais
  • Administrações públicas e entidades dependentes
  • Organizações internacionais
  • Empresas públicas
  • Universidades e centros de pesquisa
  • Centros de formação especializados em temas públicos
  • Partidos Políticos
  • Agentes sociais
  • Organizações não governamentais
  • Grupos de reflexão políticos
  • Lobbies e grupos de pressão

Plano de estudos

O programa de Mestrado Internacional em Ciências Políticas é composto por 6 blocos ou módulos, 4 obrigatórios e 2 opcionais, que agrupam 23 ou 24 disciplinas de acordo com a especialidade escolhida.

O Mestrado possui duas especialidades ou itinerários de acordo com o perfil e os interesses dos profissionais registrados:

  • Itinerário 1: Cooperação Internacional
  • Itinerário 2: Marketing Político

Esses itinerários são integrados à estrutura do Mestrado, juntamente com os outros módulos que compõem o programa e são estudados cronologicamente da seguinte forma:

Mestrado Internacional em Ciências Políticas

 

  • BLOCO 1: AMBIENTE POLÍTICO INTERNACIONAL (obrigatório)
  • BLOCO 2: LIDERANÇA POLÍTICA (obrigatória)
  • BLOCO 3: GESTÃO POLÍTICA INTERNACIONAL (obrigatória)
  • BLOCO 4: MARKETING POLÍTICO (optativo)
  • BLOCO 4: COOPERAÇÃO INTERNACIONAL (optativa)
  • BLOCO 5: METODOLOGIA DA PESQUISA E TRABALHO FINAL (obrigatório)
BLOCO 5: METODOLOGIA DA PESQUISA E TRABALHO FINAL (OBRIGATÓRIO)
1 Metodologia da Pesquisa Científica
2 Projeto Final/Dissertação de Mestrado

Observação: O conteúdo do programa acadêmico pode estar submetido a ligeiras modificações, em função das atualizações ou das melhorias efetuadas.

Descrições dos Cursos

BLOCO 1: AMBIENTE POLÍTICO INTERNACIONAL

  1. ATORES POLÍTICOS

    Esta disciplina explica em detalhes a noção acadêmica atualmente aceita de ator político, trazendo exemplos internacionais que mostram os fatores que desempenham algum papel importante na questão.

    PARTICIPAÇÃO DO PODER E REPRESENTAÇÃO SOCIOPOLÍTICA
    Participação e democracia. Considerações culturais do sistema político. Recapitulações históricas. Fatores determinantes na representação política.
    DINÂMICA DEMOCRÁTICA
    Comportamento político. Características do sistema eleitoral. Sistema partidário. Diferentes atores políticos e sociais.
    OPINIÃO PÚBLICA
    Atores políticos da informação. Construção da realidade. Sociedade da informação. Corporações, ideologia e democracia.
    PARTIDOS POLÍTICOS
    Fatores na configuração partidária. Classificação de partidos. Organização interna. Comportamento partidário. O partido no estado de opinião.
    GRUPOS DE PRESSÃO
    Conceito de grupo de pressão. Institucionalização dos grupos de pressão. Trato com outros grupos. Grupos de pressão privados relevantes. Grupos de pressão públicos relevantes.
    AGENTES SOCIAIS
    Agentes sociais no ambiente profissional. Atividade dos agentes sociais como atores políticos. Sindicatos. Confederações empresariais. Economia social.
    PROTESTO E MOVIMENTOS SOCIAIS
    Definição de movimentos sociais. Desenvolvimento dos movimentos sociais. Ciberativismo.
  2. RELAÇÕES INTERNACIONAIS

    Esta disciplina visa oferecer uma visão geral das relações internacionais e de suas sinergias com a política externa por meio de seus conceitos, teorias, atores e processos.

    FUNDAMENTOS CONCEITUAIS
    Elementos para o estudo das relações internacionais. Conceito de sistema internacional, centro das relações internacionais. A relação entre o sistema internacional e a sociedade interna. Relações internacionais como marco para a ação da política externa. Política externa dos estados. Diferença entre política externa e política internacional.
    EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO SISTEMA INTERNACIONAL
    Sistema de cidades-estados. Sistema westfaliano (1648-1815). Sistema de equilíbrio do poder (1815-1914). Sistema institucional ou de segurança coletiva (1919-1939). Sistema bipolar e a Guerra Fria (1945-1989). Sistema contemporâneo (1989-?).
    ENFOQUES TEÓRICOS DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS
    Idealismo versus realismo nas relações internacionais. Enfoques sistêmicos e seus detratores. Teorias do conflito. Principais visões interpretativas. Reformulação das principais tradições intelectuais.
    PROCESSO DE ELABORAÇÃO E EXECUÇÃO DA POLÍTICA EXTERNA
    Política externa. Determinantes da política externa: condicionantes. Atores envolvidos na concepção da política externa. Etapas da política externa: elaboração, execução e controle.
    POLÍTICAS EXTERNAS DA AMÉRICA LATINA
    Evolução das relações internacionais e da política externa na América Latina. Um marco para a análise da política externa na América Latina. Perspectivas sobre as fontes externas de política externa. Atores e tomada de decisão. Políticas externas latino-americanas: algumas tendências gerais nas últimas décadas.
  3. TEORIA DO ESTADO

    Esta disciplina fornece ao participante os elementos necessários para compreender a formação e existência do Estado, bem como para adquirir conhecimentos sobre os poderes estatais, seus alcances, suas limitações e seus modos de expressão.

    TEORIA DO ESTADO E SEU OBJETO DE ESTUDO: O ESTADO
    Noções sobre o Estado. Teorias sobre a origem e a natureza do Estado. Elementos. Características fundamentais. Conceito. Personalidade jurídica. Evolução histórica.
    FORMAS DE ESTADO E DE GOVERNO. SISTEMAS DE GOVERNO
    Formas de Estado. Formas de Gobierno. Sistemas de Gobierno.
    ÓRGÃOS E FUNÇÕES DO ESTADO
    Sistema de divisão de poderes e freios e contrapesos. Órgãos do Estado: conceito e tipologia. Funções do Estado. Distinção.
    SISTEMA POLÍTICO DA SOCIEDADE
    Noção, definição e fundamento para a Teoria do Estado. Elementos. Partidos políticos. Regimes políticos. Democracia liberal. Regime socialista. Regimes autocráticos.
    ESTADO E DIREITO COMO PRODUTOS SOCIAIS
    Relações entre Estado e Direito.
    CONSTITUIÇÃO POLÍTICA DO ESTADO
    Conceito de Constituição. Aulas de Constituição. Características de cada Constituição. Constitucionalismo. História mundial do constitucionalismo. Poder constituinte. Garantias constitucionais. Antecedentes históricos do Direito Constitucional. Papel do constitucionalismo no Estado e no Governo. Justiça constitucional. Conceito. Diferentes modelos de justiça constitucional. Reformas constitucionais.
  4. ECONOMIA INTERNACIONAL

    Esta disciplina estuda os eventos econômicos mundiais, os conceitos gerais da macroeconomia, a estrutura dos diferentes setores econômicos, a estrutura, o funcionamento e as funções das principais instituições econômicas internacionais e a conjuntura econômica das principais regiões.

    INTRODUÇÃO À ECONOMIA INTERNACIONAL E A GLOBALIZAÇÃO
    Globalização da atividade econômica. Etapas do processo de globalização. Interações entre trabalho e capital em uma economia globalizada.
    INDICADORES MACROECONÔMICOS E CICLOS ECONÔMICOS
    Introdução à macroeconomia. Modelo de despesas agregadas. Macromagnitudes. Política monetária. Demanda agregada, oferta agregada e equilíbrio. Setor externo. Greve. Inflação.
    ATIVIDADE ECONÔMICA INTERNACIONAL POR SETORES
    Setor primário. Setor secundário. Setor terciário. Novos setores.
    COMÉRCIO INTERNACIONAL: GLOBALIZAÇÃO E ABERTURA DE MERCADOS
    Teorias gerais sobre o comércio internacional. OMC. Evolução do comércio mundial. MERCOSUL.
    INSTITUIÇÕES ECONÔMICAS INTERNACIONAIS E SISTEMAS DE INTEGRAÇÃO
    Fundo Monetário Internacional (FMI). Banco Mundial (BM). Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).
    EVOLUÇÃO ECONÔMICA DAS DIFERENTES ÁREAS DO MUNDO
    Américas. Europa. Ásia e Pacífico. Oriente Médio e Ásia Central. África Subsaariana.
  5. DIREITO INTERNACIONAL

    Esta disciplina dota o participante de amplo conhecimento relacionado ao sistema jurídico que rege o cenário internacional.

    SOCIEDADE INTERNACIONAL E DIREITO PÚBLICO INTERNACIONAL
    Sociedade Internacional. Direito Público Internacional e Relações Internacionais. Conceito e fundamentos do Direito Público Internacional. Fontes do Direito Público Internacional. Princípios gerais do Direito. Sujeitos do Direito Público Internacional.
    ESTADOS: SUJEITOS DO DIREITO PÚBLICO INTERNACIONAL
    Estado sujeito ao direito internacional. Elementos do Estado. Continuidade dos Estados. Princípios que regem as relações entre os Estados. Competências espaciais e pessoais do Estado.
    ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS SUJEITAS AO DIREITO INTERNACIONAL
    Organizações internacionais. Órgãos das organizações internacionais. Tipos de organizações internacionais. Organizações internacionais de alcance universal. Organizações regionais. Organização dos Estados Americanos (OEA). União Africana (UA).
    RESPONSABILIDADE INTERNACIONAL
    Ilícito internacional. Definição. Sistemas de solução pacífica de controvérsias internacionais. Direitos Humanos no Direito Público Internacional.
  6. POLÍTICAS PÚBLICAS

    Esta disciplina propõe familiarizar os estudantes com a relação Estado-sociedade a partir da intervenção do conjunto de atores que assumem papéis importantes na tomada de decisões dos governos, expressos nas políticas públicas.

    CONCEITUALIZAÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS. ENFOQUE TEÓRICO E TIPOLOGIA
    Origem das políticas públicas. O Estado e as políticas públicas. Conceito de política pública. Atores das políticas públicas. Enfoques teóricos das políticas públicas.
    TIPOLOGIA, INSTRUMENTOS E PROGRAMAS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS
    Tipologia das políticas públicas. Instrumentos de intervenção do Estado. Programas de políticas públicas, programas políticos e complexidade social. Ciclo das políticas públicas.
    CONSTRUÇÃO DE PROBLEMAS PÚBLICOS
    Surgimento e caracterização de problemas públicos. Análise do problema público.
    ELABORAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS
    Elaboração ou formulação das políticas públicas. Participação setorial e cidadã no diagnóstico. Representação governamental na decisão.
    IMPLEMENTAÇÃO DAS DECISÕES DAS POLÍTICAS PÚBLICAS
    Papel das organizações na sociedade. Enfoques da implementação. Execução como processo de aprendizagem. Principais obstáculos enfrentados pelos processos de implementação de políticas públicas.
    AVALIAÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS
    Definição da avaliação das políticas públicas. Tipos de avaliação das políticas públicas. Objetivos da avaliação das políticas públicas. Formas de avaliação das políticas públicas. Critérios de avaliação. Avaliadores.
    GESTÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
    Burocracia. Administração pública. Estratégias da administração pública. Novos modelos de gestão das políticas públicas. Eficiência administrativa. Participação cidadã na administração pública.
    POLÍTICAS PÚBLICAS NA AMÉRICA LATINA
    Reforma do Estado e políticas públicas. Políticas de ciência e tecnologia. Políticas de educação. Políticas sociais. Políticas públicas: principais resultados no desenvolvimento.
  7. POLÍTICA E COMUNICAÇÃO

    Esta disciplina dota o estudante de material científico para que ele possa compreender a realidade, interpretá-la e construir um discurso que oriente positivamente a comunicação política de modo a se tornar um assessor e consultor em comunicação política e campanhas eleitorais.

    ORIGENS E EVOLUÇÃO DA COMUNICAÇÃO POLÍTICA
    Conceito de comunicação política. Comunicação humana. Origens da comunicação política. Comunicação política moderna. Pesquisa em comunicação política.
    POLÍTICA E LIDERANÇA
    Política e liderança. Tipos de autoridade. Liderança. Tipos de liderança. Qualidades do líder. Níveis de liderança. Branding político. Criação do branding político.
    PESQUISA E COMUNICAÇÃO POLÍTICA
    Pesquisa para saber se comunicar. Pesquisa qualitativa. Entrevistas qualitativas. Tipos de entrevistas qualitativas. Pesquisa quantitativa. Questionário. Enquetes. Ficha técnica. Outros métodos de pesquisa em ciências sociais.
    COMUNICAÇÃO POLÍTICA
    Tipos de comunicação política. Discurso. Relato. Imagem dos candidatos políticos. Posicionamento do candidato.
    COMUNICAÇÃO POLÍTICA GOVERNAMENTAL
    Comunicação política governamental. Organização da comunicação política governamental. Construção da mensagem da política governamental. Plano de comunicação política governamental. Comunicação de crise. Campanha permanente. Comunicação governamental com as novas tecnologias.
    DIREÇÃO, GESTÃO E COMUNICAÇÃO DE UMA CAMPANHA ELEITORAL
    Direção de uma campanha eleitoral. Plano de campanha. Comitê de campanha. Programa eleitoral. Cronograma de campanha. Agenda eleitoral. Plano de comunicação. Candidato. Campanha negativa. Papel da mídia nas campanhas eleitorais. Meios de comunicação convencionais.

BLOCO 2: LIDERANÇA POLÍTICA

  1. SISTEMAS POLÍTICOS COMPARADOS

    Nesta disciplina, são trabalhadas as formas de governo, os sistemas partidários e os sistemas eleitorais, bem como os elementos da política comparada.

    INSTITUIÇÕES POLÍTICAS E FORMAS DE GOVERNO
    Instituições políticas. Formas de governo I: as monarquias. Formas de governo II: as repúblicas. Formas de governo III: outros casos.
    PARTIDOS E SISTEMAS PARTIDÁRIOS
    Partidos políticos. Sistemas partidários.
    SISTEMAS ELEITORAIS
    Tamanho do distrito. Fórmula de atribuição de assentos.
    SISTEMAS POLÍTICOS NAS DEMOCRACIAS OCIDENTAIS
    Áustria. Bélgica. Espanha. Estados Unidos da América. França. Países Baixos. Itália. Japão. Reino Unido. República Federal da Alemanha.
  2. SISTEMAS ADMINISTRATIVOS COMPARADOS

    A disciplina fornece um referencial teórico-conceitual mínimo sobre o estudo da administração pública a partir de uma perspectiva comparada, ao mesmo tempo em que oferece uma visão global dos diversos sistemas administrativos.

    QUADRO COMPARATIVO DOS SISTEMAS ADMINISTRATIVOS
    A tradição do estudo comparativo da administração pública. Problemas conceituais e metodológicos da comparação das administrações. Oportunidades: por que a comparação das administrações é necessária e útil? Os principais temas na comparação dos sistemas administrativos. Utilidade do estudo das tradições administrativas. Sobre estes materiais didáticos: conteúdo e enfoques.
    REGIMES POLÍTICO-ADMINISTRATIVOS
    Tendência de presidencialização do poder executivo. Governos e ministros. Processo decisório no âmbito do governo. Influência dos ministérios e dos partidos. Papel desempenhado por ministros individuais. Sistema de assessoria. Relações entre o poder executivo e o parlamento.
    FUNÇÃO PÚBLICA
    Tipologia de servidores públicos e de sistemas de função pública. Tamanho do emprego público. Neutralidade técnica e sensibilidade política. Recrutamento na função pública. Competências dos funcionários públicos. Recompensas e remunerações dos funcionários públicos.
    AMBIENTE DOS SISTEMAS ADMINISTRATIVOS
    Partidos políticos. Sistema eleitoral. Grupos de pressão. Participação cidadã e opinião pública.
    ESTRUTURAS ADMINISTRATIVAS
    Distribuição horizontal do poder. Distribuição vertical do poder. Proliferação de agências em perspectiva comparada. Escolha do usuário. Coordenação.
    GOVERNO LOCAL
    Estudo comparativo dos sistemas administrativos locais. Estrutura e organização dos sistemas de governo local. Poderes e funções dos governos locais. Configuração e funcionamento democrático dos sistemas político-administrativos locais. Relações intergovernamentais entre o contexto local e outros.
    SISTEMA ADMINISTRATIVO DO REINO UNIDO
    Administração Central. Função pública. Administração territorial. Relações intergovernamentais. Reforma do setor público.
    SISTEMA ADMINISTRATIVO DA ALEMANHA
    Administração federal: de Bonn a Berlim. Função pública. Administrações territoriais. Relações intergovernamentais. Reformas da administração pública.
    SISTEMA ADMINISTRATIVO DOS ESTADOS UNIDOS
    Administração Federal. Função pública. Estados e entidades locais. Relações intergovernamentais. Reforma da administração.
    SISTEMA ADMINISTRATIVO DA FRANÇA
    Estruturas administrativas da Administração Central. Função pública. Administração territorial. Relações intergovernamentais.
    SISTEMA ADMINISTRATIVO DO CANADÁ
    Poder Executivo e Administração Federal: estruturas político-administrativas. Função pública. Administrações territoriais: províncias e entidades locais. Relações intergovernamentais. Reforma da administração pública canadense.
    SISTEMA ADMINISTRATIVO DA SUÉCIA
    Instituições e cultura do consenso. Administração Central. Função pública. Administração territorial. Relações intergovernamentais. Reforma do sistema sueco.
  3. TÉCNICAS DE GESTÃO E LIDERANÇA

    Esta disciplina busca conhecer e aprofundar os estilos de liderança e gestão, sua relação, diferenças, importância e enfoques teóricos, bem como as competências e habilidades necessárias para o seu exercício na política.

    INTRODUÇÃO À IMPORTÂNCIA DA LIDERANÇA E DA GESTÃO ORGANIZACIONAL
    Principal recurso humano: as pessoas. Gestão e psicologia social. O que é liderança? Definição, diferenças e funções do líder e do gestor. Cultura organizacional, valores e processos de mudança. Importância da liderança organizacional.
    ENFOQUES TEÓRICOS NO ESTUDO DE GESTÃO E LIDERANÇA: SUA EVOLUÇÃO
    Pré-história da liderança. Revolução industrial. Escola clássica da organização científica - líder autoritário. Escola das relações humanas - líder democrático. Modelo burocrático - líder carismático. Teoria comportamental – teoria dos traços – líder qualidades psicológicas. Desenvolvimento organizacional - líder de grupo. Gestão participativa. Escola sistêmica da administração teorias de contingência. Líder orientado à tarefa e orientado às relações. Gestão estratégica - mudança por valores - competências.
    ESTILOS DE LIDERANÇA
    Definições. Estilo de liderança. Tipos de estilos clássicos de liderança. Outros tipos de liderança. Modelos de estilos de liderança contemporâneos. Princípios essenciais dos líderes na condução dos homens. Liderança eficaz.
    COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO LÍDER E DO GESTOR: TÉCNICAS E FERRAMENTAS
    Competências e habilidades do líder e do gestor. Análise dos resultados de uma pesquisa sobre a confiabilidade no líder em um hospital. Avaliação das características pessoais. Técnicas e ferramentas para o trabalho do líder.
    NECESSIDADE DE EXERCER UM ESTILO DE LIDERANÇA ÉTICO NA POLÍTICA
    É possível ter ética nas lideranças e nos ambientes empresariais? Ética e liderança política. Como podemos construir uma liderança política ética e consciente? Ética em sociedades abertas e da informação. Proposta de código ético para políticos.
  4. TÉCNICAS DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS

    Ao longo desta disciplina, o aluno conhecerá os aspectos teóricos e práticos relacionados ao conflito, suas características e tipos, bem como as estratégias de resolução mais utilizadas.

    INTRODUÇÃO À ANÁLISE DE CONFLITOS
    Teorias sobre a origem e as causas dos conflitos. Classes ou tipos de conflitos. Formas de expressão do conflito. Fontes ou causas dos conflitos. Fases ou etapas dos conflitos. Consequências dos conflitos. Conclusões.
    ESTRATÉGIAS OU MÉTODOS PARA A RESOLUÇÃO DE CONFLITOS
    Gestão do conflito (fases e curva de resolução). Introdução às estratégias de resolução de conflitos. Estratégias de negociação. Estratégia de mediação (facilitação e consulta). Estratégia de arbitragem.
    COMPETÊNCIAS E HABILIDADES PARA A RESOLUÇÃO DE CONFLITOS
    Competências emocionais necessárias para resolver conflitos. Competências pessoais. Competências sociais. Habilidades sociais. Competências mais relacionadas ao negócio. Habilidades dos especialistas em resolução de conflitos. Conclusões.
    RESOLUÇÃO DE CONFLITOS E GESTÃO DE CRISES
    Introdução. Prevenção de crises. O que devemos fazer em caso de conflito ou crise? Qual é a informação que devemos oferecer aos familiares das vítimas de um conflito, como porta-vozes políticos? Pós-crise.
  5. TÉCNICAS DE GESTÃO DE EQUIPES DE TRABALHO

    O principal objetivo é fornecer conhecimentos e habilidades para a gestão de equipes de trabalho. Para isso, apresentaremos um conjunto de conceitos, técnicas, ferramentas e mecanismos que pode ser utilizado para gerenciar equipes nas quais as mudanças são frequentes e a variedade de estilos de trabalho está cada vez mais presente.

    EQUIPES DE TRABALHO
    Introdução. Considerações gerais. Formação de equipe. Diversidade dos tipos de grupos. Diferenças entre grupos e equipes de trabalho. Sistemas de alto desempenho e gestão participativa. Regras da equipe. Habilidades gerenciais para o trabalho em equipe. Legitimação das percepções. Regras de trabalho em equipe. Consenso. Três elementos-chave para o trabalho em equipe. Características das equipes eficientes. Erros mais frequentes na condução de equipes de trabalho. Gestão de conflitos.
    PRINCIPAIS FERRAMENTAS PARA APERFEIÇOAR EQUIPES
    Introdução. Interação entre interesses individuais e coletivos. Autorrealização pessoal no trabalho em equipe. Liderança e equipes autodirigidas. Exercício prático: os 7 hábitos da liderança. O oitavo hábito da liderança. Inteligência emocional na equipe. Comunicação e equipes de trabalho. Você é uma pessoa assertiva? Redes sociométricas. Sociograma. Teste de avaliação de grupo. Psicograma. Reuniões e sessões de trabalho em equipe. Método de interação. Delegação, autonomia e independência. Gestão por objetivos e resultados.
    TÉCNICAS PARA A TOMADA DE DECISÃO
    Introdução. Empowerment. Considerações sobre a tomada de decisão. Fatores dos quais ela depende. Processo de tomada de decisão. Técnicas de geração de ideias. Técnicas centradas em alcançar o consenso. Técnicas para melhorar a efetividade da comunicação. Técnicas centradas na organização de ideias.
    GESTÃO INCLUSIVA DE EQUIPES GERENCIAIS E DE TRABALHO PARA A IGUALDADE DE GÊNERO
    Introdução. Por que promover a inclusão de mulheres em cargos de gestão política? Integração em cargos de responsabilidade. Em direção a usos não discriminatórios da linguagem nas equipes gerenciais e de trabalho e nas administrações e empresas públicas.
  6. TÉCNICAS DE APRESENTAÇÃO EM PÚBLICO

    O ponto de partida deste curso é a crescente importância de dominar as habilidades de comunicação oral para alcançar a máxima eficiência no desenvolvimento da tarefa comunicativa de um profissional político.

    COMUNICAÇÃO ORAL EFETIVA
    Introdução. Comunicação oral. Discurso público. Orador.
    FERRAMENTAS DO ORADOR
    Introdução. Voz. Corpo e gestualidade.
    MENSAGEM
    Introdução. Conteúdo. Formulação das ideias. Roteiro. Estratégias do discurso.
    APRESENTAÇÃO EM PÚBLICO
    Introdução. Elementos de apoio na exposição. Interação com o público. Passos prévios.
    APRESENTAÇÕES DE PORTA-VOZES POLÍTICOS
    Introdução. Comunicar adequadamente. Discurso na comunicação política 2.0.

BLOCO 3: GESTÃO POLÍTICA INTERNACIONAL

  1. CIENCIA Y POLÍTICA DEL CAMBIO CLIMÁTICO

    A disciplina aqui apresentada busca oferecer uma visão abrangente das relações entre a economia e o ambiente, das negociações realizadas pelos países para reduzir as emissões de GEE, do funcionamento dos mecanismos implementados para esse fim e da arquitetura financeira necessária.

    PROBLEMÁTICA AMBIENTAL GLOBAL E EFEITOS ECONÔMICOS
    Introdução. Relações entre a economia e o ambiente. Funções do ambiente: valores de uso e não uso. Escolas de pensamento. Definição de externalidade e conceitos prévios. Bens públicos. Sistema de mercados. Internacionalização da intervenção no ambiente. Critérios de seleção e avaliação de instrumentos. Valorização monetária do ambiente. Imposto ou padrão sobre o carbono? Conclusão.
    ACORDOS E NEGOCIAÇÕES INTERNACIONAIS SOBRE MUDANÇA CLIMÁTICA
    Introdução. Visão compartilhada. Principais atores da negociação. Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança Climática.
    MECANISMOS FINANCEIROS DA MUDANÇA CLIMÁTICA
    Introdução. Revisão do atual modelo econômico-financeiro. Importância dos acordos de Copenhague (2009) e Cancun (2010) sobre financiamento climático. Relatório do Grupo Consultivo de Alto Nível das Nações Unidas para Financiamento das Mudanças Climáticas (AGF, 2010). Estudo da CQNUMC (2007, rev. 2008). Fontes de financiamento. Fundo verde para o clima. Tendências.
    MECANISMOS DE FLEXIBILIDADE DO PROTOCOLO DE QUIOTO E MERCADOS VOLUNTÁRIOS
    Mercado mundial de carbono. Mercado de Quioto ou obrigatório. Mercado de direitos de emissão de CO2. Mercado não Quioto ou voluntário.
  2. ASPECTOS JURÍDICOS E TRATADOS DE LIVRE COMÉRCIO

    Ao terminar o curso, o aluno terá a capacidade de analisar um contrato internacional, argumentando criticamente o conteúdo das cláusulas mais relevantes e as consequências jurídicas e patrimoniais que acarretaria a assinatura do referido instrumento, entre outros.

    DIREITO EMPRESARIAL INTERNACIONAL: EMPRESAS NO CENÁRIO GLOBAL
    Direito empresarial internacional. Características do direito empresarial internacional. Organização Mundial do Comércio e direito empresarial internacional. Globalização e direito empresarial internacional. Integração e direito empresarial internacional. Empresa transnacional. Pessoas jurídicas no cenário internacional.
    CONTRATOS INTERNACIONAIS
    Regime de contratação internacional.
    TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL
    Importância da tributação nas decisões das empresas multinacionais. Tipos e taxas de impostos. Jurisdição fiscal. Tratados fiscais e crédito fiscal.
    TRATADOS DE LIVRE COMÉRCIO
    Tratado de Livre Comércio: aspectos fundamentais. Aspectos formais dos Tratados de Livre Comércio. Tarifas como política econômica estatal. Vantagens e desvantagens de um tratado de livre comércio. Impactos socioeconômicos de um Tratado de Livre Comércio. Procedimento de negociação para um Tratado de Livre Comércio. Conteúdo de um Tratado de Livre Comércio.
  3. RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS INTERNACIONAIS INTERNACIONAL

    Esta disciplina se concentra em questões específicas no âmbito internacional. Embora as ideias e técnicas gerais de gestão de conflitos e mediação sejam naturalmente úteis nesta área, alguns aspectos exigem atenção específica.

    CONFLITOS INTERNACIONAIS. SUA EVOLUÇÃO HISTÓRICA
    Introdução. O que é um conflito internacional? Elementos básicos dos conflitos internacionais. Interpretação dos conflitos segundo as teorias das Relações Internacionais. Evolução histórica dos conflitos armados internacionais.
    TEORIA DOS JOGOS (GAME THEORY) COMO FERRAMENTA DE ANÁLISE DE CONFLITOS
    Introdução. Elementos históricos e conceituais da teoria dos jogos. Modelagem do jogo: expressão das estratégias e dos resultados. Análise dos jogos puramente competitivos: conceito de equilíbrio. Análise dos jogos parcialmente cooperativos ou de soma variável: equilíbrio de Nash e ótimo de Pareto. Esquemas básicos dos conflitos. Dilemas.
    MODELOS E MÉTODOS DE INTERVENÇÃO E MEDIAÇÃO NOS CONFLITOS INTERNACIONAIS
    Introdução. Modelo das Nações Unidas. Contribuições da sociedade civil. Conflito árabe-israelense. Conflito na ex-Iugoslávia. Conflito no Afeganistão. Conflito colombiano.
    PESQUISA SOBRE A CONSTRUÇÃO DA PAZ E DA “NÃO VIOLÊNCIA”
    Introdução. Estudos sobre a paz. Evolução dos estudos para a paz: a paz negativa. Evolução dos estudos para a paz: a paz positiva. Evolução dos estudos para a paz: a paz neutra. Contribuições a partir da “não violência”. Para concluir.

BLOCO 4: MARKETING POLÍTICO

  1. INTRODUÇÃO AO NOVO MARKETING POLÍTICO

    Começamos com uma breve introdução, mas com um conteúdo essencial para entender como funcionam os fluxos de comunicação hoje. A importância dos grupos e nossa identificação com eles.

    NOVOS MOVIMENTOS POLÍTICOS E SOCIAIS
    Um novo ator emergente ou não tão novo: os populismos. Origens do populismo moderno. Características do populismo.
    COMUNICAÇÃO 2.0
    Facebook. Twitter. Instagram. Youtube. Four Square. Outras redes sociais. Marketing experiencial. Gamificação. Realidade aumentada. Web tridimensional.
    NOVAS TECNOLOGIAS E SEU IMPACTO NA COMUNIDADE POLÍTICA
    O two-step flow. Vigência dos clássicos nos tempos modernos. Protestos árabes, Hong Kong e Chile. Rede sem liderança.
    NOVAS TECNOLOGIAS E SEU IMPACTO NA COMUNIDADE POLÍTICA
    El two-step flow. La vigencia de los clásicos en tiempos modernos. Protestas árabes, Hong Kong y Chile. La red sin liderazgo.
    O PÚBLICO DA INTERNET
    Esfera pública digital. Cibercandidatos. Ciberativistas. Infopolítica. Ciberpolítica.
    TENDÊNCIAS DO NOVO MARKETING POLÍTICO
    Engagement. O compromisso dos seguidores. Imagens compartilhadas. Crowdsourcing e crowdfunding. Campanha permanente. Agenda pública. Implicação. Visibilidade na rua. Comunicar jogando. Segmentação. Causas. Dimensão ética do novo marketing político. Emoldurando nossas ideias. Narrativas transmídia. Mainstream media e grassroots media. O politing.
  2. GESTÃO ESTRATÉGICA DO MARKETING POLÍTICO

    Não existem receitas mágicas que nos digam quais campanhas serão mais ou menos adequadas aos nossos propósitos, mas o que está em nossas mãos é conhecer os eleitores e seus hábitos, definir nossa mensagem de forma que seja compreensível para o público e satisfatória para nossos interesses políticos e eleitorais, saber como a organização para a qual trabalhamos é percebida e encontrar a melhor forma de transmitir nossos princípios ao eleitorado. É disso que trata este disciplina.

    BREVE PERCURSO PELAS ORIGENS DO MARKETING POLÍTICO - MENSAGEM POLÍTICA E SEUS ATORES
    Como definir a mensagem política. Transmissores da mensagem política
    ETAPAS DE UMA GESTÃO DE MARKETING POLÍTICO
    Análise da organização. Formulação de objetivos. Informação. Análise do mercado político. Escolha de públicos. Plano de comunicação; estratégia e discurso. Método AIDA. Seleção de meios. Criação do plano de mídias. Execução: mobilização.
    ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO DE MARKETING DE UMA ENTIDADE POLÍTICA
    Serviço de análise eleitoral. Serviço de atos públicos. Serviço de propaganda. Serviço de relações públicas e comunicação. Redação do discurso político. Serviço de formação e treinamento. Serviço de logística. Serviço financeiro. Aconselhamento jurídico. Serviço de informação e documentação. Serviço de planejamento e controle.
    MEIOS DE DIVULGAÇÃO DA MENSAGEM
    Contato pessoal. Comícios. Publicidade exterior. Meios de comunicação de massas.
    NEUROMARKETING
    Dois caminhos em direção à persuasão. Como nosso cérebro decide. Aplicação do neuromarketing à política. Estratégias centradas no neuromarketing. Neuromarketing e meios de comunicação na publicidade.
  3. ELEMENTOS DA CAMPANHA ELEITORAL

    Esta disciplina destina-se a todos aqueles estudantes e profissionais que pretendam conhecer e se aprofundar no chamado mundo das campanhas eleitorais, implementando, com o seu conteúdo, o conhecimento sobre os fatores e elementos que uma campanha eleitoral deve conter, para atingir o objetivo primordial: alcançar o poder ou permanecer nele.

    O QUE SÃO AS CAMPANHAS ELEITORAIS?
    Introdução. Campanhas eleitorais, abordagem histórica e etimológica. Comunicação eleitoral e campanhas eleitorais. Breve revisão histórica. Características das campanhas eleitorais. Sujeitos da campanha eleitoral. Ética e comunicação eleitoral. Recursos da campanha eleitoral. Aspectos jurídicos em relação à campanha eleitoral.
    ELEMENTOS DA CAMPANHA ELEITORAL I
    Introdução. Objetos da campanha eleitoral. Funções das campanhas eleitorais. Estratégia eleitoral. Etapas da campanha eleitoral.
    ELEMENTOS DA CAMPANHA ELEITORAL II
    Introdução. Criação e planejamento de campanha. Persuasão e propaganda eleitoral. Propaganda eleitoral. Meios de campanha eleitoral. Propaganda televisiva e audiovisual. O Dia D. Pós-campanha. Novas tendências na comunicação política e eleitoral: infoentretenimento.
    CANDIDATO I
    Introdução. Candidato. Atributos e estratégia do candidato. Campanha do candidato. Criando a marca candidato. Imagem política na campanha. Personalização política. Preparação e exposição pública do candidato. E-leader.
    CANDIDATO II
    Introdução. Treinamento do candidato. Intervenções do candidato.
  4. FUNDAMENTOS DAS RELAÇÕES PÚBLICAS E DO PROTOCOLO

    Busca-se que os estudantes conheçam qual é o papel das relações públicas em uma empresa, organização ou instituição, familiarizem-se com os processos e técnicas de pesquisa e incorporem normas de comportamento social.

    ORIGENS, DESENVOLVIMENTO E CONSOLIDAÇÃO DAS RELAÇÕES PÚBLICAS
    Definição de relações públicas. História das relações públicas. Etapas de consolidação das relações públicas. Objetivos e funções das relações públicas. Relações públicas no mundo. Relações públicas diante de outras disciplinas relacionadas. Público. Opinião pública. Ética como matriz de comunicação institucional e das relações públicas.
    PAPEL DAS RELAÇÕES PÚBLICAS NAS ORGANIZAÇÕES
    Erros e barreiras mais comuns na comunicação. Comunicação formal e comunicação informal. A localização das relações públicas nas organizações. Gestão da comunicação interna e externa. Noções sobre gestão estratégica da comunicação. Perfil do responsável pelas relações públicas. Missão das organizações.
    FERRAMENTAS DE RELAÇÕES PÚBLICAS
    Um olhar para o interior dos meios de comunicação. Instrumentos de comunicação com os meios. Relações públicas em situações de crise ou conflito. Manual de crise e como realizá-lo. Relações públicas em ambientes digitais. Processos e técnicas de pesquisa. Tendências atuais em relações públicas.
    DISCURSO COMO FERRAMENTA DE IMAGEM E COMUNICAÇÃO
    Arte da oratória. Retórica. Discurso oficial.
    NOÇÕES DE PROTOCOLO
    Origem do protocolo como modelo de comunicação. Tipos de atos. Esquema básico de um ato. Tratamentos. Precedentes oficiais. Distribuição de mesas e assentos principais. Uso da cortesia no decorrer dos atos.
  5. BRANDING POLÍTICO

    Com este material aprofundamos as principais áreas que devem ser consideradas para criar, desenvolver e gerir a imagem e identidade pessoal no campo político. Serão fornecidas ferramentas para saber comunicar, persuadir, convencer e assumir a responsabilidade pelo compromisso.

    HISTÓRIA DO BRANDING
    Origem do branding. Branding político.
    ESTUDO DE MERCADO
    Conceito e alcance. Processo de estudo de mercado. Técnicas de pesquisa de mercado. Estudo inicial do “eu”/“nós”. Planejamento e concepção.
    PERSONALIDADE DO ATOR POLÍTICO: IDENTIDADE E IMAGEM
    Marca pessoal.
    ESTILOS DE COMUNICAÇÃO
    Tipologia. Assertividade na política: sentir-se livre comunicando. Escuta ativa e empatia. Assertividade nos meios digitais.
    CRIAÇÃO DE SLOGAN E ARGUMENTOS
    Slogan. Argumento.
    TÉCNICAS DE PERSUASÃO: ORAIS E ESCRITAS
    Comunicação paraverbal. Falar em público. Recursos diante das dificuldades. Técnicas para a redação de discursos. Persuasão não verbal.
  6. OPINIÃO PÚBLICA, PROPAGANDA POLÍTICA E PESQUISAS DE OPINIÃO

    Consideramos que o seu conhecimento, diríamos até o seu domínio, é imprescindível para todos aqueles profissionais que se queiram dedicar ao tempestuoso mundo da política. É preciso ser um conhecedor da gama de recursos que podem ser utilizados para entrar no campo da formação da opinião pública e, portanto, da importância dessa matéria.

    OPINIÃO PÚBLICA
    Conceitos e elementos básicos. Processo de formação. Desde suas origens até o presente. Principais teorias e autores. Opinião pública na sociedade atual. Conclusões.
    MEIOS DE COMUNICAÇÃO COMO FORMADORES DE OPINIÃO
    Funções e características dos meios de comunicação. Opinião pública e comunicação política. Principais autores.
    PROPAGANDA POLÍTICA
    Conceito e origens. Elementos e características. Técnicas de propaganda. Incidência da propaganda na opinião pública.
    PESQUISAS DE OPINIÃO
    Conceito e história. Estrutura e tipos. Alcance e limites. Repercussões e consequências. Pollcracy versus democracia. Visão crítica. Especificidade das pesquisas eleitorais. Aspectos deontológicos e legais.

BLOCO 4: COOPERAÇÃO INTERNACIONAL

  1. INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

    Esta disciplina aprofunda os processos, técnicas e ferramentas aplicáveis ao gerenciamento de projetos.

    DEFINIÇÕES BÁSICAS, CONTEXTO E MARCO REFERENCIAL
    Gerenciamento de projetos. Projetos no contexto organizacional. Governabilidade de projetos. Tipos de projeto. Características do trabalho em projetos. Influência da estrutura organizacional nos projetos.
    GERENCIAMENTO DE PROJETOS
    Ciclo de vida dos projetos. Ciclo de vida do produto. Metodologias para o gerenciamento de projetos. Corpos de conhecimento em gerenciamento de projetos.
    PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS
    Estudos prévios: viabilidade e factibilidade do projeto. Seleção de um projeto. Processos de gestão/direção no ciclo de vida. Grupo de processos de inicialização. Grupo de processos de planejamento. Grupo de processos de execução. Grupo de processos de monitoramento e controle. Grupo de processos de encerramento. Resultados do projeto.
    SUCESSO NOS PROJETOS
    Caracterização do sucesso. Fatores críticos de sucesso de um projeto. Escritórios de (gestão) de projetos e/ou programas. Maturidade na gestão de projetos. Evolução e tendências da gestão de projetos. Certificações em gerenciamento de projetos.
  2. PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO DE PROJETOS

    A disciplina aprofunda os conceitos, estratégias e técnicas necessárias para a gestão profissional de qualquer projeto.

    PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO DE PROJETOS
    Introdução. Enfoque do PMBOK no planejamento e gerenciamento de projetos. Planejamento de projetos de acordo com a International Project Management Association.
    FORMULAÇÃO E SOLUÇÃO DO PROBLEMA
    Definição da missão, dos objetivos e do escopo do projeto. Identificação da missão. Objetivos do projeto. Escopo do projeto.
    ESTIMATIVA DO TEMPO DO PROJETO
    Definição de atividades. Representação gráfica do Projeto. Estimativa da duração das atividades. Cálculo do programa do projeto.
    ESTIMATIVA E PROGRAMAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E HUMANOS
    Matriz de responsabilidade. Reestruturação de tarefas e recursos. Planejamento com recursos limitados. Nivelamento e alocação com recursos limitados. Limitação do recurso tempo. Exemplos de aplicação.
    ESTIMATIVA DE CUSTOS DO PROJETO
    Definições e tipos de custos. Estimativa do custo do projeto. Elaboração do orçamento do projeto.
    PLANEJAMENTO DAS AQUISIÇÕES
    Dados para o planejamento das aquisições. Ferramentas e técnicas para o planejamento de aquisições. Resultado do planejamento das aquisições. Planejamento do pedido de ofertas.
    CADERNO DE NOTAS DO PROJETO
    Assinatura do plano. Mudanças do plano.
    PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO DE PROJETOS EM CIÊNCIA POLÍTICA
    Projeto de pesquisa. Coleta e tratamento da informação. Análise e interpretação dos dados. Ética da pesquisa científica.
  3. MARCO LÓGICO

    A disciplina introduz o tema do Enfoque do Marco Lógico, também conhecido pela sigla EML, a partir de uma perspectiva ampla e geral.

    ENFOQUE DO MARCO LÓGICO
    Antecedentes do marco lógico. Passos do Enfoque do Marco Lógico. Análise da viabilidade. Fatores de desenvolvimento.
    GESTÃO DO CICLO DO PROJETO
    Projeto de desenvolvimento. Gerenciamento do ciclo do projeto.
  4. TEORIA DO DESENVOLVIMENTO DA COOPERAÇÃO

    A disciplina apresenta a cooperação e o desenvolvimento com um enfoque formal e teórico que permite o embasamento acadêmico sobre um tema que muitas vezes é considerado prático ou aplicado.

    COOPERAÇÃO INTERNACIONAL PARA O DESENVOLVIMENTO
    Cooperação internacional. Cooperação internacional na esfera mundial. Elementos a destacar da cooperação internacional. Considerações finais sobre cooperação internacional.
    PARADIGMA DO DESENVOLVIMENTO HUMANO SUSTENTÁVEL
    Definição de desenvolvimento humano. Origens e teorias sobre o desenvolvimento. Desenvolvimento humano vs. desenvolvimento econômico. Evolução histórica da ajuda ao desenvolvimento. Objetivos do Milênio. Medição do desenvolvimento humano. Pobreza como fundamento do subdesenvolvimento. Conflitos e desenvolvimento. Desenvolvimento humano e sustentabilidade. Desenvolvimento e direitos humanos. Desenvolvimento social e equidade. Papel da mulher. Relações Internacionais no desenvolvimento humano. Peculiaridades da América Latina.
    TEORIA DO DESENVOLVIMENTO INTERNACIONAL: UMA VISÃO GERAL
    Paradigma do desenvolvimento. Introdução. Teoria do desenvolvimento internacional. Cooperação internacional e desenvolvimento.
  5. 5. SISTEMA DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL

    A disciplina avalia o tema da cooperação e das relações internacionais. Aborda o fenômeno da globalização, inerente à realidade contemporânea, avaliando seu impacto e suas consequências.

    SISTEMA INTERNACIONAL DE COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO
    Cooperação e Ajuda Oficial para o Desenvolvimento. Ajuda humanitária e de emergência. Assistência Internacional para o Desenvolvimento, uma visão crítica. Novo quadro interpretativo para a AID.
    SISTEMA DE DOADORES
    Sistema de cooperação multilateral, intergovernamental ou supranacional. Agências de cooperação bilateral. Organizações não governamentais de desenvolvimento. Ajuda privada. Novas formas de colaboração: fundraising e crowdfunding. Comércio justo.
    REALIDADE MUNDIAL
    Sistema de organizações internacionais: sua evolução. Geografia mundial: continentes e zonas de conflito. Relações Internacionais. Mundo organizado. Mapas do mundo.
    GLOBALIZAÇÃO
    O que entendemos por globalização? Globalização econômica. Fatos da globalização.

BLOCO 5: METODOLOGIA DA PESQUISA E TRABALHO FINAL

  1. METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA

    Esta disciplina busca que o aluno possa delinear as bases da metodologia da pesquisa, apresentando termos e definindo e distinguindo conceitos e noções. Descrever o processo de pesquisa globalmente, oferecendo um esquema integrador e holístico baseado na descrição de cada uma das diferentes etapas que, em geral, caracterizam uma pesquisa, entre muitas outras.

    ASPECTOS EPISTEMOLÓGICOS DA PESQUISA CIENTÍFICA
    Introdução. O que é epistemologia? O que é um paradigma? Conhecimento e ciência. Ciências Naturais e Ciências Humanas: algumas diferenças. Poiésis e práxis: uma chave para a compreensão dos paradigmas. Bibliografia recomendada.
    PROCESSO DE PESQUISA CIENTÍFICA
    Introdução. Etapas do caminho. Bibliografia recomendada.
    COMO SE INICIA UMA PESQUISA? O PROJETO: PONTO DE PARTIDA
    Introdução. Escolha do tema. Formulação do problema. Formulação das perguntas de pesquisa. Definição de objetivos. Elaboração de hipóteses. Justificativa da pesquisa. Definição do título. Bibliografia recomendada.
    CONSTRUÇÃO DO REFERENCIAL TEÓRICO
    Introdução. O que é um referencial teórico? Revisão de literatura: documentação e busca de informações. Elaboração do referencial teórico: orientações norteadoras. Bibliografia recomendada.
    ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA METODOLÓGICA
    Introdução. Definição do tipo de metodologia de pesquisa. Classificação das variáveis. Definição operacional da variável. Amostragem. Técnicas e instrumentos de coleta de dados. Procedimentos para a análise de dados. Bibliografia recomendada.
    RELATÓRIO DE PESQUISA
    Introdução. Partes de um relatório de pesquisa escrito. Aspectos formais na redação de artigos científicos. Alguns critérios para autoavaliação de um relatório de pesquisa. Bibliografia recomendada.
  2. PROJETO FINAL/DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

    A última parte do Mestrado destina-se à realização da dissertação final.

    A dissertação será um trabalho de pesquisa em que o autor reflete sobre alguns dos temas que lhe interessam, relacionados às Ciências Políticas.

    A dissertação poderá iniciar paralelamente ao estudo das disciplinas do programa, de acordo com a conveniência e disponibilidade do aluno. É aconselhável dedicar aproximadamente o último semestre do mestrado para sua preparação e redação definitiva.

    O trabalho será supervisionado por um professor-tutor, cuja atribuição dependerá do tema escolhido.

Direção

  •  Dr. Eduardo René Silva Alvarado.  Doutor em Projetos pela Universidade Iberoamericana Internacional do México. Mestre em Administração e Gestão de Negócios Internacionais pela Universidad Autónoma de Barcelona. Advogado e notário da Universidad Rafael Landívar (com colegiado ativo). Pós-graduado em Direito Empresarial pelo Instituto Guatemalteco de Direito Empresarial. Desde 2005, com publicações no campo jurídico e artístico. Em Barcelona, ministrou cursos relacionados a técnicas e contratos de negociação internacional. Possui mais de 15 anos de experiência em cargos como advogado, assistente jurídico, diretor editorial, consultor jurídico de negócios, advogado júnior, chefe do departamento jurídico. Participou como membro do anteprojeto de atualização da lei de migração da Guatemala.

Professores e Autores

  • Dr. Joaquín Marqués. Doutor em Comunicação pela Universidad Ramón Llull, Mestre em Análise Política pela Universitat Oberta de Catalunya, Mestre em Informações Econômicas pela Universidad Autónoma de Barcelona, Direito e Ciência Política pela Universitat Oberta de Catalunya. Professor universitário credenciado, consultor em ciência política e pesquisador. Autor de várias publicações e palestrante em conferências nacionais e internacionais. Membro da Asociación Catalana de Comunicación, Pesquisa e Estratégias Políticas. Co-diretor da Revista Comunicació, da Sociedade de Comunicação da Catalunha.
  • Dr. Albert Beltrán. Doutor em Ciência Política pela Universidad Pompeu Fabra, graduado em Ciência Política e Sociologia pela Universidad Autónoma de Barcelona e graduado em Filosofia pela Universidad de Barcelona. Professor e tutor em várias universidades, escolas de negócios e instituições públicas e privadas. Formador e pesquisador de negócios em ciências políticas e sociais. Autor de várias publicações acadêmicas e participante de conferências nacionais e internacionais.
  • Dra. Clara Uribe. Doutora em Comunicação e Publicidade Audiovisual pela Universidad Autónoma de Barcelona, mestre em Publicidade e Relações Públicas, mestre em Gestão Comunitária pela Universidad de Alicante, pós-graduado em Comunicação Empresarial pela Universidad Pompeu Fabra e graduado em História Moderna e Contemporânea pela Universidad Autónoma de Barcelona. Professor titular da Universidade Central da Catalunha, pesquisador e professor de outras instituições acadêmicas. Consultor de Gabinete Associado Uribe.
  • Dr. Emmanuel Soriano Flores. Doutor em Ciências no Ensino Superior pela Universidad Autónoma de Chapingo. Mestre em Inovação Educacional pela Universidad Pedro de Gante, Mestre e Bacharel em Administração pela Universidad Nacional Autónoma do México, Pós-graduado em Gestão Financeira e Contabilidade pela European Business School de Barcelona. Professor de graduação e mestrado em várias universidades do México. Professor e pesquisador convidado pela Universidad de Barcelona. Autor e co-autor de várias publicações científicas. Palestrante em conferências nacionais e internacionais.
  • Dr. Carles Brasó. Doutor em História Econômica da China pela Universidad Pompeu Fabra, Barcelona. Programa de Língua e Literatura Chinesa da Universidade de Estudos Estrangeiros de Pequim. Bacharel em Estudos e Sociologia do Leste Asiático pela Universidade Autônoma de Barcelona, Espanha. Professor associado da Universitat Oberta de Catalunya, Universidade de Barcelona, Universidad Pompeu Fabra e professor de outras instituições. Experiência como pesquisador de pós-doutorado na Fundação Ching Ching-kou, em Xangai. Assessor, palestrante e escritor nacional e internacional de assuntos chineses. Consultor da Emergia Partners. 
  • Dra. Diana Rubio. Doutor em Comunicação, Mestre em Novas Tendências da Comunicação e Pós-graduado em Comunicação Política pela Universidade Jaime I, Mestre em Gerenciamento de Eventos pela Escola Internacional de Protocolo, Bacharel em Ciências Políticas e Administrativas pela Universidade de Granada. Professor, pesquisador, consultor e instrutor na área de relações e protocolos institucionais. Vencedor do Victory Awards 2014 pelo melhor blog político do ano. Diretor do Mestrado e responsáveis pelas Relações Internacionais no Instituto Mediterrâneo de Estudos de Protocolo.
  • Lic. Jordi Pascual. Pós-graduação em Comunicação Científica pela Universidad Pompeu Fabra, Bacharel em Ciências da Informação pela Universidad Autónoma de Barcelona, Diploma em Gestão de Empresas de Serviços pela ESADE Business School, Diploma em Relações Públicas pelo Higher Marketing Institute. Professor, professor, pesquisador e consultor em relações públicas. Secretário da Asociación Catalana de Comunicación, Pesquisa e Estratégias Políticas. Diretor de Projetos no Gabinete de Uribe.

Bolsa de Trabalho

A Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) destina periodicamente um valor econômico de caráter extraordinário para Bolsas de estudo em Formação FUNIBER.

Para solicitá-la, preencha o formulário de solicitação de informação que aparece no portal FUNIBER ou entre em contato diretamente com a sede da fundação em seu país para saber se é necessário proporcionar alguma informação adicional.

Uma vez que tenhamos recebido a documentação, o Comitê Avaliador examinará a idoneidade de sua candidatura para a concessão de um incentivo econômico na forma de Bolsa de estudo em Formação FUNIBER.