Mestrado Internacional em Nutrição e Dietética

Apresentação do Programa

Uma boa alimentação ajuda, em grande parte, a contribuir para um ótimo estado de saúde das pessoas. Esta premissa deve-se considerar. Por isso, devemos educar e conscientizar as pessoas que nos rodeia sobre sua vital importância.

O campo da alimentação e da nutrição durante muitos anos tem estado em um segundo plano em nossa sociedade. Não se dava a importância que realmente tem. Atualmente temos um sistema de saúde baseado na cura; a prevenção deve ser nosso primeiro objetivo e a cura deve-se deixar em um segundo termo. Em termos econômicos, alguns programas adequados de prevenção ajudariam a reduzir o gasto atual em Saúde, focalizado em grande parte aos tratamentos paliativos ou curativos.

O avanço das ciências que dão sustentação à nutrição, como a bioquímica, a biologia molecular, a fisiopatologia, a toxicologia, a dietética e a bromatologia faz da nutrição uma ciência fascinante por ser moderna e aplicada. Este avanço faz com que se contemple a nutrição não apenas com olhos científicos, mas com um olhar humano.

O campo da alimentação e da nutrição afeta toda a sociedade, razão pela qual tem uma relação direta com vários campos profissionais. Em muitas ocasiões, estes profissionais não têm uma graduação universitária, no entanto, por suas características pessoais ou por sua experiência, desejam uma formação de qualidade neste campo.

Este Programa é necessário para acessar a uma série de conteúdos que serão imprescindíveis em uma boa execução de trabalho no âmbito da nutrição e para tomar a decisão mais oportuna em todo momento com base nos novos critérios nutricionais.

A quem é dirigido

A metodologia de formação somada à clareza, amplitude e didática da organização dos conteúdos, permite dirigir o Mestrado Internacional em Nutrição e Dietética a profissionais que desenvolvem as suas atividades em postos relacionados com a saúde, a indústria ou empresas que queiram especializar-se na Área da alimentação.

Mestrado Internacional em Nutrição e Dietética tem como destinatários:

  • Licenciados e Graduados em Ciências da Saúde que desejam atualizar ou aprofundar seus conhecimentos em Nutrição e Dietética.
  • Licenciados e Graduados que em razão do exercício profissional desejam se especializar em Nutrição e Dietética.
  • Pessoas com Licenciatura ou Graduação universitária que tenham interesse próprio na matéria.
  • O Mestrado Internacional em Nutrição e Dietética é um complemento ideal para enriquecer qualquer formação de Pré-graduação ou de Pós-graduação para pessoas interessadas em especializar-se em temas de saúde e nutrição.

Titulação

La aprobación exitosa del programa Maestría Internacional en Nutrición y Dietética permitirá obtener el grado de: MAESTRÍA INTERNACIONAL EN NUTRICIÓN Y DIETÉTICA ESPECIALIZADO EN... (los módulos optativos que haya escogido el alumno).

Al finalizar el Programa con éxito, el alumno recibirá el título expedido por la Universidad donde se haya matriculado con el patrocinio de la Fundación Universitaria Iberoamericana (FUNIBER).

Estrutura do Programa

A duração estimada para a realização do Mestrado Internacional em Nutrição e Dietética é de 2 anos.

Com relação à distribuição do tempo se estabelece que:

  • por ser um Curso a distância e não estar sujeito a aulas presenciais, não se estabelece uma data específica de início, razão pela qual o aluno pode formalizar a matrícula em qualquer momento, desde que haja vagas disponíveis.
  • o tempo máximo para poder realizar o curso é de 24 meses. Neste período de tempo, o aluno deve finalizar todas as avaliações correspondentes ao curso.

A estrutura de créditos y horas do Mestrado Internacional em Nutrição e Dietética se apresenta na seguinte tabela

  CRÉDITOS ECTSa DURAÇÃOb HORAS
1ª parte: Módulo Obligatorio 35 12 350
2ª parte: Módulos Optativo 25 6 250
3ª parte: Metodologia da pesquisa científica e Dissertação de Mestrado 30 6 300
TOTAL 90 24 900

a. A equivalência em créditos pode variar segundo a universidade que conceda o título. Um (1) crédito ECTS (European Credit Transfer System) equivale a 10 + 15 horas. Se o aluno cursa o programa matriculado em uma universidade não pertencente ao Espaço Europeu de Educação Superior (EEES), a relação entre créditos e horas pode variar.
b. Duração em meses.

Objetivos

Objetivo geral:

  • Ser capaz de discernir entre crenças alimentares e alimentação adequada para cada pessoa ou grupo, mediante a articulação pedagógica de fundamentos teóricos baseados em evidência científica.

Objetivos específicos:

  • Aplicar normas nutricionais adequadas através da avaliação nutricional do paciente e dos últimos avanços e desenvolvimentos na área da nutrição, alimentação e dietética.
  • Organizar e conceber programas de assessoramento nutricional adaptado às necessidades específicas.
  • Dar ao aluno conhecimentos dos últimos avanços científicos em pontos fundamentais da nutrição e a dietética, tais como a nutrigenômica, os transtornos alimentares, a alimentação na atividade física ou a nutrição clínica.
  • Favorecer o pensamento crítico dos alunos em temas relacionados com a saúde e a nutrição.

Saídas Profissionais

Algumas das saídas profissionais do Mestrado Internacional em Nutrição e Dietética são as seguintes:

  • profissionais de Ciências da Saúde que desejam se especializar em uma área do campo da Nutrição;
  • docente em programas de ensino regular e não regular, pessoal sanitário, pessoal de serviços de restaurantes, centros de informações ao consumidor, associações de enfermos crônicos, colégios, centros cívicos, centros esportivos, etc;
  • pesquisador científico em temas relacionados à alimentação;
  • gerentes ou responsáveis por empresas de restaurantes coletivos: colégios, catering, hotéis, hospitais, geriátricos, etc;
  • técnico em departamento de Pesquisa e Desenvolvimento (P D) da indústria farmacêutica ou do setor alimentar;
  • técnico em departamento de Marketing da indústria farmacêutica ou alimentar;
  • técnico em departamento de Qualidade da indústria farmacêutica ou alimentar;
  • contato comercial em empresas alimentícias ou farmacêuticas com linha de produtos apresentando características nutritivas específicas.

Plano de estudos

O Mestrado Internacional em Nutrição e Dietética tem uma duração total de 90 créditos ECTS (24 meses), divididos em 3 módulos obrigatórios, tal como se apresenta a seguir:

  • 1ª PARTE: MÓDULO OBRIGATÓRIO (45 CRÉDITOS)

A primeira parte do Mestrado se aprofunda em áreas temáticas de grande relevância e atualidade no campo da Nutrição, a partir de uma perspectiva multidisciplinar desta ciência

Las disciplinas e seus créditos correspondentes que compõem a 1ª Parte: Módulo Obrigatório são mostradas na seguinte tabela:

(*) 1 ECTS = 10 horas lectivas 15 horas de trabajo del alumno.

  • 2ª Parte: MÓDULOS OPTATIVOS (15 CRÉDITOS)

O aluno deve escolher um dos módulos integrados pelas seguintes disciplinas:

  • 3ª PARTE: METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA E DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (30 CRÉDITOS)

A última parte do Mestrado está destinada à realização do Projeto Final (PFM) ou Dissertação de Mestrado (DM), sobre algum tema relacionado com a especialidade escolhida e que contabilizará um total de 30 créditos.

  DISSERTAÇÃO DE MESTRADO CRÉDITOS
1 Metodologia da pesquisa científica 5
2 Dissertação de mestrado 25
  TOTAL 30

O objetivo é apresentar um documento completo que mostre o desenvolvimento total do projeto proposto, contemplando a possibilidade de sua execução concreta de acordo aos delineamentos e detalhes da Dissertação de Mestrado apresentada.

O Projeto deve ser uma contribuição a alguns dos campos estudados ou correlacionados, tanto teórica quanto aplicada, e respeitando as doutrinas, teorias e disciplinas relacionadas.

Descrições dos Cursos

1ª PARTE: MÓDULO OBRIGATÓRIO O

  1. AVANÇOS EM ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

    Esta disciplina se aprofunda nos campos da pesquisa bibliográfica, da nutrição baseada na evidência e na rotulagem dos alimentos, sendo composta pelos seguintes temas:

    A pesquisa bibliográfica. A nutrição baseada na evidência. A importância da rotulagem nutricional.

  2. NUTRIÇÃO E SISTEMA IMUNOLÓGICO

    Esta disciplina analisa a importância da alimentação nas respostas imunológicas do organismo em seus diferentes níveis, sendo composta pelos seguintes temas:

    Sistema imunológico. Imunonutrição. Ácidos graxos e sistema imunológico. Antioxidantes naturais: vitaminas, minerais e polifenóis. Probióticos, prebióticos e sistema imunológico. Outros micronutrientes com atividade sobre o sistema imunológico: vitaminas, aminoácidos e nucleotídeos. Leite materno. Efeito da dieta sobre a educação infantil e a programação imunológica. Imunonutrição em situações especiais.

  3. INFLAMAÇÃO E NUTRIÇÃO

    Esta disciplina pretende sustentar a importância das respostas inflamatórias do corpo para a manutenção de sua própria homeostase, sendo composta pelos seguintes temas:

    A inflamação dentro do marco geral da resposta imune. Interações gerais entre nutrientes e processos inflamatórios. A barreira intestinal na resposta imune e inflamatória. Nutrição e processos inflamatórios com base alérgica. A nutrição nas doenças autoimunes: artrite reumatoide e lúpus eritematoso sistêmico. Influência da nutrição no componente inflamatório dos processos metabólicos e cardiovasculares. Nutrição e controle do componente inflamatório na periodontite.

  4. NOVAS TENDÊNCIAS EM CONSUMO ALIMENTAR

    Esta disciplina distingue os condicionantes que influíram e estão influindo atualmente na evolução das novas tendências alimentares, sendo composta pelos seguintes temas:

    Componentes que marcam as novas tendências de consumo alimentar. Tendências de consumo de alimentos baseadas na melhora e na manutenção da saúde. Novas tecnologias aplicadas ao setor alimentício. Aplicação da genética nas novas tendências de consumo alimentar.

  5. GENÉTICA MOLECULAR E NUTRIÇÃO

    Esta disciplina estuda as bases sobre genética molecular necessárias para aplicar estes conhecimentos em campos mais avançados como a nutrição molecular ou a nutrigenômica. É composta pelos seguintes temas:

    Introdução à genética molecular. Do gene à proteína. Bases genéticas de doenças associadas à alimentação. Terapia gênica.

  6. DOENÇAS CARDIOVASCULARES, FUNÇÃO ENDOTELIAL E NUTRIÇÃO

    Esta disciplina se aprofunda no conhecimento sobre as patologias cardiovasculares e a relação da nutrição com a função endotelial. É composta pelos seguintes temas:

    Doença cardiovascular e arterioesclerose. Avaliação da arterioesclerose subclínica. Mudanças terapêuticas no estilo de vida e arteriosclerose subclínica. Alimentação, risco cardiovascular e arterioesclerose subclínica.

  7. NUTRIÇÃO MOLECULAR

    Esta disciplina se concentra no conhecimento sobre os mecanismos moleculares e celulares envolvidos na regulação metabólica e no transporte de diferentes nutrientes que possam ser utilizados para melhorar a qualidade da nutrição humana. É composta pelos seguintes temas:

    Base de regularização metabólica. Bases moleculares e celulares da digestão. O transporte de nutrientes no sistema cardiovascular e linfático. A comunicação intercelular e os mensageiros extracelulares. A comunicação nervosa. A comunicação intracelular.

  8. MICROCOMPONENTES E COMPONENTES BIOATIVOS DA DIETA

    Esta disciplina estuda os diferentes microcomponentes e compostos bioativos, assim como seus efeitos sobre a saúde e suas possibilidades tecnológicas. É composta pelos seguintes temas:

    Metabolismo e biodisponibilidade dos compostos bioativos na dieta. Componentes bioativos da dieta e sua relação com o estado de saúde/doença. Avaliação in vitro da atividade biológica de compostos bioativos. Avaliação da atividade biológica de compostos bioativos emmodelos eucariotas.

  9. RITMOS CIRCADIANOS, HOMEOSTASE ENERGÉTICA E INTEGRAÇÃO METABÓLICA

    Esta disciplina permite adquirir os conhecimentos mais avançados sobre os ritmos circadianos, a homeostase energética e a integração metabólica. É composta pelos seguintes temas:

    Doença cardiovascular e arteriosclerose. Avaliação da arteriosclerose subclínica. Mudanças terapêuticas sobre o estilo de vida. Alimentação, risco cardiovascular e arteriosclerose subclínica. Conclusões. Perspectivas futuras. Apêndice: Manejo terapêutico global do paciente de alto risco

2ª PARTE: MÓDULOS OPTATIVOS

  1. NUTRIGENÔMICA E BIOTECNOLOGIA

    PRINCÍPIOS DE BIOTECNOLOGIA, GENÔMICA E PROTEÔMICA EM ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO
    Esta disciplina analisa a contribuição da genômica à nutrição humana e os princípios da biotecnologia na indústria agroalimentar. É composta pelos seguintes temas:
    Microbiologia industrial. Novas biotecnologias. Produtos de interesse para a saúde. Produtos para a indústria alimentar. Genômica e proteômica. Aplicações à alimentação e nutrição.
    NUTRIGENÔMICA
    Esta disciplina expõe a influência dos nutrientes na regulação da expressão gênica, assim como dá a conhecer a interação dos genes na dieta dos indivíduos. É composta pelos seguintes temas:
    Perspectivas de futuro na Nutrigenômica. Efeitos dos genes sobre a dieta. Os nutrientes como reguladores da expressão gênica. Implicações fisiopatológicas. Interações nutrientes-genes em situações fisiológicas e patológicas.
    NUTRIGENÉTICA E NUTRACÊUTICOS
    Esta disciplina estuda a influência dos genes na resposta metabólica de cada indivíduo aos diversos nutrientes, assim como na utilidade dos nutracêuticos para realizar uma nutrição adequada. É composta pelos seguintes temas:
    Introdução a nutrigenética. Variabilidade genética. Nutrigenética na saúde humana. Nutracêuticos.
    ELABORAÇÃO DE NOVOS PRODUTOS NA INDÚSTRIA AGROALIMENTAR
    Esta disciplina estuda a influência dos genes na resposta metabólica de cada indivíduo aos diversos nutrientes, assim como na utilidade dos nutracêuticos para realizar uma nutrição adequada. É composta pelos seguintes temas:
    Introdução a nutrigenética. Variabilidade genética. Nutrigenética na saúde humana. Nutracêuticos
    ALIMENTOS FUNCIONALES Y TRANSGÉNICOS
    Esta disciplina se aprofunda no conhecimento dos alimentos transgênicos, assim como procura reconhecer os diferentes alimentos funcionais existentes no mercado atualmente. É composto pelos seguintes temas:
    Alimentos funcionais. Alimentos transgênicos.
  2. ALIMENTAÇÃO E ATIVIDADE FÍSICA NA INFÂNCIA NUTRIÇÃO INFANTIL E ORIGEM FETAL DE PATOLO

    NUTRIÇÃO INFANTIL E ORIGEM FETAL DE PATOLOGIAS
    Esta disciplina permite conhecer os padrões de crescimento dos órgãos e tecidos da gestação até a etapa adulta dos seres humanos, e a sensibilidade de cada um deles às condições adversas, destacando especialmente aquilo relacionado com a nutrição infantil e o desenvolvimento de possíveis patologias de origem fetal. É composta pelos seguintes temas:
    Estudo do crescimento e sua regulação do feto à vida adulta. A alimentação no período de lactação. A nutrição da criança em idade pré-escolar e escolar. A nutrição do adolescente. Origem fetal das doenças do adulto.
    DESNUTRIÇÃO
    Esta disciplina analisa as possíveis causas que levam a desnutrição aos indivíduos em distintas circunstâncias, assim como suas consequências a curto e largo prazo em adultos e crianças, prestando atenção às principais ferramentas de diagnóstico e tratamento. É composta pelos seguintes temas:
    Introdução. Desnutrição secundária. A desnutrição na infância: fatores causais. O atraso no crescimento. A desnutrição aguda. Deficiência de vitaminas e minerais. Intervenções para combater a desnutrição.
    ATIVIDADE FÍSICA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES
    Essa disciplina aprofunda as normas de exercício físico aplicáveis e adaptadas a crianças e adolescentes de acordo com seu estado de saúde.
    Características da infância e da adolescência. Promoção da saúde e qualidade de vida em jovens. A condição física saudável em jovens. Atividade física em crianças com sobrepeso ou obesidade. Atividade física no âmbito escolar. Doença crônica e risco de exclusão social associada à obesidade e atividade física na população infantojuvenil: da teoria à prática.
    TRANSTORNOS DA COMPORTAMENTO ALIMENTAR: ANOREXIA E BULIMIA
    Esta disciplina se aprofunda nas características clínicas e epidemiológicas dos transtornos do comportamento alimentar, assim como oferece noções básicas sobre possíveis tratamentos e mecanismos de prevenção. É composta pelos seguintes temas:
    Descrição dos transtornos do comportamento alimentar segundo o DSM-V. Instrumentos de triagem para a detecção do risco de padecer de TCA. Diagnóstico dos TCA. Marcadores de diagnóstico pelo DSM-V. Adaptação a semi-inanição e complicações médicas. Programa de tratamento. Plano de vida. Aspectos nutricionais. Tratamento psicoterapêutico e psicofarmacológico dos TCA. Evolução, prognóstico e prevenção.
    ALIMENTAÇÃO, SAÚDE E COMUNICAÇÃO
    Esta disciplina avalia a importância da comunicação para a educação nutricional, a importância do marketing nutricional e o controle necessário sobre a publicidade que as empresas fazem de seus produtos para evitar a divulgação de propriedades não comprovadas em seus produtos. É composta pelos seguintes temas:
    Importância da comunicação em nutrição. Marketing e saúde. Regulamentação da publicidade. Comunicação em nutrição e educação nutricional.
  3. NUTRIÇÃO CLÍNICA

    PATOLOGIA DIGESTIVA: TEORIA E PRÁTICA CLÍNICA
    Esta disciplina estuda, a partir de uma perspectiva global, as doenças relacionadas com o aparelho digestivo, prestando especial atenção a sua epidemiologia, causas, fisiopatologia, diagnóstico e tratamento. É composta pelos seguintes temas:
    Cabeça e pescoço. Orofaríngea. Esôfago. Estômago e duodeno. Intestino delgado e cólon.
    DOENÇAS DE GRANDE PREVALÊNCIA: TEORIA E PRÁTICA CLÍNICA
    Esta disciplina estuda, a partir de uma perspectiva global, as doenças de grande prevalência, prestando especial atenção a sua epidemiologia, causas, fisiopatologia, diagnóstico e tratamento. É composta pelos seguintes temas:
    Obesidade. Diabetes. Hipertensão arterial. Doenças cardiovasculares. Osteoporose.
    OUTRAS ENFERMIDADES: TEORIA E PRÁTICA CLÍNICA
    Esta disciplina estuda, a partir de uma perspectiva global, as doenças renais, oncológicas, respiratórias, hematológicas, neurológicas de maior prevalência, prestando especial atenção a sua epidemiologia, causas, fisiopatologia, diagnóstico e tratamento. É composta pelos seguintes temas:
    Nutrição em patologias renais. Alimentação e câncer. Nutrição e AIDS. Patologias respiratórias e nutrição. Anemias. Hiperuricemia e gota. Doenças neurológicas. Doenças congênitas do metabolismo.
    ABORDAGEM NUTRICIONAL NO PACIENTE ONCOLÓGICO
    Esta disciplina examina a relação da nutrição e da alimentação com as diferentes fases do câncer, aprofundando-se em sua etiologia, tratamento e paliação, e a melhoria dos efeitos secundários gerados pelo tratamento. É composta pelos seguintes temas:
    Nutrição na etiologia do câncer. Implicações nutricionais do câncer. Tratamentos do câncer, efeitos sobre o estado nutricional e atuações dietéticas e nutricionais.
    NUTRIÇÃO HOSPITALAR
    Esta disciplina adentra os cuidados nutricionais e alimentares necessários para o paciente que será submetido a qualquer procedimento médico-cirúrgico tanto em sua preparação, prevenção e atenção posterior. É composta pelos seguintes temas:
    Má nutrição hospitalar. Avaliação do estado nutricional. Cálculo das necessidades nutricionais. Dietética hospitalar. Adaptações dietéticas a patologias clínicas. Nutrição enteral. Nutrição parenteral.
  4. NUTRIÇÃO ESPORTIVA

    NUTRIÇÃO E PRÁTICA ESPORTIVA
    Esta disciplina estuda os aspectos gerais da nutrição e do treinamento, assim como a melhoria dos objetivos dos atletas mediante a nutrição aplicada a sua tipologia esportiva. É composta pelos seguintes temas:
    Fisiologia, sistemas energéticos e nutrientes na prática esportiva. Planejamento dietético esportivo.
    NUTRIÇÃO ESPORTIVA APLICADA
    Esta disciplina estuda do uso da nutrição no treinamento, focando-se em grupos específicos de população e no uso preventivo da nutrição ante os efeitos secundários do esporte de competição. É composto pelos seguintes temas:
    Nutrição em crianças e adolescentes. Nutrição em mulheres atletas. Nutrição de atletas veteranos. Nutrição no espaço. Treinamento em jejum. Nutrição clínica esportiva.
    AJUDAS ERGOGÊNICAS
    Esta disciplina se aprofunda no conhecimento sobre ajudas ergogênicas e suplementos que, no marco de um adequado planejamento dietético, ajudem a alcançar um máximo rendimento no atleta de elite. É composta os seguintes temas:
    Conceito de ajuda ergogênica e fadiga no esporte. Carboidratos. Proteínas e aminoácidos. Gorduras e exercício. Vitaminas. Minerais. Outras substâncias ergogênicas. Hidratação.
    TRANSTORNOS ALIMENTARES NO ESPORTE
    Esta disciplina avalia as características clínicas e epidemiológicas dos transtornos do comportamento alimentar que acontecem no âmbito esportivo, assim como se aprofunda nos mecanismos de prevenção e detecção dos TCA. É composta pelos seguintes temas:
    Transtornos alimentares no esporte. Etiopatogenia. Critérios de diagnóstico de anorexia e bulimia nervosa. Consequências dos transtornos alimentares. Clínica. Prevenção. Tratamento nos transtornos do comportamento alimentar. Prognóstico.
    TEORIA E PRÁTICA DO TREINAMENTO
    Esta disciplina estuda os princípios do treinamento, assim como o conhecimento dos métodos fundamentais para a melhoria e desenvolvimento de qualidades físicas básicas. É composta pelos seguintes temas:
    Bases gerais da teoria do treinamento. Fatores que intervêm no trabalho de condicionamento físico. Princípios do treinamento esportivo. A resistência, a força, a velocidade: desenvolvimento, meios e metodologia de aplicação. A flexibilidade: meios e metodologia de aplicação. Fundamentos da técnica e da tática esportivas. O processo de aprendizagem e aperfeiçoamento técnico-tático do esportista. O treinamento técnico-tático do esportista.
  5. NUTRIÇÃO COMUNITÁRIA

    SAÚDE PÚBLICA APLICADA À NUTRIÇÃO
    Esta disciplina apresenta os conteúdos teóricos e práticos essenciais para a avaliação do estado de saúde e nutricional da população para chegar a ser capaz de implementar, em função desta avaliação, as necessárias atividades de promoção da saúde, prevenção da doença, assim como a observação e o controle dos fatores de risco para a saúde humana. É composta pelos seguintes temas:
    Fundamentos de saúde pública. Epidemiologia aplicada à nutrição. Elaboração de programas de nutrição comunitária. Políticas alimentares e estratégias de saúde pública.
    AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL
    Esta disciplina desenvolve capacidades para que, mediante a avaliação nutricional, seja possível conhecer o estado nutricional do indivíduo ou da comunidade sobre a qual se deseja intervir. É composta pelos seguintes temas:
    Determinação da ingestão de alimentos e nutrientes: pesquisa de alimentação. Técnicas de avaliação do estado nutricional: antropometria e composição corporal.
    GESTÃO E AVALIAÇÃO EM NUTRIÇÃO COMUNITÁRIA
    Esta disciplina avalia as estratégias e a elaboração de políticas de gestão em nutrição comunitária, assim como as ferramentas de avaliação nutricional coletiva. É composta pelos seguintes temas:
    Definição. Antecedentes em nutrição comunitária. Avaliação da nutrição comunitária. Estrutura de um projeto de nutrição comunitária. Avaliação de recursos humanos. Gestão do programa. Avaliação. Evolução da sustentabilidade atual e futura.
    DESNUTRIÇÃO
    Esta disciplina analisa as possíveis causas que levam a desnutrição aos indivíduos em distintas circunstâncias, assim como suas consequências, a curto e largo prazo, em adultos e crianças, prestando atenção às principais ferramentas de diagnóstico e tratamento. É composta pelos seguintes temas:
    Introdução. Desnutrição secundária. Desnutrição na infância: fatores causais. Atraso no crescimento. Desnutrição aguda. Deficiência de vitaminas e minerais. Intervenções para combater a desnutrição.
    ALIMENTAÇÃO, SAÚDE E COMUNICAÇÃO
    Esta disciplina estima a importância da comunicação para a educação nutricional, além da importância do marketing nutricional e o controle necessário sobre a propaganda que as empresas fazem de seus produtos para evitar a publicidade de propriedades não comprovadas em seus produtos. É composta pelos seguintes temas:
    Importância da comunicação em nutrição. Marketing e saúde. Regulação da publicidade. Comunicação em nutrição e educação nutricional.
  6. PESQUISA EM NUTRIÇÃO

    DESENHO DE ESTUDOS EXPERIMENTAIS, EPIDEMIOLÓGICOS E CLÍNICOS
    Esta disciplina se aprofunda na elaboração de pesquisas experimentais, epidemiológicas e clínicas para descrever as condições de saúde nas populações humanas, assim como contribui para o descobrimento de fatores ambientais, sociais e biológicos que influem no desenvolvimento e no tratamento de diferentes patologias. É composta pelos sequintes temas:
    Princípios gerais da pesquisa. Elaboração de estudos epidemiológicos. Elaboração de estudos clínicos experimentais. Elaboração de estudos experimentais de laboratório. Elaboração de um protocolo.
    AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL
    Esta disciplina desenvolve as capacidades para que, mediante a avaliação nutricional, seja possível conhecer o estado nutricional do indivíduo ou da comunidade sobre a qual se deseja intervir. É composta pelos seguintes temas:
    Determinação da ingestão de alimentos e nutrientes: pesquisa de alimentação. Técnicas de avaliação do estado nutricional: antropometria e composição corporal.
    ANÁLISE DE DADOS E MULTIVARIANTE
    Esta disciplina apresenta a teoria que fundamenta as técnicas mais elementares da análise de dados multivariantes procedentes da observação ou experimentação realizada no campo da ciência da nutrição.
    INFORMÁTICA APLICADA À PESQUISA EM NUTRIÇÃO
    Esta disciplina pretende ajudar a utilizar diversas ferramentas informáticas e estatísticas para otimizar a pesquisa no campo nutricional. É composta pelos seguintes temas:
    Análise de dados. Depuração da informação recolhida. Ferramentas informáticas para a análise qualitativa e quantitativa. Introdução ao SPSS. Representações gráficas e aplicações estatísticas. Programas informáticos nutricionais. Apresentação da informação.
    PUBLICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS
    Esta disciplina proporciona as habilidades teórico-práticas suficientes para apresentar e publicar os resultados obtidos em um estudo. É composta pelos seguintes temas:
    Publicações científicas. Os resultados. Tipos de apresentações de resultados. Como publicar em revistas científicas.
  7. TRANSTORNOS DO COMPORTAMENTO ALIMENTAR

    AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL
    Esta disciplina desenvolve as capacidades para que, mediante a avaliação nutricional, seja possível conhecer o estado nutricional do indivíduo ou da comunidade sobre a qual se deseja intervir. É composta pelos seguintes temas:
    Determinação da ingestão de alimentos e nutrientes: pesquisa de alimentação. Técnicas de avaliação do estado nutricional: antropometria e composição corporal.
    DIAGNÓSTICO, ETIOPATOGENIA E COMPLICAÇÕES DA OBESIDADE
    Esta disciplina adentra o conhecimento sobre os métodos de diagnóstico, a etiopatogenia e as complicações derivadas da obesidade. É composta pelos seguintes temas:
    Situação atual. Conceitos. Etiopatogenia da obesidade. Diagnóstico da obesidade. Aspectos psicopatológicos da obesidade. Complicações derivadas da obesidade.
    TRATAMENTO E PREVENÇÃO DA OBESIDADE
    Esta disciplina analisa os cuidados nutricionais e alimentares necessários para o paciente que será submetido a qualquer procedimento médico relacionado à obesidade, assim como a sua prevenção e atenção posterior. É composta pelos seguintes temas:
    Tratamento. Cirurgia da obesidade. Obesidade nas diferentes etapas da vida: gestação, infância e adolescência, menopausa e velhice. Educação nutricional e prevenção da obesidade. Protocolo do tratamento da obesidade. Informática aplicada a dietoterapia.
    TRANSTORNOS DO COMPORTAMENTO ALIMENTAR: ANOREXIA E BULIMIA
    Descrição dos transtornos do comportamento alimentar segundo o DSM-V. Instrumentos de triagem para a detecção do risco de padecer TCA. Diagnóstico dos TCA. Marcadores de diagnóstico pelo DSM-V. Adaptação a semi-inanição e complicações médicas. Programa de tratamento. Plano de vida. Aspectos nutricionais. Tratamento psicoterapêutico e psicofarmacológico dos TCA. Evolução, prognóstico e prevenção.
    ORIENTAÇÃO PSICOLÓGICA NA CONSULTA DIETÉTICO-NUTRICIONAL
    Esta disciplina estuda as bases de psicológicas das relações humanas para desenvolver as habilidades psicológicas pertinentes para oferecer um serviço de consulta nutricional que ajude a melhorar os resultados do paciente. É composta pelos seguintes temas:
    Gestão das expectativas. A comunicação assertiva. Ferramentas psicológicas para a entrevista. Linguagem motivacional. Fatores de risco psicológicos em pacientes
  8. NUTRIÇÃO E ATENÇÃO GERONTOLÓGICA

    ASPECTOS PSICOSSOCIAIS DO ENVELHECIMENTO
    Esta disciplina explica o funcionamento dos processos psicológicos humanos no plano cognitivo e afetivo, assim como as mudanças que se produzem nestes processos como consequência do envelhecimento dos pacientes. É composta pelos seguintes temas:
    Funcionamento sensorial e motor. Psicomotricidade e terceira idade. Comunicação e linguagem no processo de envelhecimento. Funcionamento intelectual. Psicologia da memória nos idosos. Teorias psicossociais - personalidade. Casal e idosos. Envelhecimento com êxito - estilos de vida.
    GERIATRIA. GRANDES SÍNDROMES GERIÁTRICAS. DEMÊNCIAS
    Esta disciplina examina os diferentes níveis assistenciais determinados a atender as diferentes situações de doença dos pacientes da terceira idade. É composta pelos seguintes temas:
    Avaliação gerontológica integral. Demências e deterioração cognitiva. Tremor e doença de Parkinson. Alterações no andar e quedas. Depressão e alterações cognitivo-comportamentais. Alterações do sono e a nutrição. Vida social do idoso. Epilepsia no idoso.
    NUTRIÇÃO, ENVELHECIMENTO E ANTIAGING
    Esta disciplina analisa os padrões da perda de funcionalidade dos órgãos e tecidos desde idade adulta até a velhice dos seres humanos, e a sensibilidade de cada um deles em condições adversas, destacando especialmente a relação da nutrição com a prevenção de possíveis patologias específicas do envelhecimento. É composta pelos seguintes temas:
    Nutrição no envelhecimento: Introdução e conceitos. Fisiologia do envelhecimento e sua influência sobre a alimentação. Planejamento de cardápios. Avaliação nutricional. Dietas terapêuticas e polimedicação na idade avançada. Envelhecimento saudável e antiaging.
    AATIVIDADE FÍSICA EM IDOSOS
    Esta disciplina estuda as pautas de exercício físico aplicáveis e adaptadas a pacientes ou grupos de pacientes de idade avançada, tanto em estado fisiológico quanto patológico. É composta pelos seguintes temas:
    Aspectos fisiológicos, psicológicos e sociais do envelhecimento. Exame de saúde e de pré-participação em um programa de exercício. Avaliação da capacidade física. Avaliação do nível de atividade física. Treinamento da flexibilidade. Treinamento da força. Treinamento de resistência aeróbica. Envelhecimento, doença e atividade física.
    PROGRAMAS DE INTERVENÇÃO PARA IDOSOS
    Esta disciplina adentra a intervenção dos processos de envelhecimento e qualidade de vida através de um programa de animação sociocultural para idosos, pondo ao alcance dos profissionais no âmbito da gerontologia o programa de intervenção, que inova mediante o uso das novas tecnologias em seu desenvolvimento e execução. É composta pelos seguintes temas:
    Programas de animação sociocultural para idosos. Intervenção em transtornos cognitivos. Intervenção em transtornos afetivos. Intervenção psicossocial com doentes terminais.

3ª PARTE: METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA E PROJETO FINAL DE MESTRADO

  1. METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA

    Esta disciplina apresenta as etapas do processo de pesquisa e suas técnicas tendo como objetivo que o estudante aproxime-se do método científico e mais facilmente faça suas contribuições para o seu campo de trabalho. Desta forma, revisam-se algumas das principais ferramentas estatísticas que ajudam a corroborar uma hipótese, proporcionando um suporte matemático para as observações realizadas. Trata-se, portanto, de uma reunião de técnicas para a compilação e apresentação de informação, intervalos de confiança, testes de hipóteses e elaboração de relatórios com rigor científico. Com este propósito, o temário é divido em vários capítulos com exercícios nos quais o leitor realizará uma aprendizagem progressiva dos conceitos básicos dos métodos de pesquisa.

    O MÉTODO CIENTÍFICO
    TÉCNICAS DE PESQUISA
    O PROCESSO DE PESQUISA
    O CRITÉRIO ESTATÍSTICO PARA O PROCESSO DE PESQUISA
    ESTATÍSTICA DESCRITIVA
    ESTATÍSTICA DIFERENCIAL
    CORRELAÇÃO E REGRESSÃO
    RELATÓRIO FINAL DA PESQUISA
  2. DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

    A última fase deste programa destina-se à elaboração do Projeto Final do Mestrado ou Dissertação de Mestrado, que pode ser elaborado paralelamente ao estudo das disciplinas dos módulos anteriores. De fato, sugere-se que o início do desenvolvimento concreto da dissertação ocorra no início do módulo 2, pois, este momento, o estudante já contará com os conhecimentos necessários para começar o trabalho.


Nota: O conteúdo do programa acadêmico pode ser submetido a modificações, em função de atualizações ou de melhorias efetuadas.

Direção

Direção Acadêmica Geral

  • Dr. Maurizio Battino.Diretor da Área de Saúde e Nutrição da Fundação Universitária Iberoamericana. Pesquisador em Bioquímica e docente da Scuola di Specializzazione in Scienza dell'Alimentazione.

Espanha

  • Dr. Rafael Tojo Sierra. Catedrático de Pediatria. Universidad de Santiago de Compostela.
  • Dr. Javier González Gallego. . Catedrático de Fisiologia da Universidad de León.
  • Dr. Antonio Gálvez del Postigo Ruiz. .Catedrático de Microbiologia do Departamento de Ciências da Saúde da Universidad de Jaén.
  • Dra. Esther Fuentes Marhuenda. .Professora titular da Universidad Miguel Hernández de Elche.
  • Dr. José Mataix Verdú . (EPD). Catedrático de Fisiologia da Universidad de Granada.

Itália

  • Dott. Maurizio Battino. . Pesquisador em Bioquímica e docente da Scuola di Specializzazione in Scienza dell'Alimentazione
  • Prof. Enrico Bertoli. . Professor Titular de Bioquímica e Diretor da Scuola di Specializzazione in Scienza dell'Alimentazione

Chile

  • Dr. Fernando Mönckeberg Barros. . Decano da Faculdade de Ciências na Universidad Diego Portales (Chile). Presidente da Corporación para la Nutrición Infantil (CONIN).

Equador

  • Dr. Washington Benítez. .Diretor do Centro Internacional de Zoonosis. Universidad Central del Ecuador.

México

  • Dr. Adolfo Chávez..Presidente da Asociación Latinoamericana de Nutrición. Chefe do Departamento de Nutrição Aplicada e Educação Nutricional do Instituto Nacional de Ciencias Médicas y Nutrición (INCMyN) Salvador Zubirán.

Peru

  • Dra. Luzmila Troncoso Corzo. .Decana da Faculdade de Nutrição e Dietética da Universidad Científica del Sur (Peru).
  • Dr. Alberto Peña Hernández. Professor Titular de Pediatria e Nutrição Infantil. Universidad de Piura (Peru).

Coordenação Geral Acadêmica

  • Sra. Irma Domínguez Azpíroz. . Coordenadora Internacional.

Professores e Autores

  • Dr. Maurizio Battino. Diretor da Área de Saúde e Nutrição da Fundação Universitária Iberoamericana. Pesquisador em Bioquímica e professor da Scuola di Specializzazione in Scienza dell'Alimentazione.
  • Dr. José Mataix Verdú (EPD). Catedrático de Fisiologia da Universidad de Granada.
  • Dr. Adolfo Chávez. Presidente da Asociación Latinoamericana de Nutrición. Chefe do Departamento de Nutrição Aplicada e Educação Nutricional do Instituto Nacional de Ciencias Médicas y Nutrición (INCMyN) Salvador Zubirán.
  • Dr. Javier González Gallego. Catedrático de Fisiologia da Universidad de León. Diretor do Instituto de Biomedicina da Universidad de León.
  • Dr. Emilio Martínez de Vitoria. Diretor do Instituto de Nutrição e Tecnologia de Alimentos da Universidad de Granada. Catedrático de Fisiologia e Professor da Escola de Nutrição da Universidad de Granada.
  • Dr. Enrique Roche Collado. Catedrático da Área de Nutrição e Bromatologia da Universidad Miguel Hernández. Subdiretor do Instituto de Bioingeniería da Universidad Miguel Hernández.
  • Dr. Rafael Tojo Sierra. Catedrático de Pediatria da Universidad de Santiago de Compostela.
  • Dra. (c) Irma Domínguez Azpíroz. Doutora candidata em Educação. Mestre Internacional em Nutrição e Dietética Aplicada pela Universidad de León. Mestre em Atividade Física: Treinamento e Gestão Esportiva pela UNINI. Graduada em Nutrição e Dietética pela Universidad de Navarra.
  • Dra. (c) Sandra Sumalla Cano. Doutora candidata em Projetos. Mestre Internacional em Nutrição e Dietética Aplicada pela Universidad Rovira i Virgili. Mestrado em Atividade Física: Treinamento e Gestão Esportiva pela UNINI. Licenciada em Ciência e Tecnologia dos Alimentos pela Universidad de Barcelona. Graduada em Nutrição Humana e Dietética pela Universidad de Barcelona-CESNID.
  • Dra. (c) Anna Marín Bachs Doutora candidata em Educação. Mestre Internacional em Nutrição e Dietética pela Universidad de León. Graduada em Nutrição Humana e Dietética pela Universidad de Barcelona-CESNID.
  • Dr. (c) Iñaki Elío Pascual. Doutor candidato em Projetos. Mestre em Nutrição e Metabolismo. Universidad de Barcelona. Nutricionista Dietético da Unidade de Dietética e Nutrição Clínica do Hospital Universitario de Bellvitge.
  • Dr. Jordi Salas Salvadó. Catedrático de Nutrición e Bromatologia da Universidad Rovira i Virgili (Reus - Tarragona)
  • Dra. Rosa Solà Alberich. Catedrática de Medicina da Universidad Rovira i Virgili. Vice-reitora de Pesquisa e Relações com Instituições Sanitárias da Universidad Rovira i Virgili.
  • M. Flavio Marques. Mestre em Gestão de Serviços de Saúde. Licenciado em Nutrição e dietética. Professor da licenciatura em Nutrição Social e Escolar do Instituto Piaget.
  • Dra. Magdalena López Frías. Professora Titular de Fisiologia Universidad de Granada. Pesquisadora do Instituto Universitario de Investigación de Nutrición y Tecnología de Alimentos "José Mataix Verdú".
  • Dra. Elena García García. Doutora em Farmácia pela Universidad de Granada. Licenciada em Ciência e Tecnologia dos Alimentos pela Universidad de Murcia. Professora da Área de Nutrição e Bromatologia da Universidad Miguel Hernández.
  • Dra. (c) Sandra Jarrín Motte. Doutora candidata em Educação pela UNINI. Mestre em Estudos Biológico-Naturistas pela Universidad de León. Licenciada em Nutrição e Dietética pela Universidad Científica del Sur.
  • M. Lili Zavala Ciudad. Mestre em Tecnologia e Controle de Alimentos. CESIF. Licenciada em Nutrição e Dietética pela Universidad Científica del Sur.
  • M. Joan Trabal. Mestre em Nutrição e Metabolismo pela Universidad de Barcelona. Nutricionista Dietético do Hospital Clínic de Barcelona.
  • Dra. Margarita Sánchez Campos. Catedrática de Fisiologia e subdiretora da Escuela de Nutrición da Universidad de Granada.
  • Dra. Ascensión Marcos Sánchez. Professora de Pesquisa do Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC). Diretora do Grupo de Imunonutrição do Departamento de Metabolismo e Nutrição do Instituto del Frío del CSIC.
  • Dr. Alfredo Entrala Bueno. Decano da Faculdade de Ciências da Saúde. Diretor do Departamento de Fisiopatologia da Universidad Alfonso X El Sabio.
  • Dr. Alfredo Martínez Hernández. Diretor do Instituto de Ciencias de la Alimentación da Universidad de Navarra.
  • Dr. Antonio M. Gálvez del Postigo Ruiz. Catedrático de Microbiologia do Departamento de Ciências da Saúde da Universidad de Jaén.
  • Dr. Antonio Marco Chover. Vice-presidente do Consejo Europeo para la Pluralidad Médica (ECPM). Membro da Equipe Diretora da Sociedad Internacional de Estudios Proteómicos (Bruxelas).
  • Dra. Iciar Astiasarán Anchía. Diretora do Instituto de Ciencias de la Alimentación e Decana da Faculdade de Farmácia da Universidad de Navarra.
  • Dr. Carlos Iglesias Rosado. Chefe do Departamento de Nutrição na Universidad Alfonso X El Sabio.
  • Dra. Virginia Motilva. Pesquisadora e Professora da Faculdade de Farmácia da Universidad de Sevilla.
  • Dra. Elena Talero Barrientos. Pesquisadora e Professora da Faculdade de Farmácia da Universidad de Sevilla.
  • Dr. Antonio Ayala Gómez. Catedrático e professor do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular da Universidad de Sevilla.
  • Dra. Mercedes Cano García. Professora do Departamento de Fisiologia da Universidad de Sevilla.
  • Dra. M. Carmen García Parrilla. Catedrática e Professora do Departamento de Bromatologia da Universidad de Sevilla.
  • Dra. M. Ángeles Fernández Arche. Professora do Departamento de Farmacologia da Universidad de Sevilla.
  • Dr. José Miguel Álvarez Suárez. Doutor em Alimentação e Saúde. Professor de Toxicologia, Farmacologia e Ciência dos Alimentos do Departamento de Medicina Veterinária.
  • Dr. Fermín Sánchez de Medina Contreras. Catedrático de Bioquímica e Biologia Molecular do Instituto de Nutrición y Tecnología de los Alimentos da Universidad de Granada.
  • Dr. Fernando Gil González. Professor Titular de Toxicologia. Professor da Escuela de Nutrición da Universidad de Granada.
  • Dr. Francisco J. Pérez Cano. Doutor em Farmácia pela Universidad de Barcelona. Professor convidado da Universidad de Barcelona.
  • Dr. Gonzalo Morandé Lavín. Chefe de serviço da Unidade de Psiquiatria e Psicologia do Hospital Infantil Universitario Niño Jesús.
  • Dr. José Jesús Ruiz Joyanes. Doutor em Medicina e Cirurgia. Mestre em Medicina Biológica, Medicina Antienvelhecimento e Medicina Estética.
  • Dr. José Maldonado Lozano. Professor Titular de Pediatria da Universidad de Granada.
  • Dr. Juan Llopis González. Professor Titular de Fisiologia. Pesquisador do Instituto Universitario de Investigación de Nutrición y Tecnología de Alimentos "José Mataix Verdú".
  • Dr. Juan Manuel Morillo. Doutor em Odontologia pela Universidad Complutense de Madrid. Professor da Área de Ciências Básicas da Escuela de Enfermería y Fisioterapia San Juan de Dios da Universidad Pontificia Comillas de Madrid.
  • Dr. Luis García Diz. Vice-decano de Inovação e Espaço Europeu na Universidad Complutense de Madrid. Professor Titular de Nutrição. Universidad Complutense de Madrid.
  • Dr. Luis García Torres. Professor Titular de Fisiologia da Universidad de Granada. Professor do Instituto Universitario de Investigación de Neurociencias "Federico Olóriz".
  • Dr. Manuel Ramírez Sánchez. Catedrático de Fisiologia da Universidad de Jaén.
  • Dr. Marcos Mazzuka Petitta. Doutor em Medicina e Cirurgia da Universitá La Sapienza. Coordenador de Pós-graduação em Medicina da Universidad de Oriente.
  • Dr. Nabil Benomar Elbakali. Professor Titular de Microbiologia da Universidad de Jaén.
  • Dr. Narcís Gusi. Doutor em Adaptações Fisiológicas ao Exercício pela Universidad de Barcelona. Professor Titular de Didática da Expressão Plástica Musical e Corporal da Universidad de Extremadura.
  • Dr. Pedro Bullón. Presidente da Conferência de Decanos das Faculdades de Odontologia da Espanha. Catedrático de Estomatologia da Faculdade de Odontologia da Universidad de Sevilla.
  • Dr. Santiago de la Rosa Iglesias. Presidente da Comissão de Medicina Naturista do Ilustre Colegio de Médicos de Madrid (ICOMEM).
  • Dra. Assumpció Roset Elías. Doutora em Farmácia. Coordenadora do Programa de Educação para a Saúde na Escola do Departamento de Educação da Generalitat de Catalunya.
  • Dra. Elena Ortega Morente. Professora Titular de Microbiologia da Universidad de Jaén.
  • Dra. Esther Fuentes Marhuenda. Professora Titular da Área de Nutrição e Bromatologia da Universidad Miguel Hernández.
  • Dra. Hikmate Abriouel Hayani. Doutora em Ciências. Equipe Pesquisadora Contratada (Programa Ramón y Cajal) da Universidad de Jaén.
  • Dra. Isabel Prieto Gómez. Professora Titular de Fisiologia da Universidad de Jaén.
  • Dra. Magdalena Martínez Cañamero. Professora Titular de Microbiologia da Universidad de Jaén.
  • Dra. Margarida Castell Escuer. Catedrática de Fisiologia, Universidad de Barcelona.
  • Lda. Marilyn Montejo Berríos. Licenciada en Nutrição e Dietética. Universidad Científica del Sur. Professora do curso de Introdução à Nutrição. Universidad Científica del Sur. Colaboradora do curso de Técnica Dietética. Universidad Científica del Sur.
  • Dr. (c) José Alberto Frade-Martins Parraça. Doutorando Associado ao Departamento de Fisiologia da Universidad de Extremadura.
  • Dra. Margarita Sánchez Campos. Catedrática de Fisiología. Subdirectora de la Escuela de Nutrición de la Universidad de Granada.
  • Dra. Mercedes Barrionuevo Díaz. Professora Titular de Fisiologia. Professora da Escuela de Nutrición da Universidad de Granada.
  • Dra. Miriam Muñoz de Chávez (EPD). Departamento de Nutrição Aplicada e Educação Nutricional do Instituto Nacional de Ciencias Médicas y Nutrición (INCMyN) Salvador Zubirán.
  • Dra. Pilar Sánchez Collado. Doutora em Farmácia. Professora Titular do Departamento de Ciências Biomédicas da Universidad de León.
  • Dra. Rosario Lucas López. Professora Titular de Microbiologia da Universidad de Jaén.
  • Dra. Rosaura Leis Trabazo. Professora Titular de Pediatria da Universidad de Santiago de Compostela.
  • Dra. Rosella Mazzuka de Marta. Docente da Universidad Santa María (Venezuela). Membro da ACAM, SITEC da Itália, SOVENIA e DAW da Venezuela, LINCA do México e AVA de Barcelona.
  • M. Iván Iglesias Cid. Mestre em Administração e Direção de Empresas Agroalimentares pela Universidad de Barcelona - I.G.I.A. Graduado em Nutrição Humana e Dietética pela Universidad de Barcelona-CESNID. Professor da Faculdade de Nutrição Humana e Dietética da Universidad Ramon Llull.
  • M. Esther Huertas Hidalgo. Mestre Experimental em Ciências Farmacêuticas pela Universidad de Barcelona. Licenciada em Ciência e Tecnologia dos Alimentos pela Universidad de Barcelona. Engenheiro Técnico Agrícola em Indústrias Agrárias e Alimentares pela Universidad Politécnica de Cataluña.
  • Dra. Esther de la Paz. Secretária da Comissão de Médicos Naturistas do ICOMEM.
  • Lic. Eduard Reinoso Zamora. Licenciado em Ciência e Tecnologia dos Alimentos. Universidad de Barcelona. Graduado em Nutrição Humana e Dietética. Universidad de Barcelona.
  • Eng. Elena Rodríguez Vall-llovera. Engenheiro Técnico Agrícola em Indústrias Agrárias e Alimentares pela Universidad Politécnica de Cataluña.
  • Lic. Gloria Arbonés Vilà. Licenciada em Farmácia pela Universidad de Barcelona.
  • Lic. Gloria Rodríguez Vall-llovera. Licenciada em Farmácia pela Universidad de Barcelona.
  • Lic. Jesús Calderón Amigo. Licenciado em Farmácia pela Universidad de Valencia. Diretor adjunto do Centro de Diagnóstico Biotecnológico Dr. Calderón.
  • Alba Llorens Hidalgo. Graduada em Nutrição Humana e Dietética pela Universidad de Barcelona.
  • Lic. Ana Hispán Rodela. Licenciada em Ciências Químicas e em Ciências da Educação.
  • Laura Álvarez Vidal. Graduada em Nutrição Humana e Dietética pela Universidad de Barcelona - CESNID.
  • M. María Rafaela Rosas Morales. Mestre em Administração e Direção de Empresas Agroalimentares pela Universidad de Barcelona - I.G.I.A. Licenciada em Ciência e Tecnologia dos Alimentos pela Universidad de Barcelona. Licenciada em Farmácia pela Universidad de Barcelona.
  • M. Nuria Rodríguez González. Mestre em Administração e Direção de Empresas Agroalimentares pela Universidad de Barcelona - I.G.I.A. Licenciada em Ciência e Tecnologia dos Alimentos pela Universidad de Barcelona. Engenheiro Técnico Agrícola em Indústrias Agrárias e Alimentares pela Universidad Politécnica de Cataluña.
  • M. Julieta Ferreyra Ritta. Mestre em Ciências dos Alimentos pela Universidade Federal de Santa Catarina. Licenciada em Nutrição pela Universidad de Buenos Aires.
  • Lic. Sonia Ballarín Alins. Licenciada em Bioquímica pela Universidad de Barcelona. Licenciada em Farmácia pela Universidad de Barcelona.
  • M. Susana Cardona Aquino. Mestre em Psicologia Clínica e Psicoterapia pela Universidad Ramon Llull. Licenciada em Psicologia pela Universidad Ramón Llull.
  • Eng. Eduard Solanes Foz. Licenciado em Ciência e Tecnologia dos Alimentos pela Universidad de Barcelona. Engenheiro Técnico Agrícola em Indústrias Agrárias e Alimentares pela Universidad Politécnica de Cataluña.

Bolsa de Trabalho

A Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) destina periodicamente um valor econômico de caráter extraordinário para Bolsas de estudo em Formação FUNIBER.

Para solicitá-la, preencha o formulário de solicitação de informação que aparece no portal FUNIBER ou entre em contato diretamente com a sede da fundação em seu país para saber se é necessário proporcionar alguma informação adicional.

Uma vez que tenhamos recebido a documentação, o Comitê Avaliador examinará a idoneidade de sua candidatura para a concessão de um incentivo econômico na forma de Bolsa de estudo em Formação FUNIBER.